0

11 famílias são obrigadas a deixar suas casas após desmoronamento de parte dos imóveis no Jd Brasil II, em Pouso Alegre

Magson Gomes
20/08/2019

Segundo moradores, estruturas foram danificadas por obras em andamento de uma construtora. Já a construtora se exime de culpa, afirmando que tem todos os documentos para realização dos serviços e que problema estaria no conjunto habitacional construído através de programa da Caixa.

O motorista Francisco teve que sair às pressas com a família de sua casa própria. Na tarde desta terça-feira (20) o muro do imóvel desabou, levando junto toda área de serviço. Os objetos desceram cerca de cinco metros, formando um abismo na porta da cozinha.

Além da casa de Francisco, outras 10 residencias da Rua Florentina Ribeiro da Silva, no bairro Jardim Brasil II, na região do São João, também foram interditadas pela Defesa Civil. É o caso da casa do vendedor Rafael, que morava aqui com mais seis pessoas.

Os imóveis do Jardim Brasil II foram construídos através de programa habitacional da Caixa Econômica Federal para famílias de baixa renda.

De acordo com os moradores, o problema surgiu há mais de um ano, assim que começaram as obras para construção de prédios residenciais no terreno que faz fundo com as casas. Rafael filmou as máquinas da construtora tirando terra bem próximo do muro da casa dele.

Quando houve o desabamento dos taludes dos imóveis, a Defesa Civil e o Corpo de Bombeiros estavam vistoriando a área. As famílias que tiveram que tiveram os imóveis interditados foram para casas de parentes e outras foram encaminhadas para abrigos municipais.

O que diz a construtora

Nossa reportagem falou por telefone com a advogada que representa a construtora que mexe no terreno nos fundos da rua. De acordo com Mariana Gianini, a construtora tem todos os documentos que autorizam o andamento da obra. A advogada afirmou que a empresa possui laudos e alvará da prefeitura, além de uma perícia judicial respaldando o serviço que era feito no local.

Ainda de acordo com a advogada, o problema do desmoronamento não teria a ver com a nova obra e sim com o serviço realizado na construção do conjunto habitacional, com aterro sem base de concreto ou fundação.

Não conseguimos falar com os responsáveis na Caixa pela conjunto habitacional em Pouso Alegre. Porém, conforme informou a Defesa Civil, nesta quarta-feira (21) engenheiros da Caixa Econômica deverão ir ao local para vistoriar a área do desabamento e as casas atingidas.

Um advogado representa algumas dessas famílias da Rua Florentina. Ele conta que estão entrando com ações na justiça contra a Caixa e contra a construtora responsável pela nova obra nos fundos dos imóveis.

Após a publicação desta reportagem, a Caixa enviou resposta, através da assessoria de comunicação, já no fim da tarde desta quarta. Confira a nota na íntegra:

A CAIXA informa que o empreendimento Residencial Jardim Brasil II pertence ao Programa Minha Casa Minha Vida – Faixa 1, e foi entregue aos beneficiários em 11/06/2014, com obras executadas sob responsabilidade da construtora contratada. As obras do empreendimento foram recebidas pela Prefeitura que atestou sua conformidade por meio da emissão do habite-se em 23/05/2014.

A CAIXA esclarece que encaminhou uma equipe de engenharia para avaliar a situação do empreendimento.

A CAIXA ressalta que, por meio do programa De Olho na Qualid​ade, é possível registrar reclamações sobre ​as condições físicas do imóvel e exigir providências dos construtores. As reclamações recebidas são encaminhadas diretamente aos construtores, que devem emitir um laudo de contestação ou resolver o problema no menor tempo possível

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.