Categoria: Política

Proposta vencedora fez oferta de R$ 19,6 milhões. O valor do edital era de até R$ 29,2 milhões. Obra deverá começar ainda em 2020, com previsão de conclusão até 2022.

A prefeitura de Pouso Alegre anunciou, nesta terça-feira (28), a empresa vencedora da licitação para a execução da obra de construção da Avenida Faisqueira. Empresa responsável pelas obras será a Duro na Queda que, segundo a prefeitura, fez uma oferta quase R$ 10 milhões abaixo no previsto inicialmente no edital, que era de R$ 29 milhões.

Cinco empresas participaram do certame. A primeira etapa do processo ocorreu no início do mês, quando houve recursos por duas concorrentes e o resultado foi adiado. Participam da licitação: Duro na Queda – Mecanorte – Pavidez – Poros e Schunck.

Primeira etapa da licitação com abertura dos envelopes ocorreu no início do mês. Foto: Terra do Mandu

A proposta vencedora foi de R$ 19.671.547,64. O resultado não teve recursos por parte das demais empresas. Sendo assim, o próximo passo é a homologação do resultado parte da Secretaria de Obras para a assinatura do contrato.

A expectativa da administração municipal é de que as obras sejam iniciadas ainda em 2020, com previsão de conclusão em até dois anos.

Sobre a Via Faisqueira

A via terá quase 2,5 km de extensão, com 32 metros de largura. Todo trajeto terá ciclovia, acostamento, passeio, canteiro central e contará iluminação pública e plantio de árvores, na chamada faixa verde.

Foto – divulgação prefeitura

Único acesso pela Rua Antônio Scodeler

Os moradores da região do Faisqueira têm hoje um único acesso. Nos horários de pico é um sufoco andar pela Rua Antônio Scodeler.

Categoria: Política

PEC está em discussão na Assembleia de Minas e poderá aumentar tempo de contribuição e retirar benefícios de servidores na hora da aposentadoria, diz organizadores do ato.

Servidores da Polícia Civil realizaram um protesto em frente à Delegacia Regional de Pouso Alegre, na manhã desta terça-feira (14). O ato foi um manifesto contra a Reforma da Previdência proposta pelo Governo do Estado e que já tramita na Assembleia Legislativa. A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 55/2020 poderá ser votada no mês que vem.

O ato em Pouso Alegre reuniu policiais, investigadores, delegados, peritos criminais, escrivães de delegacias que compõem o 17º Departamento de Polícia Militar. VEJA VÍDEO SOBRE A MOBILIZAÇÃO:

Policiais civis fazem protesto contra reforma da previdência do estado

Posted by Terra do Mandu on Tuesday, July 14, 2020

A proposta de Reforma da Previdência de Minas Gerais prevê, como idade mínima para aposentadoria no Estado, 62 anos para as mulheres e 65 anos para os homens, desde que o servidor em questão atenda outros critérios, como o tempo de contribuição que passa a ser de 30 anos para mulher e 35 anos para homem. Além disso, direitos como férias prêmio e quinquênios também serão revistos.

Outro ponto é a possibilidade de aumento das alíquotas de desconto dos funcionários públicos ao regime de previdência do Estado, que podem chegar a 19%.

Uma das reivindicações dos funcionários públicos é o direito de participar da discussão da proposta que interfere diretamente na vida de todos. Porém, como a proposta entrou para discussão durante o período de pandemia, com reuniões virtuais, não foi disponibilizado nenhum canal que possibilitasse a contribuição popular.

Segundo um dos organizadores do ato, o perito criminal Luiz Cláudio Gonçalves, a retirada de direitos que já fazem parte da estrutura, inclusive quando ingressam no serviço público, pode gerar reflexos negativos na prestação de serviços para a população. “Em defesa da sociedade Mineira, os servidores públicos da Polícia Civil de Minas Gerais se manifestam!. Não podemos silenciar diante do prejuízo social que a extinção de direitos dos servidores pode trazer para o cidadão mineiro”, ressalta o policial civil.

Os organizadores do protesto agendaram reuniões com deputados estaduais da região para discutir o assunto e buscar alterações na PEC 55/2020.

