Categoria: Saúde

Uma prótese foi implantada através de cateter, sem a necessidade de abertura do tórax da paciente, uma senhora com diabetes, e o procedimento convencional não era indicado. A cirurgia minimalista foi necessária para corrigir a abertura da válvula do coração, problema que atinge 5% da população brasileira acima dos 65 anos.

Prótese é guiada até o coração via cateter. Foto: reprodução Hospital Renascentista.

A equipe de cardiologia do Hospital Renascentista, em Pouso Alegre, comemora o sucesso em um procedimento intervencionista inédito realizado no Sul de Minas. A equipe, liderada pelo médico cardiologista Alexandre Bonfim, coordenador da Unidade de Hemodinâmica do hospital, fez a troca da válvula aórtica do coração de uma paciente de maneira minimamente invasiva. O implante foi percutâneo, em que se faz uma punção na pele para o acesso aos órgãos internos da pessoa, sem a necessidade de usar o bisturi e abrir o tórax da paciente. O procedimento cirúrgico, chamado de TAVI, foi realizado em fevereiro, mas divulgado essa semana.

No caso realizado na paciente de Pouso Alegre foi adotada uma estratégia minimalista, sem necessidade de anestesia geral (somente sedação) e a funcionária pública recebeu alta hospitalar após apenas 3 dias de internação.

O implante permite a correção em uma redução no diâmetro da válvula aórtica, um problema cardíaco que atinge cerca de 5% da população brasileira acima de 65 anos. Há bem pouco tempo, para realizar a troca da válvula aórtica, só existia a cirurgia convencional, em que é necessária a abertura do tórax do paciente. No procedimento percutâneo, a válvula que é implantada permite restabelecer volumes normais de passagem do fluxo de sangue do ventrículo esquerdo para a aorta.

Equipe que realizou o TAVI, coordenada pelo médico Alexandre Bonfim. Foto: reprodução

Para quem o procedimento é indicado

Atualmente, a indicação do implante percutâneo de biopróteses aórticas restringe-se a um seleto grupo de pacientes que, pela idade avançada (acima de 65 anos) e doenças crônicas associadas, como o diabetes, e tenham contraindicação ou risco elevado para o tratamento cirúrgico convencional. Nesse grupo, a abordagem por cateter tem elevada chance de sucesso e pode oferecer mortalidade inferior àquela esperada com o tratamento cirúrgico.

O cardiologista intervencionista e coordenador da Unidade de Hemodinâmica do Hospital Renascentista, Alexandre Bonfim, explica que, após definido o diagnóstico pelo cardiologista clínico e opção pelo tratamento percutâneo para os casos com indicação, o paciente deverá passar por avaliação com médico hemodinamicista, em uma consulta pré-cirúrgica.

Como é feito o implante

O procedimento então é agendado para ser realizado na sala de hemodinâmica do hospital, local onde se realizam cateterismos cardíacos e angioplastias. O procedimento consiste em colocar uma prótese no anel valvar aórtico, por via percutânea (por punções na virilha). A prótese, compactada em um dispositivo, é guiada por um cateter através da aorta, sob visão de radioscopia (raio-X) e ecocardiografia, até ser posicionada no anel aórtico. Uma vez posicionada, sua localização é confirmada pela ecocardiografia e pequenas injeções de contraste. Em seguida, libera-se a prótese e retira-se o cateter, terminando o procedimento.

“Há bem pouco tempo esse procedimento só era realizado em grandes centros com Belo Horizonte e São Paulo. Para os pacientes da região do Sul de Minas, esse procedimento pioneiro traz novas perspectivas para a região pois poderão ser realizados em Pouso Alegre”, comemora o diretor executivo do hospital, Andrei Alkmim.

Categoria: Saúde

Castramóvel está na Praça de Esportes, das 08h às 13h. Para participar do programa, é necessário fazer um cadastro na sede da Defesa Civil.

Cirurgias são feitas por uma equipe de veterinários. Foto: Ascom PMPA

Famílias de baixa renda, sem condições para cadastrar seus cães e gatos, podem se cadastrar na Defesa Civil de Pouso Alegre para ter os animais esterilizados. O mutirão de castração está em andamento esta semana. O Castramóvel, um ônibus coletivo adaptado em clínica veterinária, está estacionado na Praça de Esportes. O mutirão é realizado de terça a sexta-feira, das 08h às 13h.

