0

Moradores lotam Câmara para protestar contra aumento de salário dos vereadores

Magson Gomes
18/09/2019

A proposta que aumentaria os salários em 61% foi arquivada horas antes, depois que vazaram áudios de conversas no WhatsApp entre vereadores combinando votação.

Muita gente ainda ficou do lado de fora. Foto: reprodução redes sociais

Na noite desta terça-feira (17), dezenas de moradores de Cambuí, no Sul de Minas foram à Câmara Municipal protestar contra uma possível votação de aumento de salário dos vereadores. Era tanta gente, que algumas pessoas não conseguiram entrar no prédio da Câmara. A população se manifestava com cartazes e gritos de ordem. Os vereadores tiveram dificuldades para falar. A Polícia Militar foi chamada para acompanhar a reunião e garantir a ordem.

A mobilização da população ocorreu depois que áudios de conversas em um grupo de WhatsApp de vereadores vazou. Na troca de mensagens, os parlamentares falam em votar proposta sem alertar a população;  um deles ainda pede que ninguém seja convidado para a sessão: ‘Quanta menas (sic) gente ir é melhor’, disse o vereador Luiz Paulo Nepomucenia (PV)  pede para os colegas não convidarem pessoas para acompanhar a sessão da Câmara que vai votar o projeto. “Quanta menas (sic) gente ir é melhor”. Já o presidente do Legislativo, Rafael Santos Lambert (PSDB), disse que “as pessoas já colocaram o rabo entre ‘a perna’ e dormiram em cima dele”, sobre pessoas que antes estariam se manifestando contra o projeto. (ouça os áudios abaixo)

Pelo projeto, os salários passariam de R$ 3.043,00 para R$ 4.900,00, um aumento de 61%. A proposta seria votada nesta terça, mas após o vazamento dos áudios, a Mesa Diretora resolver arquivar o projeto ainda no início da tarde de ontem.

Mesmo com a informação de que o projeto não seria mais votado, os moradores mantiveram a mobilização iniciada após o vazamento dos áudios e foram para a Câmara acompanhar a sessão.

Veja a íntegra da nota sobre o arquivamento do projeto:

|| COMUNICADO

A Câmara Municipal de Cambuí vem à público informar que atendendo aos anseios populares e reafirmando compromisso de sempre atender o melhor interesse do Município, após deliberação dos vereadores e acatamento da Mesa Diretora, os projetos de Lei de nº 057/2019 e 058/2019, que fixavam os subsídios dos Vereadores, Prefeito, Vice-prefeito, Secretários e Procurador para a próxima legislatura foram retirados de pauta e foram definitivamente arquivados, sendo que não há nenhum outro projeto tramitando com o mesmo conteúdo.

OUÇA OS ÁUDIOS

PRESIDENTE CONFIRMA O ÁUDIO E RETIRA O PROJETO

Nossa reportagem conseguiu falar com o presidente da Câmara. Rafael Santos Lambert confirma o áudio enviado no grupo de vereadores e diz que foi um desabafo. Ele afirma que mandou o áudio se referindo, sem citar nomes, a um grupo de pessoas que estava difamando o caráter dos vereadores e incitando a violência.

O presidente também disse que o projeto está tramitando com total transparência e que está dentro da legalidade. Segundo Rafael Lambert, “o salário dos vereadores de Cambuí poderia chegar até 30% dos salários dos deputados estaduais e está bem abaixo do limite”. Constitucional. Então não tem nada inconstitucional. A validade seria a partir de 2021, para a próxima legislatura”.

Depois da polêmica dos áudios vazados, o presidente da Câmara anunciou a retirada do projeto de tramitação e o arquivamento da proposta. Veja nota divulgada pela Câmara abaixo.

Não conseguimos falar com o vereador Luiz Paulo Nepomucenia, citado na reportagem.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.