Categoria: Política

Sargento Campos foi vereador por dois mandatos em Pouso Alegre. Ele acertou um dos tiros que matou o ladrão mais procurado no Brasil em meados de 1982.

Ex-vereador Sargento Campos – reprodução Câmara Municipal

Morreu neste sábado (11), em Pouso Alegre, o ex-vereador e policial militar José Lúcio Campos, conhecido como Sargento Campos. Na época em que era policial, Campos participou da ação que resultou na morte de Fernando da Gata, criminoso que aterrorizava famílias de São Paulo, Pouso Alegre e região nos anos 80.

O sargento Campos tinha 75 anos e faleceu no Hospital das Clínicas Samuel Libânio, onde estava internado. A causa da morte não foi divulgada. O velório é realizado na Funerária Santa Edwiges, e o sepultamento será no domingo (12), às 08h, no Cemitério Jardim do céu.

Em nota divulgada pela Câmara Municipal de Pouso Alegre informa que o sargento Campos foi vereador por dois mandatos; 93/96 e 96/2000. Em 1994 ocupou o cargo de primeiro secretário da Mesa Diretora.

“Em 1998 foi um grande defensor do projeto que resultou na produção do documentário dos 150 anos de Pouso Alegre, por meio do Museu Histórico Municipal Tuany Toledo.

Em 2018 recebeu homenagem na Câmara por sua contribuição para o desenvolvimento rural, enquanto parlamentar.

Como policial militar participou da ocorrência que resultou na morte de Fernando da Gata, um criminoso que aterrorizou a cidade de Pouso Alegre no início dos anos 80”, diz a nota da Câmara.

Morte de Fernando da Gata

Segundo os jornais da época, o sargento Campos, da Guarda Florestal, foi quem acertou um dos tiros que mataram o criminoso Fernando da Gata em meados do ano de 1982. A ocorrência foi às margens do Rio Sapucaí, em Santa Rita do Sapucaí, durante um cerco ao homem que era um dos mais procurados do Brasil por assaltos e estupros ocorridos na capital Paulista e havia fugido para Pouso Alegre.

Ainda de acordo com os relatos na imprensa, Fernando Soares Pereira nasceu em 1961 no interior do Ceará. Foi para São Paulo onde trabalhou como servente de pedreiro. Logo apareceram as ocorrências de roubos e estupros em mansões da capital paulista.

A polícia de São Paulo identificou o homem ao checar que na cidade do Ceará de onde saiu ocorreram crimes idênticos. Ao tentar prendê-lo, o rapaz, com 21 anos de idade, conseguiu escapar do cerco policial e fugiu para um novo lugar. Devido a maneira como agia pulando muros para cometer crimes e a fuga, os policiais o apelidaram de Fernando da Gata.

A história do criminoso foi contata no programa Fantástico, da rede Globo. Logo, os pouso-alegrenses perceberam que os crimes recém ocorridos na cidade teriam sido cometidos pelo ‘famoso ladrão’.

Fernando da Gata nas machetes dos jornais da época. Reprodução

Eram meados de 1982. Contam os jornais da época que esgotaram as armas vendidas em lojas da região. Todas as famílias queriam se proteger do bandido.

“Ele pulava muros e quintais usando apenas um calção, dominava cães ferozes com um simples estalar de dedos, entrava nas ricas mansões de revolver em punho, estuprava a dona da casa no seu quarto com o marido trancado no banheiro ao lado ou na presença dele mesmo, comia refeições frias ou quentes preparadas pela dona da casa. As vezes fazia xixi – e o ‘dois’ também – nos pratos e panelas e ia embora levando somente objetos que pudesse carregar nas mãos ou numa sacolinha presa à cintura; joias”, diz trecho do livro ‘Meninos Que Vi Crescer’, de Ayrton Chips.

 

Em setembro de 1982, cerca de um mês depois de chegar ao Sul de Minas, Fernando da Gata foi morto na ação policial, às margens do Rio Sapucaí, em Santa Rita do Sapucaí. Houve um cerco policial contra o bandido, que mesmo ferido, conseguiu atravessar a nado o rio. Do outro lado estava o sargento Campos, que fez mais um disparo e o ladrão voltou para a outra margem do rio, onde o corpo foi encontrado.