Segundo a prefeitura, no ano passado, 700 animais foram esterilizados, entre selecionados por ONGs de proteção animal, os abandonados nas ruas e animais de famílias, comprovadamente, de baixa renda. A meta para este ano é castrar 30 animais, por dia, enquanto durar a campanha.

Como fazer o cadastro

Quem ainda não se cadastrou, deve comparecer na Praça de Esportes, onde o Castramóvel está estacionado, com cópias do RG, CPF e comprovante de residência. O cadastro também pode ser feito na sede da Defesa Social, que fica na Avenida Abreu Lima, nº 84, no Centro. O cadastro deve ser feito pessoalmente pelo proprietário ou tutor do animal. Mais informações: (35) 3449-4317.

Fala do veterinário

O veterinário Renato Junqueira Rodrigues explica que o trabalho é de controle populacional de animais doméstico. “A castração de fêmeas visando o controle populacional é a única saída que nós temos para acabar com o abandono, com o sofrimento dos animais que perambulam pelas nossas ruas. Se a gente começar a castrar, castrar, uma hora vai diminuir muito o número de animais [nas ruas]”, afirma o veterinário.

Os animais que forem passar pela cirurgia tem que estar em boa saúde, em jejum de 12 horas e banho tomado. Antes do procedimento a equipe do Castramóvel ainda faz uma triagem para ver as condições do animal e seguir com a cirurgia.

Protetora diz que programa é importante, mas precisa ser ampliado

Para a presidente da ONG SOS Bichos, Carla Viviane Fernandes, o mutirão é fundamental para o controle do número de animais abandonados nas ruas. Porém, a protetora afirma que o programa precisa ser ampliado e precisa ser trabalhado com outras ações.

“É a única medida eficaz para o controle da superpopulação de animais abandonados que existe no país todo. O mutirão é uma das frentes importantes que precisam ser trabalhadas em conjunto, que são a conscientização, a fiscalização, a castração e a punição”.

“Embora seja importante, o número ainda é baixo em relação a demanda. Pouso Alegre precisaria de, no mínimo, quatro mil castrações por ano para daqui há cinco anos ter um resultado efetivo no número de animais abandonados”, diz Carla.

Castramóvel é usado para os mutirões de castração. Foto: Terra do Mandu

Categoria: Saúde

Nova autoclave, usada para esterilizar material cirúrgico, custou R$ 224 mil e é 70% mais econômica no consumo de energia.

Autoclave utilizada atualmente pesa na conta de energia do final do mês. Foto: Terra do Mandu

Com uma conta de energia elétrica que beira os R$ 150 mil por mês, o Hospital das Clínicas Samuel Libânio recebeu uma nova máquina para esterilizar os materiais cirúrgicos. A autoclave doada pela Cemig, será instalada nos próximos dias. Segundo a Cemig, o equipamento custou R$ 224 mil, e é um investimento feito através do programa de eficiência energética.

De acordo com o agente de relacionamento da empresa, Alexandre Ribeiro de Almeida, o programa irá destinar R$ 40 milhões em equipamentos e melhorias para 73 hospitais do estado.

“Estão previstas a substituição de autoclaves para equipamentos mais modernos, mais inteligentes, que consomem muito menos energia, e menos água, porque a esterilização é feita em menor tempo. Então, gera uma economia de até 70% em relação às autoclaves antigas”, afirma o representante da Cemig que ainda diz que estão previstas a substituição da iluminação do hospital para lâmpadas de LED e a troca das secadoras de lençóis e demais tecidos do HCSL.

O presidente da Fundação de Ensino Superior do Vale do Sapucaí (FUVS), instituição mantenedora do hospital, José Walter da Mota Matos, comemora a doação do equipamento e diz que, após a instalação dos equipamentos, o HCSL irá reduzir a conta de energia de até R$ 20 mil por mês.

“Nesse momento de grave crise financeira, onde nós temos repasses de recursos [do governo do estado] em atraso, toda economia, toda redução de custos é bem-vinda”, afirma o presidente da FUVS.

veja no vídeo:

Categoria: Saúde

Hospital Renascentista suspendeu os atendimentos há uma semana. Clínica que faz hemodiálise pelo Ipsemg também promete parar a prestação do serviço. Servidores reclamam que os descontos no holerite continuam. O hospital credenciado disse que só retomará os serviços após receber os R$ 3 milhões em atraso.

