Categoria: Economia

Com apoio do Sicredi, Lucas Alessandretti, de Pouso Alegre, Sul de Minas, amplia seu negócio e instala energia solar para gerar economia na conta de luz. Foto: Divulgação Sicredi

Envolvido com animais desde a infância, em função do seu pai ser proprietário de um Pet Shop, Lucas Alessandretti, 31 anos, decidiu, há seis anos, tomar frente dos negócios, se dedicar à empresa em Pouso Alegre, no Sul de Minas, e ampliá-la. Atualmente, trabalha no ramo de vendas de produtos para pequenos animais e na área de medicina veterinária, com atendimento clínico e cirúrgico, tudo em um mesmo espaço.

– Gerenciar o negócio é um desafio constante, pois temos um fluxo de cerca de 180 clientes diariamente na empresa e queremos sempre oferecer o melhor atendimento possível. Acredito que a grande procura pelos nossos serviços, é por termos tradição no mercado, pois a empresa existe há mais de 40 anos, e também pela qualidade no trabalho que prestamos. Para dar conta da demanda, temos uma ótima equipe, que são mais que funcionários, trato-os como irmãos. Confio muito nos nossos colaboradores e setorizo ao máximo todas as funções, porque no meu entendimento, quem faz tudo não faz nada, por isso a necessidade de divisão de funções – justifica.

Lucas diz que é maravilhoso acordar todos os dias e saber que pode trabalhar no que gosta. “O amor pelo que faço é o meu combustível no negócio e me dedico ao máximo para vê-lo crescer. Por este motivo, decidi estudar para ser médico-veterinário, buscar mais conhecimento e poder aplicá-lo na empresa, porque entendo que nada é tão bom que não possa melhorar. Temos objetivo de ampliar o portfólio, oferecer novidades constantes e, consequentemente, aumentar o número de vendas. No futuro, quero ainda atuar com reprodução de animais, buscando fazer o melhoramento genético. Todos estes investimentos serão feitos, porque hoje em dia os animais praticamente fazem parte das famílias e eu sou reconhecido por levar amor aos lares dos nossos clientes, através dos pequenos animais. Isso me impulsiona a continuar neste ramo”, conta o empresário.

Lucas faz medicina veterinária para garantir cada vez mais qualidade nos atendimentos na empresa. Foto: Divulgação Sicredi

Parceria com o Sicredi

A Sicredi Alto Uruguai RS/SC/MG está instalada em Pouso Alegre/MG há pouco mais de seis meses. Mesmo neste curto espaço de tempo, a agência local já alcançou mais de 400 associados, entre eles, o Lucas que usufrui dos benefícios de integrar o quadro social da cooperativa. Além de participar da divisão de resultados, e aproveitar várias outras vantagens, o empresário também escolheu o Sicredi para financiar a ampliação da sua empresa, por ter baixas taxas de juros. “A loja estava ficando pequena e aproveitamos a diminuição no fluxo de clientes, neste período, em função da pandemia, para ampliar o espaço. Além disso, financiei a instalação da usina solar, que vai gerar uma economia considerável na conta de luz. Estou muito feliz em conhecer a cooperativa. O Sicredi me foi apresentado por um amigo e sempre fui muito bem atendido. A minha satisfação foi tanta que acabei levando todas as minhas contas, tanto de pessoa física como jurídica, para a agência”, finaliza o empresário.

Conteúdo: Assessoria Sicredi

Categoria: Economia

Em Pouso Alegre duas agências da Caixa estarão abertas das 08h às 12h. Agências da região também vão abrir. Neste sábado começa o calendário para pagamento da 2ª parcela em espécie aos beneficiários nascidos em janeiro.

A Caixa Econômica Federal vai abrir mais de 30 agências no Sul de Minas neste sábado (30) para atendimento aos beneficiários do Auxílio Emergencial que receberam a primeira parcela até 30 de abril, nascidos em janeiro e que queiram fazer o saque em espécie do benefício. O horário de atendimento será das 08h às 12h.

Em Pouso Alegre, estarão duas agências, a que fica na Praça Senador Eduardo Amaral, no Centro, e a agência da Rua Comendador José Garcia. Entre outras cidades onde terão agências abertas neste sábado estão Santa Rita do Sapucaí, Itajubá, Ouro Fino, Monte Sião, Extrema, Camanducaia, Cambuí, Paraisópolis. Clique aqui e confira a lista completa das unidades que vão abrir as portas.

