Categoria: Economia

Com a crise provocada pela pandemia do novo coronavírus muita gente ficou sem ter como trabalhar e levar dinheiro para casa. São profissionais que já sabem que, se a crise durar mais um mês ou dois meses, não terá de onde tirar dinheiro para pagar as contas.

Tem a diarista, o garçom, o jardineiro, o motorista de aplicativo, o taxista e outros tantos profissionais que estão sem ter para onde correr.

Dona Janice Braz é um desses exemplos. Ela é manicure e depiladora e atende em um salão. Mas nesses dias ela está em casa.

“Se eu vou ao salão, as clientes não estão indo porque não pode ter contato. E com isso, eu fico em casa para me proteger e elas também estão se protegendo em casa”, explica.

Essa é a única fonte de renda da manicure. Janice precisa pagar o financiamento do apartamento e as demais contas da casa. A filha que mora com ela trabalha, mas o dinheiro mal dá para suas próprias despesas de universitária. Tem ainda um filho deficiente que usa medicamentos e faz exames médicos regularmente. “A gente fica sem saber o que vai fazer com as contas. A gente não está trabalhando, mas as contas chegam em casa”, lembra.

O casal Ângela Lambert e Eduardo Almeida são autônomos e também estão sem trabalhos nesses dias. Eduardo é auditor de qualidade e ganha por serviço prestado.

“A empresa para quem eu presto serviço suspendeu a agenda. Todo dia era numa cidade diferente. E nem eles lá no escritório central, que fica em São Paulo, sabem o que está abeto já que em cada cidade está de um jeito”, explica o auditor.

Ângela é consultora financeira e com as empresas fechadas e sem a perspectiva do que será o amanhã, também ficou sem ter como oferecer seus serviços.

“Eu trabalho com projetos. Mas diante dessa instabilidade econômica e desse caos se instaurando, as empresas ainda noção da proporção dos números financeiros e meu trabalho cai por terra nesse momento. As empresas não vão procurar um consultor financeiro, que nesse momento não é útil”, diz a consultora.

Ângela fez carreira em multinacionais antes de se tornar consultora. Ela diz que o cenário atual é novo para todo tipo e tamanho de empresa no mundo.

“Fui totalmente afetada nesse primeiro momento. Estou sem agenda. Projetos que estavam sendo discutidos, diante do cenário positivo antes de aparecer o coronavírus, fui afetada sem data de retorno”, lamenta.

A situação da consultora e o marido só não é pior porque conseguiram fazer uma reserva ao longo dos anos. Mas é algo que ela sabe que não vai durar muito tempo. E ela mesmo sabe que a maioria dos milhões de autônomos hoje não tem como ficar um dia parado.

“No Brasil são 40 milhões de autônomos. Pessoas que perderam emprego por crise econômica. Esse pessoal não tem condições de fazer uma reserva. Ele trabalha hoje para pagar as contas amanhã”, conta.

Ângela ainda enfatiza que, se esse cenário perdurar por mais tempo, o autônomo brasileiro estará quebrado. “Não tem para onde correr”.

É o caso da manicure Janice que não tem como ficar parada. “Eu tenho que voltar já. Não tenho condições de ficar em casa. Só que também as clientes não estão indo no salão. E não sei quanto tempo vai durar essa crise. É complicado”, diz dona Janice.

Enquanto as orientações são de distanciamento social, quem pode trabalhar vender em casa, é uma opção e quem tem alguma reserva em dinheiro não gaste com o que não é necessário.

Categoria: Economia

A queda no preço dos combustíveis é provocada pela crise do coronavírus, que derrubou consumo no mundo. Porém, tem postos que ainda não repassaram ao consumidor e o Ministério Público irá fiscalizar.

A última redução ocorreu nesta semana. Foto: Terra do Mandu

Quem passou em alguns postos de combustíveis de Pouso Alegre para abastecer nesses últimos dias percebeu a queda no preço da gasolina e do álcool. Levantamento feito pelo Terra do Mandu, comparando valores de mesmo posto, o preço por litro do combustível teve redução de até R$ 0,50 em Pouso Alegre.

