Categoria: Política

Segundo secretaria de Políticas Sociais, 829 pessoas em situação de rua receberam ajuda do município entre janeiro e julho desse ano. Casal veio de Campinas para Pouso Alegre e está em situação de rua.

A prefeitura de Pouso Alegre, no Sul de Minas, espalhou cerca de 25 placas pela cidade em que solicita à população para não dar esmolas nas ruas da cidade. O pedido é seguido com números de telefones para onde os moradores de rua devem ser encaminhados.

De acordo com dados da secretaria municipal de Políticas Sociais, de janeiro a julho desse ano, 829 passagens foram emitidas para pessoas em situação de rua que estavam em Pouso Alegre e quiseram voltar para suas cidades de origem. O secretário da pata, João Batista de Lima, afirma que o número de pessoas permanentes nas ruas da cidade gira em torno de 50.

Basta uma volta pelo Centro para enxergar pessoas em situação de rua pedindo esmolas em semáforos ou na porta de supermercados. E muita gente é generosa e dá uns trocadinhos para quem pede. E isso que não é correto, como afirma o secretário municipal de Políticas Sociais, João Batista de Lima.

“Você não tem nenhuma certeza que aquele dinheiro que você doou naquele momento, ele vai aplicar em si próprio, com alimento. Normalmente, esse dinheiro é desviado para bebida, para drogas e outras coisas mais”, diz o secretário que ainda lembra que comida e roupas eles recebem através de ações sociais de instituições e da própria secretaria.

Quem chega no Centro POP da cidade, local para atendimento de pessoas em situação de rua, recebe café, banho, roupa lima e refeição. Também é verificado se precisa tirar novos documentos pessoais e é perguntado o desejo da pessoa é voltar para sua cidade de origem ou buscar um emprego em Pouso Alegre. De acordo com a resposta, a assistência social faz o encaminhamento.

João Batista também diz que grande número de pessoas em situação de rua que transita pelo município são atraídas pelas notícias de que Pouso Alegre é uma cidade polo e com forte crescimento. Para o secretário, essas pessoas não vêm à procura de emprego. “Eles procuram uma oportunidade de receber alguma ajuda de esmola ou ajuda social”.

Casal veio de Campinas para Pouso Alegre e está em situação de rua

Regiane Pereira, de 40 anos, e o marido Alexandre do Nascimento, também de 40 anos, chegaram em Pouso Alegre ha cerca de dois meses. Alexandre conta que moravam de aluguel em Campinas, interior de São Paulo, mas estavam desempregados e não tinham mais condições de ficar por lá. O casal decidiu seguir para Pouso Alegre, a 200 km de distância, para tentar um emprego de caseiro ou eletricista, ajudante de pedreiro.

“Até agora não conseguimos nada e estamos nessa situação aqui. Mas espero que consiga neh. Já mandei currículo para um monte de empresa aí. Mas até agora não aconteceu nada”, lamenta Alexandre.

O casal chegou a dormir nas ruas de Pouso Alegre e pedir esmolas para se alimentar. Hoje, os dois estão utilizando o apoio do Centro POP e o Albergue Municipal. Mas dizem que foram comunicados que após o frio deverão deixar o albergue. Se não conseguirem emprego até lá, voltarão para as ruas da cidade, já que não pretendem retornar a Campinas. “Acabou o frio, acabou. Aí nós tem que ficar na rua”.

Sandro é um outro morador de rua. Ele não quis gravar entrevista. Ele não lembra ao certo quanto tempo está em Pouso Alegre, mas garante que faz mais de um ano. Sandro tem 37 anos e veio de Capivari (SP). Ela conta que prefere ficar na rua, não receber o apoio dos equipamentos da prefeitura. Ele recebe alimentação de voluntários e dorme debaixo de marquises.

Mulher queimada em discussão na rua

Há cerca de 10 dias, uma mulher que pedia esmolas em um cruzamento na cidade de Ouro Fino, ao lado de Pouso Alegre, sofreu queimaduras graves no corpo. Quem ateou fogo em Vanessa Araújo, de 37 anos, foi um homem que estava no mesmo local fazendo malabarismo, na companhia de outra mulher.