Milhares de servidores públicos de Minas Gerais estão sem atendimento hospitalar na região de Pouso Alegre. O Hospital Renascentista, conveniado ao Instituto de Previdência de Minas Gerais (Ipsemg), suspendeu os atendimentos há uma semana por não estar recebendo pelos serviços prestados há mais de cinco meses. Segundo a direção do hospital, a dívida já se aproxima dos R$ 3 milhões.

Diante da falta de previsão para o pagamento dos valores em atraso, o diretor Executivo do Renascentista, Dr. Andrei Alkmim, explica que não era mais possível manter o serviço já que a dívida se aproxima de R$ 3 milhões. Em 2018 foram 13 mil atendimentos médico e mais 600 procedimentos cirúrgicos, incluindo serviço de alta complexidade, como cirurgias cardíacas.

O diretor do hospital afirma que os atendimentos só serão retomados após receber o valor integral que está atrasado.

Na mesma rede desse hospital, há uma clínica de hemodiálise que atende, atualmente, 19 pacientes via Ipsemg e que também promete suspender os atendimentos até o fim deste mês de abril. O diretor da clínica, Luíz Beraldo, explica que desde o ano passado, a clínica não tem recebido do órgão estadual o pagamento pelos serviços prestados.

Dona Maria Marcélia da Silva mora em Cachoeira de Minas e vem a Pouso Alegre três vezes por semana para trazer o marido para sessões de hemodiálise na clínica particular. Marcélia é professora aposentada do estado e o atendimento do marido é feito através do Ipsemg, que ela paga para ser beneficiária. Porém, a professora já está aflita porque recebeu o comunicado da clínica onde é informado que o atendimento poderá ser suspenso.

A professora aposentada ainda questiona que o contracheque dela vem o desconto do Ipsemg, mas para onde está indo esse dinheiro?

Veja as declarações na reportagem em vídeo acima

O OUTRO LADO

Nossa reportagem entrou em contato com a assessoria de comunicação do Ipsemg através de e-mail e por telefone.

Ao telefone foi dada a resposta de que os pagamentos serão feitos em escalas aos hospitais e clínicas que estão com atrasos nos repasses. Mas que não há uma data para que o dinheiro seja depositado para cada instituição de saúde e nem previsão de valores.

A resposta das perguntas enviadas pelo e-mail ainda não foram respondidas.

Em audiência pública realizada na Assembleia Legislativa na semana passada, o presidente do Ipsemg, Marcus Vinicius de Souza, salientou que, apesar de todos os problemas e mesmo com sobrecarga, o instituto está funcionando. Ele explicou que a instituição trabalha com a participação do servidor e com a do Estado e que, ao longo dos anos, tem ocorrido uma dificuldade em receber a parte dos repasses patronal.

Segundo relato do presidente audiência na ALMG, o orçamento do Ipsemg é de R$1,2 bilhões neste ano e a sua dívida com a rede credenciada soma R$300 milhões. “Os pagamentos estão sendo feitos, mas com dificuldades. Em 2019, foram empenhados R$180 milhões”, disse.

Categoria: Saúde

Os pacientes infectados já passaram por tratamento e estão em casa. Em 2018 foram dois casos no município.

41 casos foram enviados para análise. 13 descartados, 23 ainda sem resultados e 5 confirmados. Foto: Terra do Mandu

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde de Pouso Alegre já são cinco casos confirmados de dengue na cidade em 2019, todos eles autóctones, ou seja, o paciente contraiu a doença dentro do próprio município. O primeiro caso foi confirmado em um jovem de 17 anos no início do mês passado.

Ainda de acordo com a Secretaria de Saúde, neste ano foram 41 notificações de casos suspeitos, desses, 13 já foram descartados e 23 continua sob análise.

Em todo o ano passado a cidade havia registrado apenas dois casos de dengue locais e um caso de morador de Pouso Alegre que contraiu em outro município.

Em todos os casos confirmados neste ano, os pacientes já foram medicados em estão em casa.

Focos do mosquito e ações de combate

Ainda segundo Secretaria de Saúde, as ações de prevenção devem continuar em todo o município, mesmo com o fim do verão. Os agentes de saúde continuarão com o trabalho preventivo e de orientações em todos os bairros da cidade, através da busca ativa, capacitação de profissionais, resgate de imóveis fechados e fumacê.

