0

Monte Verde adota turismo consciente e reabre neste sábado (17)

Novo decreto de Camanducaia permite o funcionamento do comércio com algumas restrições, como limitação da ocupação de hotéis, pousadas e restaurantes.

Gabriella Starneck
16/04/2021

Após prejuízo de R$ 15 milhões devido à onda roxa, o distrito de Monte Verde reabre para o turismo consciente neste sábado (17). A prefeitura de Camanducaia publicou novo decreto que permite o funcionamento do comércio com algumas restrições para prevenção do contágio e disseminação da Covid-19.

De acordo com o documento, hotéis e pousadas poderão funcionar com capacidade máxima de 60%, sendo obrigatório o cadastro das reservas no sistema. Já restaurantes, bares e lanchonetes devem limitar quatro pessoas por mesa e proibir a junção de mesas. Também fica vedado o consumo em pé nos estabelecimentos.

“Vamos fazer um controle bastante intenso na entrada de Monte Verde, com aferição de temperatura, verificação do percentual dos meios de hospedagem. A Vigilância Sanitária vai visitar todos os estabelecimentos, cuidando do distanciamento entre as mesas em restaurantes, o número de pessoas dentro de lojas, lanchonetes e etc. A nossa ideia é trabalhar com muita responsabilidade, com muito cuidado sanitário para que não tenhamos novamente a onda roxa aqui no Sul de Minas”, afirma o secretário de Turismo de Camanducaia, Bruno Rosa.

O novo decreto mantém a proibição de atividades, públicas ou privadas, com circulação ou potencial aglomeração de pessoas. Como, por exemplo:

  • bailes, shows, festas e apresentações artísticas;
  • feiras livres;
  • atividades artísticas, criativas e de espetáculos;
  • produção e promoção de eventos esportivos;
  • exploração de jogos de divertimento, como boliche, sinuca, bilhar, carteado e similares.

Também fica proibido, por tempo indeterminado, o consumo de bebidas alcóolicas em locais públicos do município de Camanducaia.

Monte Verde tem prejuízo de R$ 15 milhões

O fechamento do turismo e do comércio de Monte Verde, em razão da adesão à onda roxa, deve causar um prejuízo de aproximadamente R$ 15 milhões ao distrito de Camanducaia. O levantamento, realizado pela Agência de Desenvolvimento de Monte Verde e Região (MOVE), prevê o impacto dos 30 dias de paralisação.

A presidente da MOVE, Rebecca Wagner, defende que as consequências da pandemia poderiam ser abrandadas com consciência e segurança, “sem uma radicalização prejudicial aos meios de sobrevivência da população”. Segundo Rebecca, no segundo semestre de 2020, Monte Verde foi reconhecido pelo Ministério do Turismo como exemplo nacional na retomada do turismo de forma consciente e segura.

Agora, o distrito de Camanducaia se prepara para a temporada de inverno a fim de tentar minimizar esse prejuízo. “Estamos iniciando a partir do mês que vem nossa temporada de inverno, período que mais importa para nós todos os anos. Com isso, a gente vai trabalhar e poder não gerar desemprego. Ao contrário, gerar emprego e renda de forma responsável e cuidando também da saúde, que é nosso principal objetivo”, finaliza o secretário de Turismo.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.