Segundo a Polícia Civil, eles se desentenderam por causa das moedas que os motoristas estavam dando à Vanessa.  A mulher queimada foi transferida do Sul de Minas para o Hospital João XXIII, em Belo Horizonte. O casal de malabaristas, que vivia em situação de rua, foi preso em flagrante.

Categoria: Política

O impacto nos cofres do município foi de R$ 4,3 milhões.

Os servidores da prefeitura de Pouso Alegre receberam a 1ª parcela do 13ª nesta quinta-feira, dia 1º de agosto. O benefício poderia ser pago até 30 de novembro, porém, o município informou, através da Assessoria de Imprensa, que o equilíbrio financeiro possibilitou o pagamento adiantado.

“É um dinheiro esperado pelos servidores, que pode ajudá-los a quitar seus compromissos. Além do mais, o comércio recebe um impulso extra que contribuirá para o seu aquecimento”, disse o prefeito Rafael Simões em nota divulgada pela Ascom.

O valor pago ao funcionalismo do município chega a R$ 4,3 milhões.

Categoria: Política

Rafael Simões fez uma série de vídeos mostrando problemas de esgoto a céu aberto e ruas danificadas por obras da companhia de saneamento. A Copasa afirmou em nota ao Terra do Mandu que serão investidos R$ 16 milhões em serviços na rede de esgoto da cidade.

Esgoto corre a céu aberto no bairro São Geraldo. Foto: Ascom PMPA

O prefeito de Pouso Alegre, Rafael Simões (PSDB) gravou uma série de vídeos em diferentes bairros da cidade para mostrar problemas relacionados aos serviços realizados pela Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) no município. O prefeito mostra locais com esgoto a céu aberto; esgoto vazando da tubulação da Copasa e esgoto caindo em córregos e rios, causando, além do mau cheiro, transtornos aos moradores e risco de doenças a crianças e idosos que, inevitavelmente, têm contato com os restos de dejetos sem qualquer tipo de tratamento. Simões também mostrou ruas que tiveram o asfalto e o calçamento danificados em obras realizadas pela Companhia. O prefeito afirma nos vídeos que tal situação não será mais tolerada e ameaça rescindir o contrato de concessão de fornecimento de água e coleta de esgoto que a Copasa tem com o município.

“Nós estamos na Rua Nova [bairro São Geraldo] e aqui vocês vão ter a oportunidade de ver o esgoto sendo lançado pela Copasa a céu aberto. Isso é uma vergonha. O povo pagando para ter esgoto tratado e o que nós temos? Nada. Não temos nada. (…) Não vai continuar mais. Nós vamos rescindir o contrato com a Copasa”, afirma o prefeito no vídeo publicado em sua página do facebook.

Em outro trecho do mesmo vídeo, enquanto está ao lado de um morador do bairro, o prefeito pede que a Copasa deixe a cidade e lança uma campanha que pede a saída da empresa de saneamento da cidade.

Nas publicações, Rafael Simões ainda lembra que em maio, a justiça concedeu uma liminar, pedida em ação movida pela prefeitura de Pouso Alegre contra a Copasa, em que o tratamento de esgoto é questionado. Na decisão, a justiça determina que a Copasa elabore um plano para interromper o lançamento de esgoto in natura em rios e córregos da cidade. A Companhia recorreu da decisão.

Veja um dos vídeos:

O que diz a Copasa

A reportagem do Terra do Mandu entrou em contato com a Copasa, que enviou uma nota através da Assessoria de Comunicação respondendo aos problemas apontados pelo prefeito Rafael Simões.

Na nota, a Copasa informa que as recomposições do pavimento na Rua Arlindo Brianezi, no Bairro Altaville, e na Rua Vitor Laraia, no Centro, foram realizadas. E que o desnível do bloquete na Rua Sapucaí, foi ocasionado pelo intenso fluxo de veículos pesados, e que o problema estava sendo reparado nesta quarta-feira (17). Essas ruas foram mostradas pelo prefeito como locais onde obras da Copasa teriam danificado a pavimentação. Na nota, a Companhia também afirma que está intensificando a fiscalização das empresas terceirizadas para que entreguem os serviços de recomposição de pavimentos com qualidade.