Trabalho de combate e prevenção continua mesmo após o fim do verão. Foto: Ascom PMPA

Segundo o departamento de zoonoses do município, no levantamento feito em janeiro, eram 141 focos do mosquito Aedes aegypti por toda a cidade. Esses pontos e suas vizinhanças são monitorados para extinguir as larvas do hospedeiro da doença.

Sintomas da dengue

Os sintomas mais comuns da dengue são febre repentina, dores de cabeça e ao redor dos olhos, dores no corpo e manchas avermelhadas. Se você sentir um ou mais desses sintomas combinados, é preciso procurar uma unidade de saúde.

Categoria: Saúde

Vídeo gravado por morador, mostra caminhonete do supermercado transportando carne na carroceria, sem refrigeração ou cobertura. O estabelecimento divulgou nota informando que funcionário agiu sozinho e que carne não foi colocada à venda.

Vigilância apreendeu carne que tinha sido transportada irregularmente. Foto: Vigilância sanitária

Na manhã desta segunda-feira (18) fiscais da Vigilância Sanitária de Pouso Alegre e policiais militares estiveram em um supermercado da cidade para verificar denúncia de transporte irregular de carne. Um vídeo gravado por um morador mostra carnes sendo transportadas sobre uma caminhonete, sem refrigeração e em espaço aberto, sem cobertura. O vídeo foi gravado na tarde deste domingo (15). O veículo teria estacionado na loja que fica no bairro Foch.

 

Os fiscais e policias ficaram boa parte da manhã dentro da loja. Após a inspeção, a Vigilância apreendeu mais de 100 kg de carne de porco foram apreendidos e serão descartados no Aterro Sanitário de Pouso Alegre. Ainda segundo a Vigilância, a carne não tinha sido levada para a área de consumo (açougue) do supermercado.

Ainda de acordo com a Vigilância Sanitária de Pouso Alegre, um processo administrativo foi instaurado e um boletim de ocorrência na Polícia Militar foi registrado por se tratar de crime contra a saúde pública.

Foto: Vigilância Sanitária de Pouso Alegre

Supermercado divulgou nota

Em nota divulgada hoje, o supermercado diz que um funcionário agiu por conta própria e buscou a carne de porco na caminhonete em outra loja ao ver que já estava em falta no açougue da unidade em que trabalha. Na nota, o próprio supermercado afirma que o transporte foi feito de “maneira totalmente errada” e que repudia “qualquer ato que não esteja de acordo com as normas sanitárias”.

Carne estava na carroceria da caminhonete. Foto: reprodução redes sociais

A direção do supermercado também afirma que a carne foi separada para descarte. “Informamos que, ao chegar esta carne na loja, ao constatar a maneira errada de transporte, essa carne já foi separada para descarte, não chegando ir para dentro da área de vendas do açougue. Pedimos desculpa pelo ocorrido e por ter causado uma má impressão, que todos sabem, não é nossa prática”, diz o comunicado divulgado pela empresa.

ÍNTEGRA DA NOTA ENVIADA PELO SUPERMERCADO

Categoria: Saúde

Iniciativa é do Instituto Melhores Dias, em parceria com a General Mills (Yoki) e prefeitura. Programa teve início em 2016 e já criou mais de 25 hortas escolares, além de inspirar outras centenas nas comunidades.

Alunos da escola municipal no bairro Certo em atividade na horta. Foto: Instituto Melhores Dias

Com o objetivo de promover uma alimentação adequada e saudável para as crianças nas escolas, no combate à fome e desnutrição, em julho de julho de 2016 o Instituto Melhores Dias deu início nas escolas municipais de Pouso Alegra ao programa Horta Brasil. A entidade sem fins lucrativos tem o apoio da empresa General Mills e a parceria com a prefeitura da cidade.

De acordo com o Instituto Melhores Dias, através do programa são feitos treinamentos para professores, merendeiras e agentes comunitários sobre saúde, educação sanitária, hortas e nutrição; jogos educativos para crianças sobre hábitos saudáveis; atividades de prevenção à obesidade infantil; construção e manutenção de hortas escolares; e workshops para a comunidade para promover a construção de hortas domésticas. Tem ainda o trabalho de melhora da merenda escolar com produtos das hortas cultivadas ali mesmo, com as atividades educacionais utilizando essas hortas. Os alunos também passam por avaliação do estado nutricional.