Categoria: Política

De acordo com o documento, as medidas são necessárias devido ao aumento de casos de contágio pela Covid-19 e mortes pela doença na cidade. Pouso Alegre tem 443 casos confirmados e 11 vítimas fatais.

O prefeito de Pouso Alegre, Rafael Simões (DEM), assinou novo decreto nº 5.175, nesta quinta-feira (09), onde acrescenta novas regras ao decreto 5.147, de 28 de abril, sobre o enfrentamento da pandemia da Covid-19 no município.

Em vídeo divulgado nesta sexta-feira, Rafael Simões fala das novas medidas.

O documento de abril permitiu a volta do funcionamento de bares, restaurantes e academias. Porém manteve restrições para outros serviços e atividades, que, agora, são ampliadas.

Segundo o texto, as medidas são necessárias tendo em vista o aumento dos casos de pessoas contaminadas pelo novo coronavírus e as mortes em decorrência de complicações da doença.

Isolamento social das pessoas do grupo de risco

No decreto de abril, era recomendado o isolamento social de pessoas consideradas do grupo de risco. Agora, fica determinado o isolamento social desse grupo que inclui idosos acima de 60 anos, gestantes e pessoas com doenças respiratórias crônicas. Essas pessoas só devem sair para compromisso de trabalho ou atividade estritamente necessária.

O decreto ainda estabelece que os idosos só terão direito à gratuidade do transporte público no período das 09h às 16h.

Suspende ambulantes

O texto do novo decreto também suspende a atividade de ambulantes nas ruas de Pouso Alegre. No documento de abril já estavam suspensas atividade como eventos públicos e particulares, cinemas, boates, campos de futebol e quadras por serem considerados locais que possibilitam a aglomeração de pessoas.

O comércio ambulante em Pouso Alegre foi motivo de reclamações por parte da Acipa. Em nota enviada à redação do Terra do Mandu a entidade que representa os comerciantes já questionava o aumento no número de vendedores nas ruas do Centro da cidade.

“Tal prática é realizada sem observância das regras da OMS, Decretos lei da União, Estado e Município de higiene pessoal e coletiva, distanciamento social e utilização de máscaras que, acaba por contribuir para aglomerações, colocando em risco a saúde das pessoas.

Sendo assim, a ACIPA, na condição de entidade representante e defensora do comércio local, em parceria com a Prefeitura Municipal de Pouso Alegre, neste inédito período de crise, tomará medidas efetivas para coibir referida prática ilegal visando o fortalecimento do comércio, bem como, evitar o aumento demasiado de casos do COVID-19”, dizia a nota.

Casos de Covid em Pouso Alegre

O boletim epidemiológico da prefeitura de Pouso Alegre, divulgado nesta sexta-feira (10), informa que são 443 casos confirmados de coronavírus no município. Considerando os dados da última sexta-feira, dia 03, com os dados de hoje, são 89 novos casos positivos para o vírus no município. No período foram confirmadas sete mortes. A taxa de recuperados se manteve em torno dos 85%.

Categoria: Política

A Câmara Municipal de Pouso Alegre divulgou um comunicado, no início da noite desta segunda-feira (06), informando que as atividades estão suspensas por causa da Covid-19. O período sem expediente no Legislativo, a princípio, vai desta terça-feira, dia 07, até o próximo dia 13.

A medida foi adotada após um caso positivo de novo coronavírus em um funcionário da Câmara de vereadores. Na portaria sobre a suspensão das atividades, o presidente da Casa, vereador Rodrigo Modesto (PTB), disse que o objetivo é preservar a saúde de servidores, vereadores e população.

“Considerando que de acordo com o Protocolo de Tratamento do novo coronavírus do Ministério da Saúde, a transmissibilidade dos infectados com a doença é de 7 a 14 dias após o início dos sintomas, mas que dados preliminares sugerem que a transmissão possa ocorrer mesmo sem apresentação de sintomas, decide por garantir a segurança da saúde e suspender o expediente da Câmara Municipal”, disse o presidente Rodrigo Modesto.

