0

Rafael Simões afirma que irá pedir a rescisão do contrato de concessão com a Copasa

Magson Gomes
16/12/2020

Assunto já era discutido desde o ano passado, quando Simões gravou série de vídeos e a prefeitura entrou com ação na justiça contra companhia. Contrato de concessão com o município vai até 2046. VEJA VÍDEO ABAIXO.

O prefeito Rafael Simões afirma que irá pedir a rescisão do contrato de concessão de serviço da prefeitura com a Companhia de Abastecimento de Minas Gerais (Copasa). A afirmação foi feita nesta quarta-feira (16), em vídeo divulgado pela assessoria de imprensa da prefeitura, gravado durante visita a Pará de Minas, cidade onde tem os serviços de abastecimento de água e esgoto são prestados por empresa privada.

O prefeito de Pouso Alegre diz no vídeo que não pode continuar com a Copasa na cidade por causa dos preços de água e esgoto e pelo serviço prestado, citando que o serviço feito pela empresa privada em Pará de Minas é de ‘excelente qualidade e com menores taxas cobradas pelos serviços’.

Simões diz que foi tentado de todas as formas para que a Copasa prestasse um bom serviço para a população de Pouso Alegre.

“Nós queremos um serviço digno, como este que tem em Pará de Minas. Por isso estivemos com Antônio Júlio, que nos orientou para que tenhamos êxito nesse processo que vamos iniciar contra a Copasa. Agora não dá mais. Tentamos de todas as formas para que ela apresentasse um serviço de qualidade para o nosso povo. Não foi possível. Então vamos fazer a rescisão e vamos torcer para que Pouso Alegre tenha uma empresa tão boa como a que Pará de Minas conseguiu na licitação”, afirma Rafael Simões.

VEJA VÍDEO:

Prefeito já tinha feito ameaças de rescisão de rompimento com a Copasa

Em julho do ano passado, o prefeito gravou uma série de vídeos em diferentes bairros de Pouso Alegre para mostrar problemas relacionados aos serviços realizados pela Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) no município. O prefeito mostra locais com esgoto a céu aberto; esgoto vazando da tubulação da Copasa e esgoto caindo em córregos e rios, causando, além do mau cheiro, transtornos aos moradores e risco de doenças a crianças e idosos que, inevitavelmente, têm contato com os restos de dejetos sem qualquer tipo de tratamento.

Simões também mostrou ruas que tiveram o asfalto e o calçamento danificados em obras realizadas pela Companhia. O prefeito afirma nos vídeos que tal situação não será mais tolerada e ameaçava rescindir o contrato de concessão de fornecimento de água e coleta de esgoto que a Copasa tem com o município.

Antes dos vídeos, em março do ano passado, a prefeitura entrou com a ação contra a concessionário do serviço de abastecimento de água e saneamento da cidade alegando ineficiência na prestação do serviço, que tem causado danos à saúde da população e ao meio ambiente. Entre os pedidos da administração municipal, estavam que a empresa mapeie e acabe com todos os pontos de lançamento de esgoto in natura em córregos e rios da cidade; o fim da cobrança da taxa de esgoto, enquanto o serviço não for prestado 100% e a devolução do que já foi cobrado nos últimos 5 anos.

Concessão vai até 2046

A Companhia assumiu os sistemas de abastecimento de água e de esgotamento sanitário da sede de Pouso Alegre e do distrito de São José do Pântano em agosto de 1996. O contrato de concessão está vigente até o ano de 2046.

RETORNO DA COPASA

Entramos em contato com a assessoria de imprensa da Copasa sobre as afirmações feitas pelo prefeito de Pouso Alegre no vídeo desta quarta. Assim que recebermos esse retorno, publicaremos aqui nessa reportagem.

 

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.