Se a comparação for valor máximo e mínimo entre postos que era praticado em fevereiro e o que é praticado hoje, a diferença é de até R$ 1,00 por litro. De acordo com o sistema de levantamento de preço da Agência Nacional do Petróleo (ANP), em fevereiro, o valor pago no litro do etanol na cidade chegou a R$ 3,49 e da gasolina foi a R$ 4,99. Já nessa última semana de março, tem posto vendendo o litro do etanol na bomba a R$ 2,49 e o litro da gasolina a R$ 4,09.

Segundo o Procon Estadual, órgão ligado ao Ministério Público, em março os preços dos combustíveis tiveram uma redução de cerca de 40% nas refinarias da Petrobras. Isso foi provocado por dois fatores. A disseminação do novo coronavírus (covid-19) no mundo e a queda de braço pelo preço do barril do petróleo entre Rússia e Arábia Saudita.

No início do ano, o preço do barril de petróleo era de 60 dólares, nesta semana a cotação despencou para 20 dólares, o menor preço desde 2002. Isso provocado, principalmente, pelo isolamento social nos Estados Unidos, maior consumidor de combustíveis do mundo.

O dono de um posto bandeira branca em Pouso Alegre fez o último repasse ao consumidor nesta terça-feira (31), passando o etanol para R$ 2,49 e a gasolina para R$ 4,09. Em postos com bandeira, como Petrobras, tem o litro do álcool a R$ 2,99 e da gasolina a R$ 4,65.

Guilherme Almeida é motorista de aplicativo e gasta cerca de R$ 2.500 por mês com combustíveis, rodando numa média de oito mil quilômetros. Nesses dias de isolamento social contra o novo coronavírus as corridas desapareceram. Ele espera que a redução nos preços dos combustíveis seja mantida quando tudo voltar ao normal para aumentar a margem de ganho.

“Eu trabalho com carro alugado e está difícil encontrar corrida. O que eu costumava fazer em um dia estou levando quatro dias para correr. Espero que esse valor nos combustíveis permaneça. Se podem vender hoje a esse valor, porque não poderão quando a gente sair desse período?”, questiona.

Nesse posto o álcool era vendido a R$ 3,35 no início do ano. Foto: Terra do Mandu

MP VAI FISCALIZAR QUEM NÃO REPASSAR REDUÇÃO

A partir dessa semana, o Ministério Público Estadual irá intensificar a fiscalização nos postos de combustíveis de Pouso Alegre para verificar se estão repassando a queda no preço dos combustíveis para o consumidor.

“Postos não costumam repassar todo a queda de preços da Petrobras, que já acumula redução de cerca de 40 % desde o início do mês de março”, afirma o fiscal do MP, Renato Nunes.

O fiscal do Ministério Público reforça que as reduções nos valores cobrados nas bombas devem acontecer, mesmo que elas não sejam com a mesma intensidade que acontece nas refinarias por questões de impostos e adição de biocombustíveis na gasolina, por exemplo.

“Cabe ao Ministério Público, através do Procon Estadual, recomendar que os postos de combustíveis usem da paridade de reduções que a Petrobrás a eles confere e assim seja repassado ao consumidor final”, salientou o fiscal que reforça ainda que o MP poderá tomar medidas contra os estabelecimentos que descumprirem normas do direito do consumidor.

Categoria: Economia

Primeiro ano de atuação da Cooperativa em solo mineiro foi marcado pelo crescimento de associados. Extrema e Cambuí ganhará agências Sicredi nos próximos meses.

Agências foram inauguradas em Pouso Alegre, Itajubá e Santa Rita do Sapucaí. Fotos: reprodução/arquivo Sicredi

O dia 28 de março sempre será lembrado na história da Sicredi Alto Uruguai RS/SC/MG, pois marca, de forma oficial, o início da expansão da Cooperativa na região do sul de Minas Gerais, sendo celebrado de forma especial pelo bom desempenho de cada uma das agências inauguradas em 2019 – Itajubá, Santa Rita do Sapucaí e Pouso Alegre. Neste período, a quantidade acumulada de associados ultrapassou os dois mil, os recursos administrados atingiram R$ 18 milhões e a carteira de crédito superou a marca de R$ 40 milhões.