Sobre os problemas de coleta e tratamento de esgoto, a Copasa disse na nota que realiza investimentos contínuos de melhorias em Pouso Alegre. E que, recentemente, foi concluída uma licitação para o início de novas obras no sistema de esgotamento sanitário do município. Segundo a empresa, serão investidos R$16,5 milhões nessas obras.

Categoria: Política

Rafael Simões pediu atenção para a região e ainda falou dos atrasos dos repasses para o HCSL. Governador citou a crise financeira de Minas Gerais; que tem feito economias, mas que é necessário trabalhar pela reforma da previdência e buscar formas de gerar receita. ASSISTA A REPORTAGEM EM VÍDEO.

O governador de Minas Romeu Zema (Novo) esteve em Pouso Alegre nesta quinta-feira (04). O Zema chegou na cidade já na hora do almoço. Ele vinha de Jacutinga, onde inaugurou uma fábrica de embalagens de vidro.

Zema almoçou em um restaurante de Pouso Alegre. Ele estava acompanhado de assessores, deputados estaduais da região e do prefeito de Pouso Alegre Rafael Simões (PSBD). Na saída do restaurante, o govenador falou com a nossa reportagem. Ele falou sobre a visita à região e a atração de indústrias para a geração de emprego. VEJA NO VÍDEO:

Ainda em Pouso Alegre, Romeu Zema visitou a XCMG, indústria chinesa fabricante de máquinas pesadas para construção.

De lá, o governador seguiu para a sede da FIEMG para um encontro com prefeitos. O prefeito de Pouso Alegre fez a abertura da reunião já falando das dificuldades enfrentadas pelos municípios pelos atrasos dos repasses do governo do estado nos últimos anos. Simões também falou da situação do hospital das Clínicas Samuel Libânio que aguarda a regularização de repasses em atraso.

Em seu discurso para os prefeitos, o governador falou da situação em que encontrou o estado de Minas ao assumir em janeiro. Romeu Zema fez algumas comparações para dizer que quebrado financeiramente   e que tem feito de tudo para gerar economia, mas não é o suficiente.

Zema também falou da necessidade da reforma da previdência para os estados e afirmou que é preciso privatizar a Cemig para melhorar os resultados da empresa.

O governador disse que entende a situação dos prefeitos e que estão todos no mesmo barco.

O governador romeu Zema ainda ficou reunido com os prefeitos a portas fechadas por mais alguns minutos, sem a presença da imprensa. No fim da tarde ele seguiu para Juiz de Fora, onde cumpre agenda nesta sexta-feira.

Categoria: Política

Valor anual do contrato é de R$ 16 milhões. Licitação foi realizada após a prefeitura extinguir a Guarda Municipal da cidade.

Empresa deverá contratar até 250 vigilantes para prestar o serviço na cidade. Foto: reprodução

A prefeitura de Pouso Alegre finalizou na última semana a licitação para contratar uma empresa que fará o serviço de vigilância armada nos prédios públicos municipais. O resultado do pregão 37/2019 foi publicado no diário oficial de Minas Gerais do dia 25 de junho.  A empresa vencedora é a Plantão Serviços de Vigilância Ltda, com sede em Belo Horizonte e que pertence ao grupo CONSERSO. O valor anual do contrato é de pouco mais de R$ 16 milhões (R$ 16.054.591,20).

A licitação foi concluída quatro meses após a Câmara de Vereadores aprovar o projeto de lei enviado pelo prefeito Rafael Simões (PSDB) que extinguiu a Guarda Municipal de Pouso Alegre. Na justificativa para extinguir a GM, o Executivo alegou o corte de gastos na administração municipal e, ao mesmo tempo, a necessidade de contratação de vigilância armada no município e “a Guarda Municipal não estaria mais cumprindo o seu papel de proteger os bens públicos, levando em consideração os atos de vandalismo ocorridos nos últimos dois anos”.

Extinção da Guarda Municipal foi aprovada no fim de fevereiro. Foto: Arquivo Terra do Mandu

No edital da licitação a prefeitura informou que “não dispõe em seu quadro funcional servidores capacitados para desenvolverem os serviços de vigilância patrimonial armada. Portanto, a presente contratação visa atender às necessidades dos serviços de vigilância patrimonial armada diurna e noturna, de modo a garantir a segurança das instalações; não permitindo a depredação, violação, evasão, apropriação indébita e outras ações que redundem em dano ao patrimônio; e assegurar a integridade física dos servidores que desempenham suas atividades, bem como dos que eventualmente transitam nas instalações”.