Além disso, o banco escalonou os pagamentos. Neste sábado (30), poderão sacar apenas os 2,6 milhões de beneficiários nascidos em janeiro. Essa regra vale também para quem indicou contas de outros bancos para receber a ajuda. Confira abaixo o calendário completo:

Não precisa madrugar nas filas

A Caixa reforça que não é preciso madrugar nas filas. Todas as pessoas que chegarem nas agências durante o horário de funcionamento, de 8h às 12h, serão atendidas. Elas vão receber senhas e, mesmo com as unidades fechando às 12h, o atendimento continua até o último cliente.

A triagem nas filas foi reforçada, de forma que aqueles que não estão na data respectiva de pagamento em espécie não permaneçam no local.

Continua à disposição do beneficiário a possibilidade de movimentação do recurso pela Poupança Social Digital. Desde o dia 20 de maio, já foram creditadas 31 milhões de contas para pagamento da segunda parcela, totalizando R$ 20,3 bilhões.

Outros calendários:

Nesta sexta-feira (29), terminam os escalonamentos definidos para pagamento da segunda parcela aos beneficiários do Auxílio Emergencial que integram o Bolsa Família, contemplando 9,5 milhões de beneficiários, e para o pagamento da primeira parcela aos 8,3 milhões de pessoas que ainda não tinham recebido o recurso, totalizando R$ 5,3 bilhões. Mesmo após o encerramento desses calendários, os valores do auxílio continuarão disponíveis para recebimento.

Categoria: Economia

Segundo sindicato do setor, pelo menos, cinco hotéis de Pouso Alegre estão fechando e aguardam o fim da pandemia para reabrirem. Quem permanece aberto, chega a hospedar três pessoas por dia. Setor também diz que custos será maior com novas medidas de higiene. VEJA VÍDEO ABAIXO.

O setor de turismo é um dos mais afetados pela crise do novo coronavírus. Em Pouso Alegre, hotéis demitiram funcionários e fecharam as portas.

Antes da pandemia, a taxa de ocupação nos hotéis da cidade girava em torno dos 70%, graças ao turismo de negócios. Hoje, para quem continua funcionando, a taxa de ocupação é de 10% e já esteve pior, como explica o presidente do sindicato dos hotéis, bares e restaurantes de Pouso Alegre, Marco Antônio Dias

“No primeiro mês da pandemia ficamos com três a cinco pessoas por dia no hotel. Hoje já pulamos para cerca de 10% de ocupação, mas a dificuldade está muito grande. Tanto é que temos cerca de 20 hotéis em Pouso Alegre e cinco estão fechados devido a pandemia”, afirma o presidente do sindicato do setor.

Um dos hotéis que fechou as portas é o Central Parque, que fica próximo à Rodoviária de Pouso Alegre. Por telefone, a proprietária, Flávia Junqueira, explicou que teve que demitir 12 funcionários, pois não compensava manter o hotel aberto, nem com os planos de ajuda do governo federal.

“Eu não poderia ficar com os funcionários mais um tempo e não ter dinheiro para acertar com eles lá na frente, então, achei melhor adotar essa medida agora”, conta a dona do hotel.

É a primeira vez em 22 anos que o hotel fica fechado. A expectativa da proprietária era reabrir em agosto. Mas ela acredita que esse retorno terá que ser adiado.

“Eu acho que essa crise vai se prolongar. Tenho lido e assistido lives de hotelaria, do Sebrae… infelizmente, as perspectivas não são boas. Vai demorar voltar o novo normal. Vai ser muito lento isso”, constata a empresária.

Marco Antônio Dias não fechou o hotel, mas demitiu funcionários e adotou outras medidas administrativas.

Os empresários do setor sabem que os custos da operação de hotéis também vão aumentar com os novos procedimentos de segurança e higiene mesmo com o fim da pandemia.

“Vamos ter que nos readequar ao sistema, como foi feito com o sistema de vigilância sanitária. E essa readequação vai acontecer no decorrer do tempo. Bares, restaurantes e hotéis vão voltar ao normal, mas com critérios diferentes que a gente estava usando. Reestruturando limpeza, qualidade de trabalho, prevenção em relação a pandemia”, explica Marco Antônio Dias.