O diretor-executivo, Márcio Girardi atribui esta arrancada a confiança das pessoas a estrutura e proposta de atuação da cooperativa, que além de soluções financeiras, é parceria dos associados, pratica um relacionamento simples e próximo e investe em iniciativas sociais que beneficiam a sociedade e associados.

O gerente da agência de Pouso Alegre, Felipe Lazzaretti, salienta que “a proposta de valor do Sicredi é muito diferenciada em relação a outras instituições financeiras tradicionais. Quando temos o cooperativismo ‘na veia’ e acreditamos que ele pode transformar o mundo e a sociedade que estamos inseridos, somos capazes de realizar muitas coisas. Temos muitos desafios, mas focando no cooperativismo, conseguiremos influenciar positivamente o povo mineiro e alcançarmos juntos resultados exponenciais para todos”, acredita Lazzaretti.

A aceitação do povo mineiro pelo jeito Sicredi de ser é avaliada positivamente também pelo gerente da agência de Santa Rita do Sapucaí, Vitor Fernando Debortolli. “Sentimos que as pessoas têm um apreço muito grande pelo Sicredi quando entendem o espírito do cooperativismo. A população daqui, gosta muito desta postura que temos quanto ao trabalho realizado e o atendimento próximo, o que contribui, e muito, com a nossa evolução em solo mineiro”, explica o gerente.

Da mesma forma, o gerente da agência de Itajubá, Fernando Conte, assegura que a adesão à Cooperativa está surpreendendo. “Com uma estrutura moderna e funcional, temos a missão de fortalecer o cooperativismo e contribuir com o crescimento e desenvolvimento dos associados e da sociedade. Chegamos em Minas Gerais para somar e cooperar com este povo acolhedor e próspero. Pela boa receptividade que estamos tendo, desde a nossa instalação e pelos bons números atingidos em tão pouco tempo, acredito que estamos conseguindo alcançar nossos objetivos”, disse Conte.

Dando continuidade ao projeto de expansão mineiro, nos próximos meses serão abertas agências em Extrema e Cambuí.

Categoria: Economia

Em Pouso Alegre valem as mesmas determinações do governo do estado para o que pode e não pode funcionar nesse período de enfrentamento da pandemia do novo coronavírus.

Nesta sexta-feira (27) algumas lojas do Centro de Pouso Alegre foram reabertas. Os estabelecimentos estavam fechados há quase uma semana, seguindo o que determinava um decreto municipal.

Ontem (26/03), a prefeitura de Pouso Alegre editou um novo decreto para seguir as determinações do governo estadual sobre as medidas de enfrentamento à pandemia do novo coronavírus. Com isso, foi flexibilizada a abertura de maior parte do comércio.

O secretário municipal de Planejamento, Alberto Maia, explica as novas regras (VEJA NO VÍDEO). Ele conta que o comércio de rua está permitido, obedecendo as orientações de higiene e distanciamento entre pessoas, em caso de filas. Bares, restaurantes e lanchonetes permanecem com autorização para venderam apenas por delivery, sem consumo no local.

As proibições continuam para academias, cinemas, feiras livres, shopping e galerias. Clínicas estéticas também estão proibidas de funcionar.

Quem decidiu abrir, notou que os clientes estão obedecendo as recomendações de isolamento social e não apareceram para comprar. VEJA NO VÍDEO O QUE FALA A DONA DE LOJA DE ROUPAS MARIA APARECIDA DE SOUZA.

Enquanto alguns lojistas abriram, outros tantos mantiveram as portas abaixadas.

O secretário reforça que a recomendação continua para as pessoas não saírem de casa, principalmente, quem está nos grupos de risco.

Nossa reportagem encontrou um senhor bem idoso (ele não quis falar a idade) caminhando sozinho pelo centro de Pouso Alegre. Ele levava na mão uma sacolinha com medicamentos.

Categoria: Economia

Primeiro lote do antisséptico terá 250 mil unidades que serão entregues aos funcionários da farmacêutica, familiares e população de Pouso Alegre, além de postos de saúde.