Números do programa em Pouso Alegre

Desde que foi implantado em Pouso Alegre, o programa Horta Brasil já envolveu 1031 professores, 112 merendeiras e 270 voluntários. Foram construídas 25 hortas escolares, que inspiraram a comunidade a montar 202 hortas domésticas e uma horta comunitária.

Criança de escola de Pouso Alegre rega hortaliças na escola. Foto: Instituto Melhores Dias

Atualmente, a ação está presente nas 34 escolas públicas do município, levando conhecimento e meios para uma alimentação mais saudável e nutritiva, com bons hábitos de saúde e de higiene para 13.486 alunos do Ensino Fundamental e cerca de 54.000 pessoas das comunidades em torno dessas escolas.

Durante a execução do programa é feita a avaliação nutricional e diagnóstico das crianças. Para isso tem a medição e acompanhamento de altura, peso e exames de hemoglobina das crianças; testes de conhecimento sobre nutrição e estilo de vida saudável para alunos e professores.

Os alunos que apresentam algum problema nutricional, é feito um tratamento de suplementação de ferro quando necessário e com autorização dos pais ou responsáveis.

Visita à escola que tem o projeto

Neste mês, técnicos do Instituto, representantes da General Mills e da prefeitura de Pouso Alegre estiveram na Escola Municipal Sabina de Barros Mendonça, no bairro do Cervo, zona rural, que tem o programa em andamento e mantém uma horta cultivada pelos alunos.

A presidente do Instituto Melhores Dias, Joyce Capelli, destaque que tem sido fundamental a parceria de empresas para manter o programa e melhorar a nutrição das crianças participantes e criar oportunidades em escolas e comunidades no Brasil. “O Instituto Melhores Dias conseguiu impactar a vida de muitas crianças brasileiras por meio de um programa integrado de saúde, educação e bem-estar, focado no desenvolvimento de uma cultura de hábitos saudáveis entre as comunidades”. As ações do Instituto são desenvolvidas de 1993 e já beneficiaram mais de 2,5 milhões de crianças no Brasil.

Crianças em uma horta escolar. Foto: Instituto Melhores Dias

A secretária municipal de Educação de Pouso Alegre, Leila de Fátima Fonseca, diz que o programa é importante para os alunos e para toda comunidade escolar. “A partir de ensinamentos que tiveram nas escolas, ficaram motivados em cultivar hortas em suas casas e melhorar a alimentação de toda família”. A secretária ainda ressalta que o programa ajuda a tirar o foco dos alunos do mundo digital. “Este projeto exige, naturalmente deles, um tempo maior de preparação da terra, cuidados com as plantas, colheita e alimentação, além de passarem mais tempo em contato com a natureza possibilitando desenvolver novas habilidades e descobertas pedagógicas”, afirma a secretária de Educação.

“Esse programa é um orgulho para todos os colaboradores de diferentes partes do país. Muitos de nós, da General Mills, somos voluntários nas atividades do projeto juntamente com a equipe do Instituto Melhores Dias. Acompanhamos de perto e com muito carinho a evolução de todos esses meses de trabalho. Não poderíamos estar mais felizes com os resultados já alcançados e esperançosos com as novidades que estão por vir”, afirma Queli Catalani, Gerente de Assuntos Corporativos da General Mills Brasil.

 

 

Categoria: Saúde

Secretaria Municipal de Saúde de Pouso Alegre confirmou essa semana que rapaz de 17 anos contraiu a doença.

Agentes de zoonoses aplicam fumacê em Pouso Alegre. Foto: Ascom PMPA

Depois da confirmação do primeiro caso de Dengue em Pouso Alegre no ano de 2019, o departamento de zoonoses de Pouso Alegre intensificou o trabalho de combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da doença. Equipes estão aplicando “fumacê” na região do bairro Primavera, onde o paciente que contraiu a doença mora. Pelos menos, 10 agentes de combate a endemias participaram da ação no bairro.

Um rapaz, de 17 anos, contraiu a Dengue tipo 2. Ele já está se cuidando em casa. Ainda de acordo com a Secretaria de Saúde, no ano passado foram dois casos de Dengue autoctone, ou seja, quando o paciente é infectado dentro do próprio município, e um caso importado.

LEIA MAIS: Secretaria de Saúde confirma 1º caso de dengue em 2019 contraído em Pouso Alegre

O coordenador de Zoonoses, Ramiro Pereira, explica que o “fumacê” não é tóxico ao ser humano e é um procedimento liberado pelo Ministério da Saúde. “Basicamente o composto leva uma quantidade controlada de produto químico e água. Um vaporizador é utilizado para a pulverização nos quarteirões onde há casos suspeitos”.

Ainda de acordo com a prefeitura, outros bairros também deverão receber o “fumacê” nos próximos dias, além da intensificação do trabalho rotineiro de visita dos agentes de combate a endemias às residências.

Além dessas ações, a secretária de Saúde, Sílvia Pereira, ressalta que é necessária a participação da população nesse trabalho de não deixar água parada em lugar nenhum e evitar, de todas as formas, a proliferação das larvas do inseto. Os quintais, caixas d´água e calhas devem ser verificadas e limpas pelos próprios moradores.

Focos do mosquito por toda a cidade

Segundo o departamento de zoonoses do município, existem focos do mosquito Aedes aegypti por toda a cidade. No último levantamento feito em janeiro, eram 141 pontos monitorados com larvas do hospedeiro da doença.

Sintomas da dengue

Os sintomas mais comuns da dengue são febre repentina, dores de cabeça e ao redor dos olhos, dores no corpo e manchas avermelhadas. Se você sentir um ou mais desses sintomas combinados, é preciso procurar uma unidade de saúde.

Categoria: Saúde

Mais de duas toneladas de carne de frango foram apreendidas. Segundo IMA, local abatia três toneladas de frangos e porcos por semana.

Abatedouro clandestino é fechado em SRS. (Foto: PMMG)

Após denúncia anônima, fiscais do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) fecharam um abatedouro clandestino, nesta quinta-feira (14), na zona rural de Santa Rita do Sapucaí. No local era feito o abate de frangos e porcos três vezes por semana, totalizando três toneladas de carne. O produto era comercializado na cidade, segundo informou um dos donos aos fiscais do IMA.

No momento da ação de hoje, havia duas toneladas e meia de carne de frango já processada, pronta para ser vendida. Toda a carne foi recolhida por um caminhão de lixo da prefeitura e levada para o aterro sanitário de Santa Rita.

Segundo o IMA, o abatedouro funcionava há anos no local e era u negócio de família. Ainda segundo o IMA, havia um curral que foi adaptado como abatedouro, criando outras instalações. Porém, não oferecia condições higiênicas e nem tinha autorização para funcionar como abatedouro.

Abatedouro clandestino é fechado em SRS. (Foto: PMMG)

A Polícia Militar de Meio Ambiente deu apoio aos funcionários do IMA durante o cumprimento da fiscalização. Ninguém foi preso.

Categoria: Saúde

O rapaz de 17 anos contraiu a doença na cidade. Ele já está em casa. Segundo a prefeitura, existem focos em quase 150 pontos de Pouso Alegre

Secretaria de Saúde informa que ações de combate ao Aedes aegypti estão sendo intensificadas. Foto: Terra do Mandu

Um rapaz de 17 anos é a primeira vítima a contrair dengue em Pouso Alegre no ano de 2019. A informação foi confirmada nesta quarta-feira (13) pela Secretaria Municipal de Saúde. Neste caso, o paciente foi infectado dentro da cidade, diferente de pessoas que pegam a doença em outros municípios.

Ainda de acordo com a prefeitura, o jovem, que é morador do bairro Primavera, faz o tratamento em casa.

Focos do mosquito por toda a cidade

Segundo o departamento de zoonoses do município, existem focos do mosquito Aedes aegypti por toda a cidade. No último levantamento feito em janeiro, eram 141 pontos monitorados com larvas do hospedeiro da doença.

Sintomas da dengue

Os sintomas mais comuns da dengue são febre repentina, dores de cabeça e ao redor dos olhos, dores no corpo e manchas avermelhadas. Se você sentir um ou mais desses sintomas combinados, é preciso procurar uma unidade de saúde.

Ações de combate

A Secretaria de Saúde também informou que as ações de combate ao mosquito transmissor estão sendo intensificadas. Mas é necessária a participação da população nesse trabalho de não deixar água parada em lugar nenhum e evitar, de todas as formas, a proliferação das larvas do inseto. Os quintais, caixas d´água e calhas devem ser verificadas e limpas pelos próprios moradores.