Veja o comunicado:

Câmara Municipal suspende atividades presenciais por causa da COVID-19 Para preservar a saúde de servidores,…

Posted by Câmara Pouso Alegre on Monday, July 6, 2020

Categoria: Política

Wilson Tadeu Lopes (Patri), que também é taxista, não ficou ferido. Ele já fez um post em suas redes sociais dizendo que foram apenas danos materiais. Outros acidentes foram registrados nessa manhã, deixando a pista fechada sentido SP.

Vereador estava trabalhando como taxista quando rodou e bateu o carro na mureta de proteção. Foto: reprodução Wilson Tadeu Lopes

O vereador de Pouso Alegre, Wilson Tadeu Lopes (Patri), sofreu um acidente de trânsito na manhã desta quarta-feira (1º de julho), na Fernão Dias. O parlamentar, que também é taxista, perdeu o controle do carro e saiu da pista, batendo contra a mureta de proteção.

O acidente foi na subida da serra, no município de Cambuí. O vereador não ficou ferido. Ele tirou fotos do local e postou em suas redes sociais para tranquilizar as pessoas. “Quero agradecer a Deus por esse livramento. Bens materiais a gente trabalha e conquista outro. O importante que estou bem”, escreveu.

Wilson levava um passageiro para o aeroporto de Guarulhos. O passageiro também não ficou ferido e foi levado por um taxista de Cambuí até o aeroporto.

 

Mais acidentes, com fechamento da rodovia

A manhã desta quarta-feira é chuvosa no extremo sul de Minas, o que deixa a pista molhada e escorregadia. A concessionária Arteris já registrou outros acidentes na Fernão Dias.

Um desses acidentes, em Camanducaia, deixa a pista totalmente fechada no sentido São Paulo, na altura do km 921. Houve queda de poste no local devido ao acidente.

Fernão Dias hoje, congestionada devido a acidente em Camanducaia. Imagem: reprodução Arteris

Categoria: Política

O texto-base da proposta prevê o primeiro turno em 15 de novembro. Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado

O Senado aprovou em segundo turno, durante sessão remota nesta terça-feira (23/6), a proposta de emenda à Constituição (PEC nº 18/2020) que adia as eleições municipais deste ano devido à pandemia do novo coronavírus. O projeto aprovado por 67 votos favoráveis e oito contrários prevê o primeiro turno para o dia 15 de novembro. O segundo turno será em 27 de novembro, onde houve necessidade. A proposta segue para votação na Câmara dos Deputados.

Inicialmente, os dois turnos das eleições municipais eram previstos para os dias 4 e 25 de outubro, primeiro e último domingo do mês, como prevê a Constituição. O parecer do relator, senador Weverton (PDT-MA), que recebeu o aval dos senadores, permite que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) conceda mais dias de adiamento em municípios específicos, caso não haja condições sanitárias para que os eleitores votem na data definida.

A decisão poderá ser feita diretamente pelo TSE ou por questionamento dos presidentes dos tribunais regionais eleitorais (TREs), após avaliação de autoridades sanitárias. O TSE terá que avisar o Congresso, mas não precisará do aval dos parlamentares. Só será exigida autorização, por decreto legislativo, se todos os municípios do mesmo estado não puderem realizar as eleições em novembro.

As eleições, de qualquer forma, precisam acontecer em 2020 em todas as cidades, mesmo no caso de um novo adiamento. O prazo-limite é 27 de dezembro. Os senadores rejeitaram a possibilidade de prorrogação dos mandatos atuais, por entenderem que o tema é inconstitucional, como tem reforçado o presidente do TSE, Luís Roberto Barroso, em reuniões com os parlamentares.

Prazos para convenções e campanhas

As emissoras podem transmitir programas apresentados ou comentados por pré-candidatos até 11 de agosto. A partir dessa data, esse tipo de transmissão fica proibido.

A PEC define também o período entre 31 de agosto e 16 de setembro para a realização das convenções para escolha dos candidatos pelos partidos e a deliberação sobre coligações.