Sede industrial do Grupo Cimed. Foto: Magson Gomes/Terra do Mandu

A farmecêutica Cimed anunciou, nesta sexta-feira (20), que irá destinar uma de suas linhas de produção para a fabricação de álcool gel 70%. O lote inicial, com 250 mil unidades, será doado a seus quase 5 mil colaboradores e respectivas famílias, à população da região de Pouso Alegre, sede da fábrica da empresa, e às Unidades Básicas de Saúde (UBS) do estado de Minas Gerais.

Em medida anunciada pelo governo federal ontem (19), as UBSs passarão a receber a maior parte das pessoas com sintomas leves do novo Coronavírus (Covid-19).

A medida foi tomada para desafogar os hospitais que precisam focar o atendimento nos casos graves da doença. Além disso, Minas Gerais antecipou a campanha de vacinação contra a influenza. O objetivo é ajudar profissionais de saúde na triagem de casos para o novo coronavírus.

“Com o aumento do fluxo nas UBS do estado, a Cimed entende que o álcool gel poderá contribuir na proteção e segurança das pessoas nesses locais”, informa a farmacêutica.

Ainda de acordo com a Cimed, a entrega do antisséptico será de inteira responsabilidade da empresa.

“Com isso, a Cimed vem reforçar que, como uma das principais representantes do setor, tem papel essencial e fundamental para a saúde pública. Atualmente, a companhia fabrica 650 produtos. O álcool gel será integrado a esse portfólio”, explica a empresa.

Sobre o funcionamento da fábrica durante o período de pandemia covid-19, o Grupo Cimed informa que tem tomado todas as medidas de segurança para sues funcionários.

“Sabendo também da sua responsabilidade em relação a seus colaboradores, a empresa comunica, ainda, que tem um sólido plano de contingência para os trabalhadores da fábrica, das áreas de logística e de atendimento às farmácias. Medidas essas que visam a segurança ao obedecer as recomendações dos órgãos de saúde competentes”, finaliza.

Categoria: Economia

Medidas podem ser adotadas pelos empresários do comércio para preservar a saúde de funcionários e população, sem precisar fechar os estabelecimentos ou demitir empregados.

O sindicato que representa os empresários do comércio e o sindicato que presenta os empregados do comércio de Pouso Alegre e região definiram medidas para preservar a saúde da população e, ao mesmo tempo, a manutenção dos empregos e o funcionamento das lojas.

Os presidentes das duas entidades assinaram, nesta quinta-feira (19), um termo aditivo à convenção coletiva, se adequando às normas dos governos federal estadual e municipal para o enfrentamento à pandemia do novo coronavírus.

“De acordo com o que a gente está vivendo neste momento e preocupados com a saúde tanto dos funcionários, quanto dos empresários, nós resolvemos criar algumas medidas que possam auxiliar a população, de maneira geral, aqueles que a gente representa”, afirma Alexandre Magno de Moura, presidente do Sindicado do Comércio do Vale do Sapucaí (Sindvale).

Para o presidente do Sindicado dos Empregados do Comércio de Pouso Alegre e Região as medidas sugeridas são as mais adequadas para esse momento.

“O Sindicato dos Empregados do Comércio, visando aí uma segurança por parte dos comerciários, a gente analisou e formalizou uma proposta de aditivo e encaminhamos para o sindicato patronal.  Após duas ou três reuniões foi formalizado o termo aditivo à convenção coletiva”, explica Eduardo José Alcebíades, presidente do Sinecom.

Eduardo explica que os funcionários estão com seus direitos resguardados. “Estão garantidos todos os direitos dele. Uma das questões que a gente debateu mais com o sindicato patronal foi a questão da divisão das férias. A gente chegou a um consenso da empresa poder fazer o pagamento em até três parcelas. Resguardando também o emprego do comerciário”.

Das medidas sugeridas como alternativa para o momento, de acordo com a realidade de cada empresa estão:

  • Possibilidade de concessão de férias individuais ou coletivas;
  • Utilização do Banco de Horas;
  • Priorizar folgas para mães que possuem dependentes em idade escolar, considerando a suspensão das aulas;
  • Por meio de acordo individual de trabalho, priorizar o home office e teletrabalho para o Grupo de Risco (idosos, gestantes, transplantados, diabéticos, hipertensos, soropositivos e doenças crônicas);
  • Adotar medidas de diminuição do risco de contágio aos empregados no ambiente de trabalho, fornecendo máscaras, álcool em gel, sabonetes e limpeza contínua do ambiente de trabalho;
  • Disponibilizar luvas descartáveis para os funcionários que exerçam função de caixa;
  • Evitar aglomerações de trabalhadores e clientes;
  • Ainda como medida preventiva dos empregos e, visando a manutenção do comércio de Pouso Alegre, caso seja necessária a negociação de reduções salariais, orienta-se que a empresa entre em contato com o SINDVALE e o SINECOM.