Início do contrato

Ainda de acordo com o edital da licitação, a empresa vencedora deverá iniciar as atividades cinco dias úteis após a assinatura do contrato.

Para atender todos os postos de trabalho informados pela prefeitura, a empresa contratada deverá ter cerca de 250 vigilantes em seu quatro de funcionários, considerando a jornada de trabalho e horas de descanso.

Duas empresas concorreram

Duas empresas participaram do pregão 037/2019. As duas concorrentes foram a CIASEG Serviços de Vigilância Ltda, com sede em Pouso Alegre, e a Plantão Serviços de Vigilância Ltda, considerada vencedora.

Conforme as publicações durante o processo licitatório em andamento, a empresa Plantão chegou a ser desclassificada e a CIASEG qualificada. Após recursos, nova decisão foi tomada e a Plantão foi considerada vencedora do certame, desclassificando a CIASEG por “não atender integralmente os requisitos do edital”.

O processo licitatório foi finalizado pela prefeitura e o contrato será assinado nos próximos dias. Porém, a CIASEG promete recorrer do resultado no Tribunal de Justiça de Minas Gerais.

Categoria: Política

Unidade de saúde começou a ser construída em 2014, ficou parada um período e foi retomada no ano passado. Moradores do Jatobá, jacarandá e Bela Vista serão atendidos no local.

A prefeitura de Pouso Alegre inaugurou no fim de semana a Unidade Básica de Saúde do bairro Jatobá. A unidade recebeu o nome de Adelson dos Reis Matias, o vereador Adelson do Hospital, que faleceu neste mês de junho em decorrência de complicações de uma pneumonia. Parentes do enfermeiro, eleito o vereador mais votado na última eleição municipal, participaram da solenidade de inauguração e se emocionaram com as homenagens feitas a Adelson.

A construção do posto de saúde demorou cinco anos para ficar pronta e era aguardada pelos moradores do bairro que fica a cerca de 10 quilômetros do Centro da cidade.

A unidade de saúde foi construída com recursos federais e contrapartida da Prefeitura. Além do Jatobá, os moradores dos bairros Jacarandá e Bela Vista também serão atendidos no local.

O posto de saúde já está funcionando. Entres os serviços oferecidos têm atendimentos médicos, odontológico, enfermagem, sala de vacinas e uma equipe do NASF (Núcleo de Apoio à Saúde da Família).

Categoria: Política

Projeto segue para sanção do prefeito Rafael Simões. A reportagem do Terra do Mandu encontrou estabelecimentos que já baniram os canudos convencionais.

No último ano, diversas cidades brasileiras aprovaram leis que proíbem o uso dos canudinhos de plástico. A intenção é frear os danos ao meio ambiente, já que esse material vai direto para rios e oceanos, leva centenas de anos para se decompor e animais marinhos morrem ao ingerir esse tipo de plástico. Entre as capitais, Rio de Janeiro foi a primeira a sancionar a lei, em julho do ano passado. A cidade de São Paulo fez o mesmo nesta semana (25/06). Seguindo essa tendência, a Câmara de vereadores de Pouso Alegre acaba de aprovar o Projeto de Lei nº 7476 que também proíbe a utilização dos canudos plásticos convencionais na cidade.

A proposta é do vereador André Prado (PV) e foi aprovada em segundo votação. Agora segue para sanção do prefeito Rafael Simões (PSDB) e entrará em vigor após um ano de sua publicação.

O texto do artigo primeiro do projeto diz: “Fica proibido no prazo de 1 (um) ano após a publicação da presente Lei, a utilização, distribuição gratuita ou onerosa, de canudos plásticos feitos de polipropileno ou poliestireno (ou qualquer outro material descartável que não seja oxi-biodegradável) no comércio do município de Pouso Alegre-MG”.

O vereador autor do PL diz que o prazo de um ano para a lei, caso sancionada, entrar em vigor é para o comércio se adaptar; bares, lanchonetes e restaurantes avisarem ou encontrarem novos fornecedores do material.

