0

Expresso Planalto alega prejuízos e ameaça paralisar transporte durante pandemia

A empresa diz que tem acumulado prejuízos com redução de passageiros e aumento dos custos operacionais, além da concorrência do transporte clandestino.

Magson Gomes
27/05/2021

Empresa assumiu em 2019 para 20 anos de contrato. Foto: Arquivo Terra do Mandu

A empresa Expresso Planalto, responsável pelo transporte público em Pouso Alegre, ameaça paralisar a prestação do serviço durante a pandemia, alegando acúmulo de prejuízos. Segundo a empresa, os prejuízos ocorrem em virtude da queda número de passageiros e do recorrente aumento dos custos operacionais.

A Expresso Planalto assumiu o transporte público de Pouso Alegre em 1º de abril de 2019, após vencer licitação e assinar contrato de 20 anos de concessão do serviço, com valor de R$ 200 milhões. O contrato exige que a empresa iniciasse a atividade com 56 ônibus zero quilômetro para operar as 26 linhas urbanas e rurais.

De acordo com nota enviada pela concessionária à redação do Terra do Mandu, após o início da pandemia “a empresa teve uma redução de 50% no número de passageiros que utilizam o serviço. Além disso, o índice de passageiros por quilometro foi reduzido em 35% tornando-se muito baixo em função principalmente das linhas de baixa demanda e das linhas rurais”, explica a nota.

A Expresso Planalto também afirma que houve aumento nos custos operacionais, principalmente por conta dos reajustes de 28% no combustível e o valor da tarifa está defasado. A empresa assumiu com a tarifa já em R$ 3,90.

“O último reajuste de tarifa foi no início do ano de 2019, deixando defasado o preço cobrado dos passageiros por parte da empresa. Para se ter uma ideia, a tarifa hoje cobrada é de R$ 3,90, a mais baixa entre as maiores cidades da região, e o valor de equilíbrio para a empresa não tivesse prejuízo seria de R$ 8,27”, alega a empresa na nota.

A concorrência do transporte por aplicativo e o clandestino seriam outros problemas enfrentados pela concessionária do transporte público.

“A empresa esclarece que, diante dessa situação financeira, vai avaliar todas as possibilidades para seguir atuando. A Expresso Planalto acrescenta que a prestação deste serviço é de responsabilidade do município”, afirma no texto.

A empresa ainda informou na nota enviada à imprensa que “a direção vai procurar pela administração municipal para buscar a melhor saída, mas não descarta uma possível interrupção do serviço de transporte público em Pouso Alegre”, finaliza.

Prefeitura injetou R$ 750 mil em 2020

Em março do ano passado, a prefeitura de Pouso Alegre fez um repasse de um subsídio de R$ 750 mil para a Expresso Planalto como ajuda financeira para evitar um aumento no valor da tarifa, já considerando a redução do número de passageiros após o início da quarentena da população por causa da pandemia do novo coronavírus. O repasse foi aprovado na Câmara Municipal, após projeto enviado pelo Executivo Municipal.

O outro lado

A reportagem do Terra do Mandu entrou em contato com a prefeitura e aguarda um retorno para atualizar essa matéria.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.