As medidas sugeridas no termo aditivo têm validade de 90 dias. O documento foi protocolado no Ministério do Trabalho.

“Para que a gente possa da uma maior tranquilidade para o empresário e para o funcionário nesse momento de pandemia. A gente sabe que a gente (Sindvale) defende o empresário e o Sinecom defende o empregado, mas agora a gente está defendendo a vida dessas pessoas e a manutenção do emprego e a manutenção da empresa”, diz A  lexandre Magno.

Veja a íntegra do Termo Aditivo.

 

Categoria: Economia

Participação de associados e convidados nas primeiras assembleias de núcleos realizadas comprova a aceitação do modelo cooperativo e fortalece a confiança na atuação da cooperativa de crédito no Estado.

Assembleia Sicredi em Pouso Alegre. Foto: Divulgação/Sicredi

Com menos de um ano de atuação no Sul de Minas Gerais, a Sicredi Alto Uruguai RS/SC/MG realizou pela primeira vez as assembleias de núcleos nos três municípios onde há agências instaladas – Pouso Alegre na segunda, 09, Itajubá na terça, 10 e encerrando no dia 11 em Santa Rita do Sapucaí.

Durante as assembleias, foram expostos os indicadores de crescimento da Cooperativa e a prestação de contas do exercício de 2019, destinação dos resultados, entre outros assuntos de relevância ao quadro social. Desta maneira, o Sicredi demonstra seu modelo de governança e gestão do empreendimento, traz informações do que foi feito e possibilita que o associado interaja, votando sobre as escolhas estratégicas da instituição. Neste ano os associados utilizaram o sistema de votação eletrônica, implantado em 2019 e que garante privacidade nas manifestações (voto).

Assembleia Sicredi em Itajubá. Foto: Divulgação/Sicredi

De acordo com a presidente Angelita Marisa Cadoná, as assembleias são o momento máximo da vida de uma Cooperativa. “Elas são uma oportunidade de o associado estar próximo dos dirigentes da Cooperativa, acompanhando a evolução do planejamento estratégico e a gestão executiva do empreendimento. Especificamente, em Minas Gerais, estamos muito felizes, pois em menos de um ano atuando na região sul mineira, tivemos uma participação extremamente efetiva nas assembleias realizadas. Isso aumenta nossa responsabilidade e ao mesmo tempo nos inspira a seguir na busca da evolução constante de nossa atuação, pois a sociedade vem acreditando nesta proposta diferenciada, onde primamos pela transparência e relacionamento, colocando em prática os princípios e os valores do cooperativismo”, frisa a presidente.

Associado

O coordenador de núcleo de Santa Rita do Sapucaí/MG, César Sodré Moreira de Alckmin, pela primeira vez participou de uma assembleia do sistema Sicredi e avaliou positivamente a oportunidade. “Aqui foi possível aprendermos mais sobre cooperativismo, pude verificar a gestão transparente que o Sicredi atua, a maneira que promove a participação do cooperado, levando informação de forma clara e moderna, usando sistemas eletrônicos para votação. Gostei muito de ver como o sistema está crescendo, os números da Cooperativa, as vantagens de ser associado. Com certeza, é uma instituição que agrega valor e promove o desenvolvimento local e que vale a pena acreditarmos”, assegura Alckmin.

Assembleia Sicredi em Santa Rita do Sapucaí. Foto: Divulgação/Sicredi

Atuação social

Nas assembleias, também foram comentados assuntos referentes aos nove programas sociais e ao Fundo de Desenvolvimento Regional, que receberam no ano passado investimento de R$ 3,2 milhões em ações de estímulo ao empreendedorismo, à formação de pessoas e à educação. Conforme Angelita, o que é captado pela Cooperativa é reinvestido na própria sociedade. “Este retorno, não é somente em forma de produtos e serviços financeiros, que é objeto da nossa atividade enquanto cooperativa de crédito, poupança e investimento, mas também pelo pilar social, que nos diferencia na atuação e agrega valores a sociedade”, finaliza.