“O projeto o objetivo dele é um só: proteger o meio ambiente. Os canudos [plásticos] são uma doença para a natureza. Eles levam 300 anos para desaparecer, ou mais, enquanto a gente os utiliza por alguns minutos. Então, a questão é para que existe esses canudos sendo que nós temos outras opções”, afirma Prado.

Estabelecimentos já baniram o canudo convencional

Confeitaria adotou os canudo coloridos e de papel. Foto: Terra do Mandu

Já é possível encontrar estabelecimentos em Pouso Alegre que já baniram os canudinhos convencionais da lista. Esta confeitaria produz bolos, pães, sucos e vitaminas com o conceito de alimentos saudáveis. E aqui o canudinho é de papel e também não agride a saúde do meio ambiente. Ana Célia de Oliveira, sócia da confeitaria, conta que eles adotaram o canudo de papel há cerca de oito meses.

“Para ajudar o meio ambiente mesmo. Tem tanta coisa que a gente usa por aí que só prejudica. Então, vamos entrar na linha do que é saudável mesmo. Aqui tudo é saudável”, afirma a comerciante.

Ana Célia ainda lembra que o canudo de papel ainda é mais caro, mas “a gente tem que ter essa consciência e tentar melhorar. Cada um faz a sua parte e a gente está tentando fazer a nossa”.

Esta outra lanchonete também aboliu os canudinhos. Mas, por enquanto, não tem nenhum substituto. O espaço dedicado a eles fica vazio dos recipientes sobre as mesas.

Esta lanchonete está sem canudo para os clientes. Foto: Terra do Mandu

Enquanto isso, centenas de outros lugares ainda utilizam o canudo convencional. Basta dar uma olhadinha nas lixeiras da cidade que você verá os canudinhos descartados ali. Andar pelas calçadas a gente também encontra pessoas tomando um delicioso milk-shake, mas com o canudinho plástico.

Mais plástico que peixes nos oceanos

Segundo uma estimativa do Fórum Econômico Mundial, existem 150 milhões de toneladas métricas de plásticos nos oceanos e caso o consumo siga no mesmo ritmo dos números atuais os cientistas preveem que haverá mais plásticos do que peixes nos oceanos até 2050.

Categoria: Política

Ex-padre substitui Adelson do Hospital que faleceu no último dia 15 de junho. No primeiro discurso, Dionísio Pereira falou da necessidade de ter atenção com os bairros da periferia da cidade. Veja a entrevista com o novo vereador.

Já empossado, Dionísio Pereira discursa na tribuna da Câmara. Foto: Ascom CMPA

Durante a sessão ordinária desta terça-feira (25), a Mesa Diretora da Câmara Municipal de Pouso Alegre deu posse a Dionísio Pereira (PR), suplente do vereador Adelson do Hospital (PR) que faleceu no último dia 15 de junho em decorrência de complicações de uma pneumonia. Dionísio teve 820 votos na eleição de 2016. Ele terá um ano e meio para atuar no Legislativo Municipal.

Empossado, Dionísio Pereira foi o primeiro vereador a subir na tribuna da Câmara. Ele começou o discurso homenageando o amigo Adelson do Hospital, lamentando sua morte e falando da importância do trabalho do enfermeiro e vereador morto aos 41 anos. Em seguida, o vereador falou como deverá ser sua atuação na Câmara Municipal. Ele destacou que mora na periferia e sabe das necessidades que os bairros mais distantes do Centro possuem. Também comentou sua atuação, até semana passada, à frente dos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS).

Em entrevista ao Terra do Mandu, Dionísio Pereira afirma que vai atuar como base do prefeito Rafael Simões (PSDB), porque foi o projeto que ele apoiou nas eleições de 2016.

ASSISTA:

Reverendo anglicano

Dionísio Pereira é ex-padre na Igreja Católica. Atualmente ele tem uma união estável e um filho. Após deixar a Igreja Católica, Dionísio fundou uma unidade da Igreja Anglicana no bairro Foch, dedicada a São Jorge, onde é o reverendo.

Categoria: Política

Dionísio Aílton Pereira teve 820 votos na eleição de 2016. Ele deixou as funções de padre na Igreja Católica e fundou uma uma unidade da Igreja Anglicana em Pouso Alegre.

