Ambientalistas lançam projeto ‘Por Dentro dos Rios’ de Pouso Alegre

Rio Mandu, que já deu nome à cidade, é primeiro a ser percorrido por expedição. Problemas de degradação preocupam.

O Mandu é o principal rio de Pouso Alegre. A cidade surgiu e se desenvolveu no seu entorno. Nele fica a maior captação de água feita pela Copasa para abastecer a cidade. O Mandu já foi espaço de lazer de jovens, famílias inteiras em décadas passadas. Ele também deu nome a este lugar: Pouso Alegre do Mandu.

Diante dessa importância para Pouso Alegre é que ambientalistas fizeram uma expedição pelo Rio Mandu, dando início ao projeto Por Dentro dos Rios, que tem o objetivo de aproximar as pessoas dos rios que cortam a cidade, com exploração, monitoramento e coleta de dados. O projeto é coordenado pelo Instituto Fernando Bonillo.

A expedição atravessou nove quilômetros do Mandu, desde o bairro rural Cajuru até a área urbana, passando pelo bairro São Geraldo. Foram quatro horas para percorrer o trajeto e aconteceu no último fim de semana (13 de agosto).

A engenheira ambiental, Marielle Rezende de Andrade, o geógrafo e conselheiro técnico do Instituto Fernando Bonillo – IFB, Christian Valias, e o presidente do IFB, Diego Toledo Fernandes, participaram desta aventura.

Parte da equipe desceu o rio de caiaque, enquanto outra foi por terra, fazendo os registros fotográficos e vídeo.

No percurso da expedição foram coletadas as coordenadas geográficas de todos os lançamentos indevidos de esgoto ao longo do rio.

Degradação do Mandu preocupa

A engenheira ambiental Marielle Rezende de Andrade conta que ficou impressionada ao conhecer o Mandu de dentro para fora e que é preocupante acompanhar a degradação que ele sofre à medida que ele avança para a área urbana. “São muitos os pontos de lançamento de esgoto ao longo da cidade, lixo, falta de vegetação ciliar, que comprometem ainda mais a qualidade da água”, afirma Marielle.

Novas expedições de monitoramento serão feitas pelo Mandu. Para o geógrafo Christian Valias, que remou seu caiaque nas águas turvas do rio, é assustador ver a situação de abandono do Mandu. Para Valias, a expedição traz ânimo para buscar formas de recuperação do leito. “Foi uma experiência incrível e triste ao mesmo tempo, ver de perto tudo que as pessoas não percebem por fora. A remada foi difícil, porque além do rio estar muito baixo, também tivemos que tomar muito cuidado, pois o risco de contaminação era grande”.

A expedição Por Dentro dos Rios ainda vai passar pelo Sapucaí Mirim e o Sapucaí.

*Com fotos e informações do Instituto Fernando Bonillo.