0

Luigi Di Lazzaro é elogiado em sua estreia internacional no kart em Le Mans, França

Magson Gomes
27/08/2019

Garoto, de 12 anos, de São Gonçalo do Sapucaí, Sul de Minas, lidera a Copa São Paulo de kart e foi convidado a disputar prova na França.

Luigi teve sua estreia internacional na última semana. Foto: reprodução

Uma estreia de luxo. É assim que especialistas avaliam a primeira participação do piloto Luigi Di Lazzaro, de 12 anos, em competições na Europa. No último final de semana, Luigi, que é de São Gonçalo do Sapucaí, no Sul de Minas, se destacou nas provas de kart disputadas em Le Mans, na França.

O garoto teve problemas no acerto do kart alugado para competir na Europa. Mas, mesmo com as dificuldades, conseguiu terminar a última prova em sexto lugar, entre 32 pilotos participantes. Segundo os organizadores, um resultado acima da média para pilotos brasileiros em sua estreia em eventos deste porte. O Rotax Max Challenge International Trophy foi realizado entre os dias 20 e 24 de agosto.

O pai de Luigi, Danilo Di Lázzaro, comemora o resultado. “Foi um excelente resultado e comemoramos muito. Não chegamos ao acerto 100% correto e isso fez falta para o Luigi nas duas últimas corridas. O resultado poderia ter sido ainda melhor, mas estamos muito felizes com esta estreia em competições internacionais e com este grande aprendizado. Queremos agradecer ao Divino, que fez um belo trabalho no kart, e também à Rotax Brasil, por nos proporcionar a participação neste belo evento”, Disse Danilo Di Lazzaro.

Luigi Di Lazzaro garantiu sua vaga para competir em Le Mans após conquistar três vitórias e um segundo lugar na Copa São Paulo de Kart, onde lidera a competição.

“Em um evento neste estilo, cada um tem seu próprio kart. Os europeus, que foram a maioria dos concorrentes, têm seu próprio kart, acertado previamente. O pneu utilizado lá era o Mojo, diferente do que é usado no Brasil. O chassi era outro, com outro desenho, outra ‘tocada’. Então, se adaptar e superar estas dificuldades com a velocidade que o Luigi superou torna o resultado ainda mais importante e significativo”, elogia Wilton Santos Júnior, diretor da Mach5 Karting, detentora dos direitos da Rotax no Brasil e Paraguai.

Próxima prova

Luigi Di Lazzaro volta às pistas esta semana, quando disputará o Campeonato Brasileiro Rotax no Kartódromo Aldeia da Serra, em Barueri (SP), buscando vaga para disputar o Rotax Max Finals, o Campeonato Mundial da categoria, em outubro na Itália.

O garoto tem talento

A paixão de Luigi pelo automobilismo começou na frente da televisão, em casa mesmo. O pai dele conta que a família sempre se reuniu para assistir às corridas de Fórmula 1 e o menino ficava vidrado na televisão.

“O moleque sempre gostou de velocidade. Ele mesmo pesquisou na internet e viu que tinha uma aula de kart em São Paulo e ficou perturbando para eu leva-lo lá. Aí falei: vou levar um dia neh, que aí ele já anda. Vê o que é e não é e já desencana logo, alguma coisa assim”, conta o pai Danilo.

E esse foi o primeiro contato da criança de 9 anos com o kart. Ele entrou no equipamento, ouviu, atentamente, as instruções do professor e foram para a pista. Ele atrás do professor. Em 15 minutos de aula, Luigi já tinha andado 5 segundos na frente dos garotos mais velhos que estavam fazendo aulas há mais tempo.

Danilo lembra que o professor já desceu elogiando o garoto. Outras pessoas que já atuava no mundo profissional do automobilismo e que estavam no kartódromo também fizeram elogios e questionaram se, realmente, era a primeira aula de Luigi.

Em 2017 Luigi Di Lazzaro já entrou para uma equipe de kart e foi inscrito para a Copa São Paulo KGV, que é disputada no Kartódromo Granja Viana, em Cotia (SP). No primeiro ano já foram cinco vitórias em 10 etapas. “Ele chegou na última etapa como líder, com 15 pontos na frente. Mas o kart dele deu problema quando liderava. Queimou a vela a cinco voltas do final e os adversários passaram, perdendo o campeonato por um ponto”, lamenta Danilo.

Luigi com kart alugado para competir em Le Mans, na França. Foto: reprodução

Incentivo para manter o sonho no automobilismo

Atualmente, o Brasil está sem representante na Fórmula 1, principal categoria do automobilismo mundial. Muitos garotos sonham em chegar lá, e com o menino Luigi não é diferente. O pai do garoto sabe que o caminho é esse que começou há três anos e com mais esse importante passo nessa primeira corrida internacional.

Porém, não basta ter talento. É preciso ter patrocínio para continuar nesse mercado. Hoje, Luigi tem três patrocinadores (Sicoob – Credivass | Anilag | Techspeed). O pai, que é engenheiro mecânico e empresário, uma cooperativa de crédito e uma fabricante de chassi que fornece o equipamento para Luigi correr.

“A gente busca patrocínio para poder levar ele para competir fora. Porque no automobilismo o patrocínio é mais importante do que o talento do piloto”, afirma Danilo.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.