Categoria: Economia

As palestras acontecem nesta quarta e quinta, das 19h às 22h, com entrada gratuita.

Na Semana da Mulher, o Senac preparou palestras com o tema “Transformando o ser com seu fazer” para discutir o empreendedorismo feminino, que valoriza as técnicas manuais de diversos segmentos onde as mulheres atuam.

Em Pouso Alegre, as palestras ocorrem nesta quarta-feira (11) e na quinta-feira (12). As atividades são das 19h às 22h e gratuitas.

A palestra desta quarta-feira será “Quero Transformar minha Arte em Negócio”; amanhã o assunto será “Como divulgar melhor meu Produto Artesanal”. O Senac Pouso Alegre fica na Avenida Vicente Simões, 370 – Centro.

TENDÊNCIA DO “FEITO À MÃO”

A Gerência de Produtos do Senac em Minas realizou um estudo sobre a tendência do “FEITO À MÃO”. O resultado apontou que as produções artesanais são hoje uma ferramenta de transformação social, com criações atuais de qualidade, com design moderno, imagens atualizadas dos produtos para as redes sociais e logo e embalagem bem desenhados. Além disso, o artesanato contemporâneo pode explorar sustentabilidade e empoderamento feminino, proporcionando oportunidade de produzir artesanato com alto valor agregado, liderado e executado por mulheres empreendedoras.

PROGRAMAÇÃO

Senac Pouso Alegre
(Av. Vicente Simões, 370 – Centro)

11/03 – 19h as 22h

Palestra – Quero Transformar minha Arte em Negócio

12/03 – 19h as 22h

Palestra – Como divulgar melhor meu Produto Artesanal

Categoria: Economia

100% brasileiro, Garupa já ocupa a terceira posição no país como aplicativo de mobilidade urbana mais utilizado. O Garupa está presente em mais de 600 cidades, de 10 estados. Entre os diferenciais da plataforma estão o escritório próprio nas cidades e categorias para transportes de crianças, animais e objetos. No final do texto tem os links de como baixar o app.

A partir deste mês de fevereiro, Pouso Alegre e Itajubá passam a contar com o aplicativo Garupa como nova opção de mobilidade urbana. O app é 100% brasileiro e já ocupa a terceira colocação no Brasil de plataforma mais utilizada para quem precisa chegar rápido nos lugares, gastando pouco. Também já é referência para os motoristas que trabalham no setor, garantindo vantagens que outras empresas não oferecem.

O CEO e criador da plataforma, Marcondes Trindade, esteve nas duas cidades para o lançamento oficial do serviço.

Em Pouso Alegre, o executivo da empresa visitou rádios, conversou com jornalistas, esteve com empresários e com o presidente da Associação Comércio e Indústria (Acipa), Filipe Vargas.

O presidente da Acipa recebeu o CEO do Garupa e sua equipe.

Marcondes também se reuniu com cerca de 100 motoristas que já trabalham com aplicativo em Pouso Alegre e apresentou o modelo de negócios do Garupa. O CEO mostrou para eles as vantagens de ser um ‘garuper’ (como são chamados os motoristas parceiros).

O Garupa nasceu em 2017 no Rio Grande do Sul. Hoje, são 55 mil carros rodando em mais de 600 cidades, de 10 estados.

“Com experiência suficiente, com conhecimento suficiente para convidar você a baixar nosso aplicativo; ter uma experiência de uma plataforma brasileira; de um mercado que é nosso e temos que valorizar; deixar nossos recursos aqui. Tudo isso nós estamos fazendo agora em Minas Gerais. O Garupa apontou, definitivamente, seus trabalhos em Minas Gerais”, afirma o executivo da empresa.

O executivo fez algumas apresentações da plataforma ao longo do dia em Pouso Alegre. Foto: Terra do Mandu.

Em cada cidade, o Garupa tem um sócio operador, que garante toda estrutura física e suporte técnico para os motoristas parceiros, como também para os passageiros usuários do app.