“Só tem uma coisa que pode ajudar os hotéis: é uma reforma tributária. E mesmo trabalhista. O investimento não está compensado, de forma alguma, o trabalho de hotelaria no momento”, afirma Flávia Junqueira.

Reportagem em vídeo:

Categoria: Economia

As doações da ação ‘Juntos Fazemos o Bem’ são semanais. O Sicredi doa de 0,20% a 0,40% do valor aplicado pelo associado, sem ônus para quem faz a aplicação.

Gerente da Cooperativa Sicredi se reuniu com diretores da FUVS, mantenedora do hospital. Foto: Ascom FUVS

A cooperativa financeira Sicredi Alto Uruguai RS/SC/MG anunciou que irá destinar recursos ao Hospital das Clínicas Samuel Libânio, em Pouso Alegre, para o combate ao novo coronavírus. Na ação solidária, quando um associado da Sicredi faz algum investimento financeiro, uma porcentagem é doada pela cooperativa ao hospital.

Esta doação será feita pela cooperativa, sem nenhum ônus ao associado, no percentual de 0,40% sobre o valor aplicado, pelo período mínimo de 180 dias, e 0,20% sobre a quantia aplicada com carência de no mínimo 90 dias, nos produtos de investimento: Sicredinvest, Sicredinvest Flex, Sicredinvest Evolutivo, Sicredinvest Exclusivo e RDC Pré-fixado.

“A Sicredi é uma cooperativa que busca parcerias para desenvolvimento local das cidades em que atua. Estamos muito felizes em poder ajudar a população de Pouso Alegre e região, através da ação Juntos Fazemos o Bem”, afirma o gerente da Sicredi Alto Uruguai RS/SC/MG, Felipe Lazzaretti.

Os repasses da ação estão sendo feitas semanalmente, já que o trabalho no combate à pandemia não para. O associado pode indicar o Hospital Samuel Libânio, ajudando assim a instituição nesse momento difícil de pandemia, que está na linha de frente do combate ao novo Coronavírus.

“Agradecemos mais essa ação de solidariedade desta cooperativa que trabalha fortemente na valorização das pessoas. Em nome de todos os funcionários e pacientes do Hospital Samuel Libânio agradeço esse ato de carinho e reconhecimento do trabalho dessa instituição”, agradece o diretor executivo da FUVS, Igor Souza Nogueira Oshiro.

Sicredi Alto Uruguai no Sul de Minas

A Sicredi Alto Uruguai RS/SC/MG está presente no Sul de Minas desde o ano passado, quando iniciou, de forma oficial, a expansão da Cooperativa na região. Agências foram inauguradas em Itajubá, Santa Rita do Sapucaí e Pouso Alegre.

A agência da Sicredi em Pouso Alegre fica na Rua Comendador José Garcia, n. 391, Centro.

Categoria: Economia

Campanha visa estimular a consciência da cooperação para recuperar os negócios e fortalecer a região. A Sicredi Alto Uruguai RS/SC/MG está presente no Sul de Minas com agências em Itajubá, Santa Rita do Sapucaí e Pouso Alegre.

Neste momento delicado que vivemos, com riscos crescentes à saúde humana e empresas em dificuldades, decorrentes das restrições de circulação e diminuição considerável de consumidores, devido à pandemia do coronavírus, a melhor forma de apoiar a economia para a recuperação e retomada do desenvolvimento é apoiar os empreendedores locais. Para auxiliar nesta missão, o Sicredi lançou em todo Brasil na última semana a campanha “Eu Coopero com a Economia Local”.

A iniciativa, segundo diretor-executivo da Sicredi Alto Uruguai RS/SC/MG, Márcio Girardi, visa incentivar o consumo local e estimular às pessoas a comprarem de quem está próximo.

“Precisamos construir e fortalecer o círculo virtuoso na economia local, pois se os consumidores priorizarem o atendimento de suas necessidades de consumo nas empresas do próprio munícipio, não só os negócios serão retomados, mas empregos serão mantidos e a renda dos salários, irá incrementar toda a economia, beneficiando todos os setores”, afirma Girardi.

“Além disso, os negócios geram arrecadação de impostos, que são a maior fonte de sustentação da estrutura pública de serviços, indispensável ao amparo e apoio a sociedade, a exemplo do Sistema Único de Saúde (SUS). Este é o melhor momento de pensarmos e agirmos de forma coletiva, trabalharmos de mãos dadas, fazendo juntos, cooperando em vez de competindo. Ao valorizarmos os negócios locais, sem descumprir as medidas de proteção e prevenção necessárias, contribuiremos para a recuperação da economia local e regional com respeito a vida humana neste “novo normal” que a pandemia já provocou”, frisa o diretor-executivo.