Até 26 de setembro, partidos e coligações devem solicitar à Justiça Eleitoral o registro de seus candidatos.

Após 26 de setembro, inicia-se a propaganda eleitoral, inclusive na internet. A Justiça Eleitoral convocará os partidos e a representação das emissoras de rádio e de televisão para elaborarem plano de mídia.

A diplomação dos candidatos eleitos ocorrerá em todo o país até o dia 18 de dezembro.

Votação da PEC numa mesma sessão

Por acordo de líderes, os dois turnos da proposta de alteração do calendário eleitoral foram votados na mesma sessão. Na tramitação normal de uma PEC, o intervalo entre as votações é de, no mínimo, cinco dias. A matéria também passará por dois turnos na Câmara.

Com informações da Agência Senado

Categoria: Política

Verba foi transferida ao município por meio de emenda parlamentar e deverá ser usada na compra de equipamentos e materiais para unidades de saúde.

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) autorizou repasse de R$ 2,5 milhões para o município de Pouso Alegre. Os recursos foram enviados mediante emenda parlamentar do deputado Dr. Paulo Valdir (Patri) e devem ser utilizados, exclusivamente, ao enfrentamento ao Coronavírus, com aquisição de equipamentos.

De acordo com a prefeitura de Pouso Alegre, a verba já foi depositada no Fundo Municipal de Saúde e será usada para a compra de equipamentos e materiais permanentes para as unidades básicas de saúde, que prestam serviços complementares ao SUS, como exige o estado.

Conforme a resolução da Secretaria de Saúde de Minas, ao todo, foram repassados pouco mais de R$ 25 milhões para mais 100 municípios mineiros, através de emendas de deputados. Desse lote, Pouso Alegre é a cidade que recebeu o maior valor, já que o deputado que fez a indicação colocou apenas o município como beneficiário.

Ainda de acordo com a secretaria estadual de Saúde, a transferência dos recursos faz parte das medidas de enfrentamento à pandemia da Covid-19 para manter instituições filantrópicas e municípios mineiros equipados para atender os moradores.

Categoria: Política

A Obra está orçada em R$ 29 milhões. O prefeito Rafael Simões explica que houve um atraso de cerca de seis meses para essa etapa devido a denúncias em órgãos ambientais. Licitação será em julho. Após ordem de serviço, empresa vencedora terá dois anos para concluir a obra de novo acesso a região nordeste de Pouso Alegre. Veja a reportagem em vídeo abaixo:

A prefeitura de Pouso Alegre lançou o edital da licitação para a obra da Via Faisqueira. A nova avenida de 2,5 km de extensão vai ligar a BR-459 aos bairros da região nordeste da cidade, com mais de 20 mil moradores. O valor da licitação é de R$ 29 milhões, sendo R$ 11 milhões de recursos da prefeitura e R$ 18 milhões de financiamento junto à Caixa Econômica Federal.

“Acredito que seja uma das obras mais importantes de nossa gestão. Desde que chegamos na prefeitura estamos mecanismos para executar essa obra que é esperada por aquela população de mais de 30 anos. Nós fomos contemplados pelo governo federal com a possibilidade de fazer um empréstimo junto à Caixa para a execução dessa tão esperada obra”, diz o prefeito Rafael Simões.

O edital  foi publicado quase um ano após a assinatura do contrato entre a prefeitura e a Caixa para a liberação dos recursos da Via Faisqueira. De lá para cá, foram feitos os estudos para o projeto de execução da obra. Porém, houve um atraso de cerca de seis meses para o lançamento do edital.

“Nós tivemos um retardo de, pelo menos, seis meses desse momento em decorrência de denúncias que foram feitos junto ao Ibama, Ministério Público Federal e Ministério Público Estadual dizendo que nós não teríamos as licenças [ambientais]. Então, em cada uma dessas denúncias nós tivemos que nos defender, apresentar a devidas licenças, esperar que esses órgãos de pronunciassem. Fechamos todo esse processo e hoje temos a grata satisfação de anunciar a licitação para saber qual empresa vai executar essa obra”, afirma Simões.