“O escritório local era uma necessidade que a gente percebe que os motoristas de aplicativo em Pouso Alegre reivindicava. Agora, com o Grupa, eles passam a ter uma sede com toda estrutura, inclusive jurídica para os motoristas parceiros” conta Ricardo Marques, operador do app em Pouso Alegre.

Para os motoristas que vão trabalhar com o app Garupa, um dos principais atrativos é que são eles que definem o valor da tarifa que é cobrada na cidade.

“Nós procuramos o melhor caminho e a melhor forma para que a gente consiga trabalhar de forma justa, atender bem o passageiro e a gente ser melhor remunerado. A empresa passou essa possibilidade para os motoristas e ainda foi aberta a uma negociação. Foi uma boa reunião”, diz Leandro Mendes (Léo) da associação dos motoristas por aplicativo.

“O interessante que eu achei da empresa é que ela é 100% brasileira, o que é bem legal. E a questão de ter o escritório físico é muito importante. Porque, normalmente, nos outros aplicativos a gente tem que mandar mensagem, e-mail… e aqui a gente vai ter um escritório para resolver qualquer tipo de problema”, comenta o motorista Elias Seabra.

Em Pouso Alegre, os motoristas já estão fazendo o cadastro e a população já pode baixar o aplicativo nas lojas de app. A operação começa nos próximos dias.

No Sul de Minas, o aplicativo também já opera nas cidades de Lavras e Alfenas.

Diferenciais do Garupa
Um dos diferenciais do Garupa é o escritório local. A plataforma tem uma sede física na cidade para atender motoristas e usuários do serviço.

Os outros diferenciais do Garupa são as categorias de transporte, atendendo no transporte de crianças, animais domésticos, objetos e Garupa Mulher.

Garupa Kids
Serviço específico para transporte de crianças em que o carro já estará equipado com cadeirinhas e assentos de elevação obrigatórios para crianças de um a sete anos. Nessas viagens, um adulto responsável deve acompanhar a criança, e a viagem custa 20% a mais.

Garupa Mulher
Serviço que disponibiliza apenas motoristas do gênero feminino para atender somente passageiras mulheres.

No Garupa mulher passageira pode pedir mulher motorista. Foto: Divulgação

Garupa Pet
Serviço especializado em transporte de animais domésticos de pequeno e médio porte, com até 10 kg. Nesta modalidade, o veículo já contará com capas impermeáveis nos bancos para evitar sujeiras, o que aumentará a tarifa em 20%.

Garupa Objeto
Esta modalidade é voltada para a entrega de pequenos volumes, como caixas, compras de supermercado, roupas da lavanderia e documentos. O motorista deve ter conhecimento do que estará levando e uma pessoa deve ficar responsável pela entrega e outra pelo recebimento. Esse serviço também cobra 20% a mais na tarifa do Garupa.

Como usar o Garupa
Assim como demais aplicativos do gênero, no Garupa o usuário deve informar sua localização no mapa e aguardar que um motorista parceiro (chamado de “garuper”) faça o transporte até o seu destino.

O cadastro é feito com poucos dados, como nome completo, CPF e um número de telefone, podendo usar as credenciais do Facebook para preencher o formulário. Uma selfie também é exigida para identificar o passageiro nas viagens. O pagamento pode ser feito usando cartão de crédito pelo próprio app Garupa, dinheiro ou crédito pré-pago, que deve ser acumulado por meio do pagamento de boletos bancários solicitados previamente.

Quais os benefícios do app Garupa para os motoristas?
Para se tornar um “Garuper”, o motorista deve realizar um cadastro pelo app “Garupa Motorista”, específico para os profissionais. Nele, será preciso enviar os documentos oficiais do condutor, como CNH e documento do veículo, além de fotos atualizadas do carro.

Após uma análise dos dados, incluindo uma checagem de antecedentes criminais realizada pela equipe do aplicativo, o motorista estará apto a dirigir pelo Garupa.

Os motoristas recebem um pagamento padrão de 80% do valor de cada corrida. Esse valor é o mínimo estipulado pelo aplicativo, e pode aumentar em algumas cidades, podendo chegar a 90% da tarifa, a depender da demanda e da estratégia local.

Passageiro: Baixe o aplicativo, escolha o serviço que te atenda e conheça o terceiro aplicativo de mobilidade mais utilizado no país.
Motorista: Dirija com segurança e respeito. Seja seu chefe, ganhe dinheiro, tenha uma renda extra, Seja Garuper!
O cadastro on-line pode ser feito de duas maneiras: neste link ou direto no aplicativo.

Categoria: Economia

A economia gerada aos associados com esta isenção será em torno de R$ 8 milhões neste ano. Além disso, Instituição Financeira Cooperativa determina nova taxa de juros do cheque especial/empresarial.

Presidente Angelita Marisa Cadoná e diretor executivo Márcio Girardi anunciam novidades. Foto: Divulgação

Com o objetivo de satisfazer cada vez mais o associado, a Sicredi Alto Uruguai RS/SC/MG divulgou uma novidade, nesta semana. A Cooperativa optou por isentar a tarifa mensal de conta corrente, que passa a não ser cobrada dos associados a partir de 1º de março, e beneficiará todas as pessoas físicas (urbanas e agro) e as empresas classificadas como entidades, microempreendedor individual (MEI) e microempresas, o que contemplará hoje 93% do quadro social. A economia gerada aos associados com esta isenção será em torno de R$ 8 milhões neste ano.

Além disso, também foi determinada a nova taxa de juros do cheque especial/empresarial, que passará a vigorar a partir de março para todos os associados, variando de 2,9% a 7,9% ao mês, de acordo com o perfil individual de risco. Com ambas medidas, a Cooperativa aumenta o valor agregado aos associados que a utilizam, pois, além de pagar menos taxas, o associado também participa dos resultados gerados na proporção das suas movimentações financeiras, recebe remuneração da sua cota capital, participa dos diferentes programas e iniciativas de relacionamento e desenvolvimento humano e social, promovidos pela Cooperativa.

De acordo com o diretor-executivo, Márcio Girardi, o mercado financeiro está em transformação e pede um reposicionamento rápido. “Para isso, estamos valorizando nossa essência cooperativa, evoluindo a eficiência na gestão dos recursos e inovando nas parcerias e soluções para os diferentes perfis de associados. Além de reduzir custos, nosso objetivo é agregar valor, entendendo o que as pessoas precisam para oferecer as soluções adequadas no ciclo de relacionamento, com um atendimento próximo e humano. Sempre vamos investir muito na formação dos colaboradores e apoiar as iniciativas de desenvolvimento das pessoas, incentivando as redes de cooperação e fomentando o empreendedorismo local e regional, contribuindo de diferentes formas e com parcerias na evolução da sociedade onde atuamos”, comenta o diretor-executivo.

Planejamento 2020

O crescimento da Cooperativa está em uma constante. Conforme a presidente, Angelita Marisa Cadoná, para 2020 a expectativa é de alcançar mais de 86 mil associados, levando em consideração os benefícios do Sicredi aos associados e também as novas praças de atendimento que serão abertas, ainda neste ano – cinco novos pontos de atendimento no Estado de Minas Gerais e mais dois em Santa Catarina. “Também, a estimativa é atingir a marca de R$ 1,7 bilhão de recursos administrados e o mesmo montante de carteira de crédito, chegando a R$ 294 milhões de patrimônio líquido e gerando um resultado líquido de R$ 53 milhões”, anuncia Angelita.

Juntos Fazemos o Bem

Outra ação da Cooperativa que está sendo desenvolvida em todos os municípios de sua atuação, é a Juntos Fazemos o Bem, lançada no começo deste ano, a qual possibilita aos associados que investirem no Sicredi, indicar uma entidade social para ser beneficiada com a doação proporcional de 0,40% do montante aplicado, valor que será doado pela Cooperativa. Segundo Angelita, o valor projetado de destinações para o Fundo de Assistência Técnica, Educacional e Social (Fates) e para o Fundo de Desenvolvimento Regional, somados ao valor estimado em retorno às entidades sociais, poderá ultrapassar os R$ 6 milhões revertidos em prol dos associados e da sociedade. Para mais informações, acesse: https://sicredialtouruguai.com.br/juntosfazemosobem/.