‘Padre Dionísio’ teve 820 votos e ocupa uma vaga na Câmara pela primeira vez. Foto: reprodução

O ex-padre Dionísio Aílton Pereira, de 50 anos, tomará posse nesta terça-feira (18) como vereador na Câmara Municipal de Pouso Alegre. Dionísio Pereira assume a cadeira após a morte, no último sábado, por falência múltipla de órgãos, do vereador Adelson do Hospital.

A reportagem do Terra do Mandu confirmou com o presidente da Câmara, vereador Oliveira Altair do Amaral (MDB) que a posse ao novo vereador será durante a sessão ordinária dessa terça, a primeira depois da morte de Adelson do Hospital.

Dionísio Aílton Pereira disputou as eleições de 2016 pelo PR. No material de campanha ele usou o nome de Padre Dionísio e teve 820 votos.

Dionísio, como reverendo da Igreja Anglicana, com o bispo Dom Roger Bird. Foto: reprodução

Hoje, Dionísio tem uma união estável e um filho. Após deixar a Igreja Católica, ele fundou uma unidade da Igreja Anglicana no bairro Foch, dedicada a São Jorge.

Em abril deste ano, a Arquidiocese de Pouso Alegre divulgou um comunicado com as informações da demissão do estado clerical e dispensando Dionísio Aílton Pereira do celibato.

reprodução Arquidiocese de Pouso Alegre.

Currículo de Dionísio Aílton Pereira

Possui Licenciatura em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (1997), graduação em Teologia – Faculdades Associadas Ipiranga (2000), mestrado em Teologia – Faculdades Associadas Ipiranga (2001) e doutorado em Teologia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2010). Foi diretor geral da Faculdade Católica de Pouso Alegre (2009/2013). Atualmente é professor do Instituto Nacional de Ensino Superior e Pós-Graduação Padre Gervásio e professor assistente da Universidade do Vale do Sapucaí. Tem experiência nas áreas de Filosofia, Sociologia e Teologia, com ênfase em ética social e antropologia, atuando principalmente nos seguintes temas: Pessoa humana, Sociedade, Política e Saúde. Tem experiência com o Ensino à distância semi-presencial através do uso da plataforma Moodle, na Universidade do Vale do Sapucaí (10/2014 até o presente).

Categoria: Política

Adelson morreu na noite deste sábado, por falência múltipla dos órgãos, após um mês internado em hospital de Poços de Caldas.

O Corpo do vereador Adelson dos Reis Matias (PR), mais conhecido como Adelson do Hospital, foi sendo velado na Câmara Municipal de Pouso Alegre. Centenas de pessoas foram se despedir do vereador. Adelson foi o vereador mais votado na cidade na última eleição. Ele morreu na noite deste sábado (15) por falência múltipla dos órgãos. Adelson estava internado em um hospital particular de Poços de Caldas desde o dia 17 de maio. Ele teve uma pneumonia e, em seguida, infecção bacteriana no pulmão.

No início da tarde, o caixão com o corpo do vereador deixou o plenário da Câmara, sob aplausos, e seguiu para a cidade de Monsenhor Paulo, cidade natal de Adelson, onde será o sepultamento.

Luto Oficial e Homenagens

O prefeito Rafael Simões (PSDB) decretou luto oficial de três de em Pouso Alegre pela morte do vereador Adelson do Hospital.

Colegas vereadores postaram mensagens de pesares nas redes sociais. O presidente do Conselho Diretor da FUVS, José Walter da Mota Matos, também escreveu em seu perfil no facebook. Adelson era enfermeiro e funcionário do Hospital das Clínicas Samuel Libânio, além de professor no Colégio João Paulo II, também mantido pela FUVS.

Formado em enfermagem e funcionário do Hospital das Clínicas Samuel Libânio há mais de 15 anos, Adelson disputou sua primeira eleição em 2016, pelo Partido da República, e foi o vereador mais votado de Pouso Alegre, com 2.148 votos.

Adelson também era professor no Colégio João Paulo II, especialista em Enfermagem Cardiovascular (atua no Serviço de Hemodinâmica do HCSL) e diretor de Enfermagem do Hospital das Clínicas Samuel Libânio (HCSL).

Adelson do Hospital também dedicou parte de suas atividades ao voluntariado, com atendimento às famílias carentes, por meio de ações solidárias em prol da saúde e atendimentos básicos