Prefeito Rafael Simões e secretários durante anúncio da licitação. Foto: Terra do Mandu

A abertura dos envelopes das empresas concorrentes está marcada para o dia 7 de julho. Os serviços deverão iniciar ainda no segundo semestre, após o período de recursos entre as empresas concorrentes. O prazo para a conclusão das obras será de dois anos.

“Estamos falando de uma intervenção numa área que não tem um terreno bom. Então, é uma obra um pouco demorada. Mas será executada de uma forma que possa ser utilizada. Para que não tenhamos os problemas que temos na Dique I e Dique II que quando passa caminhão começa abrir buracos. O projeto foi muito bem elaborado visando não ter problemas no futuro”.

Características da Avenida Faisqueira

A via terá quase 2,5 km de extensão, com 32 metros de largura. Todo trajeto terá ciclovia, acostamento, passeio, canteiro central e contará iluminação pública e plantio de árvores, na chamada faixa verde.

Foto – divulgação prefeitura

Único acesso pela Rua Antônio Scodeler

Os moradores da região do Faisqueira têm hoje um único acesso. Nos horários de pico é um sufoco andar pela Rua Antônio Scodeler.

Em fevereiro, o prefeito esteve no bairro para anunciar que a via será revitalizada. De acordo com Rafael Simões, o processo está na fase final de assinatura de convênio com o governo do estado.

Categoria: Política

A reportagem do Terra do Mandu entrou em contato com as concessionárias de fornecimento de energia e água. A Cemig informa que não houve aumento no valor da tarifa. As contas estão mais caras pelo fato de as pessoas estarem mais em casa, em tempos de isolamento social. Veja no vídeo abaixo. A Copasa ainda não enviou retorno.

Segundo Cemig, não houve reajuste na tarifa de energia. Foto: Terra do Mandu

Muitos consumidores de Pouso Alegre estão recebendo as contas de água e energia elétrica em casa com valores acima do que estavam acostumados a pagar, informa o Procon Municipal.

O órgão de proteção e defesa do consumidor disse que notificou as concessionárias Cemig e Copasa para prestarem informações e “esclarecimentos sobre a percepção dos consumidores deste Município com relação aos aumentos repentinos nas respectivas contas de energia elétrica e água”, diz nota enviada pela assessoria da prefeitura.

A reportagem do Terra do Mandu entrou em contato com as concessionárias para saber se houve alguma alteração no valor da tarifa de água e energia em Pouso Alegre.

Consumo médio de energia subiu 0,6% por causa do isolamento social

A Cemig informa que não houve nenhum reajuste até o mês de abril na tarifa de energia. De acordo com a empresa, houve um aumento médio de 0,6% no consumo de energia dos clientes residenciais da sua área de concessão devido ao isolamento social provocado pela pandemia do novo coronavírus.

“As pessoas têm ficado mais em casa e essa situação pode aumentar a frequência da utilização de equipamentos elétricos e consequentemente, o consumo de energia. Diante disso,  a Cemig orienta os seus clientes sobre o uso eficiente de energia para evitar surpresas na conta de luz”, diz a empresa por meio de nota.

As leituras dos relógios da Cemig

Com as restrições de mobilidade mais rígidas durante o início da pandemia, no mês de março alguns clientes tiveram a leitura feita pela média, com eventuais acertos a maior ou menor na conta atual. Agora, as leituras estão sendo feitas normalmente. Somente são emitidas pela média dos últimos 12 meses, as contas dos clientes que não permitem a entrada do leiturista da Cemig para acessar o padrão de energia, o que não atinge 2% do volume de clientes.

A Cemig ainda orienta os próprios clientes podem fazer a leitura do medidor, ou ainda, acompanhar o consumo mensal através dos números que aparecem nas contas e no relógio do padrão.

Contato do Procon para reclamações e dúvidas:

Para outras informações e esclarecimentos, orientamos a população a acionar o PROCON Municipal por meio dos seguintes contatos telefônicos: (35) 3449-4315 ou (35) 3449-4932, ou por meio do e-mail institucional do órgão, procon@pousoalegre.mg.gov.br.

Veja os vídeos divulgados pela prefeitura de Pouso Alegre e pela Cemig: