0

Olho Vivo da PM flagra homossexual sendo espancado no Centro de Pouso Alegre

Magson Gomes
17/02/2020

Vítima já estava desacordada e agressor continuava os golpes. Ainda confuso, Alexandre acredita que tenha sofrido tantas agressões pelo fato de ser homossexual. Indignado, ele também acredita que não fosse a interferência da polícia, poderia ter sido espancada até a morte.

As imagens do Olho Vivo não foram liberadas. Foto: Terra do Mandu

Alexandre Ricardo Cândido, de 32 anos, voltou para casa no fim da tarde desta segunda-feira (17), em Pouso Alegre. Ele voltou descalço e com o rosto totalmente desfigurado.

Alexandre Ricardo ficou com o rosto desfigurado após ser espancado no Centro de Pouso Alegre. Foto: Terra do Mandu

Alexandre, que é homossexual, foi espancado durante alguns minutos por volta da 01h30 da madrugada de hoje, no Centro da cidade. Mesmo desmaiada, a vítima continuava sofrendo as agressões. O agressor era um homem, que não teve a identidade informada.

A câmera do Olho Vivo flagrou a ação. A interferência da PM impediu algo pior para a vítima.

O fato ocorreu na Rua João Basílio, próximo ao número 403, quase na esquina com a Rua Comendador José Garcia, onde está localizada uma das câmeras do sistema Olho Vivo na cidade.

De acordo com a polícia, Alexandre foi agredido com um soco no rosto e já caiu desacordado. Com Alexandre ainda desmaiado, o homem roubou o tênis da vítima, chaves e um celular.

Depois de pegar os objetos, o agressor passou a dar chutes na cabeça da vítima caída na calçada. Os chutes foram desferidos em outras partes do corpo de Alexandre.

A viatura da PM chega local e prende o agressor em flagrante. O homem foi conduzido até a delegacia, mas não ficou preso. Pelo que a reportagem apurou, no momento da ocorrência, sem condições de falar, Alexandre não informou que a agressão possa ter sido motivada pelo fato de ele ser homossexual. E ainda, o delegado que recebeu a ocorrência não considerou que houve roubo.

A vítima foi socorrida pelo SAMU e encaminhada ao Hospital das Clínicas Samuel Libânio.

Alexandre levou vários pontos no rosto e hematomas na cabeça. Ele teve o maxilar quebrado.

Alexandre conversou com a reportagem do Terra do Mandu. Ele diz estar indignado com as agressões sofridas. Ele acredita que foi agredido pelo fato de ser homossexual e porque o agressor queria roubá-lo.

Alexandre está em Pouso Alegre há uma semana. Ele é de Itajubá e iria começar a trabalhar como caixa numa loja justamente nesta segunda-feira.

No momento que foi espancado, Alexandre diz que voltava de um bar para casa.

O espancamento ocorreu nesse trecho da Rua João Basílio, próximo a Comendador. Foto: Terra do Mandu

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.