Benefícios do Cooperativismo

Em estudo encomendado pelo Sicredi para a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), intitulado “Benefícios Econômicos do Cooperativismo de Crédito na Economia Brasileira”, fica evidente o impacto positivo que as cooperativas geram nas comunidades em que estão inseridas. De acordo com o levantamento da Fipe, há fortes evidências a respeito das contribuições do cooperativismo de crédito para o desenvolvimento econômico, uma vez que a presença do cooperativismo tende a incrementar a renda por habitante dos municípios em 5,6%, a quantidade de empregos em 6,2% e aumentar o número de estabelecimentos comerciais em 15,7%, estimulando, portanto, o empreendedorismo local.

Sicredi Alto Uruguai no Sul de Minas

A Sicredi Alto Uruguai RS/SC/MG está presente no Sul de Minas desde o ano passado, quando iniciou, de forma oficial, a expansão da Cooperativa na região. Agências foram inauguradas em Itajubá, Santa Rita do Sapucaí e Pouso Alegre.

Categoria: Economia

A reportagem do Terra do Mandu entrou em contato com as concessionárias de fornecimento de energia e água. A Cemig informa que não houve aumento no valor da tarifa. As contas estão mais caras pelo fato de as pessoas estarem mais em casa, em tempos de isolamento social. Veja no vídeo abaixo. A Copasa ainda não enviou retorno.

Segundo Cemig, não houve reajuste na tarifa de energia. Foto: Terra do Mandu

Muitos consumidores de Pouso Alegre estão recebendo as contas de água e energia elétrica em casa com valores acima do que estavam acostumados a pagar, informa o Procon Municipal.

O órgão de proteção e defesa do consumidor disse que notificou as concessionárias Cemig e Copasa para prestarem informações e “esclarecimentos sobre a percepção dos consumidores deste Município com relação aos aumentos repentinos nas respectivas contas de energia elétrica e água”, diz nota enviada pela assessoria da prefeitura.

A reportagem do Terra do Mandu entrou em contato com as concessionárias para saber se houve alguma alteração no valor da tarifa de água e energia em Pouso Alegre.

Consumo médio de energia subiu 0,6% por causa do isolamento social

A Cemig informa que não houve nenhum reajuste até o mês de abril na tarifa de energia. De acordo com a empresa, houve um aumento médio de 0,6% no consumo de energia dos clientes residenciais da sua área de concessão devido ao isolamento social provocado pela pandemia do novo coronavírus.

“As pessoas têm ficado mais em casa e essa situação pode aumentar a frequência da utilização de equipamentos elétricos e consequentemente, o consumo de energia. Diante disso,  a Cemig orienta os seus clientes sobre o uso eficiente de energia para evitar surpresas na conta de luz”, diz a empresa por meio de nota.

As leituras dos relógios da Cemig

Com as restrições de mobilidade mais rígidas durante o início da pandemia, no mês de março alguns clientes tiveram a leitura feita pela média, com eventuais acertos a maior ou menor na conta atual. Agora, as leituras estão sendo feitas normalmente. Somente são emitidas pela média dos últimos 12 meses, as contas dos clientes que não permitem a entrada do leiturista da Cemig para acessar o padrão de energia, o que não atinge 2% do volume de clientes.

A Cemig ainda orienta os próprios clientes podem fazer a leitura do medidor, ou ainda, acompanhar o consumo mensal através dos números que aparecem nas contas e no relógio do padrão.

Contato do Procon para reclamações e dúvidas:

Para outras informações e esclarecimentos, orientamos a população a acionar o PROCON Municipal por meio dos seguintes contatos telefônicos: (35) 3449-4315 ou (35) 3449-4932, ou por meio do e-mail institucional do órgão, procon@pousoalegre.mg.gov.br.

Veja os vídeos divulgados pela prefeitura de Pouso Alegre e pela Cemig:

Categoria: Economia

Mais de duas semanas atrasado em relação ao calendário inicial, pagamento da 2ª parcela vai até o dia 13 de junho, começando por quem recebe Bolsa Família.

A segunda parcela de R$ 600 do Auxílio Emergencial começará a ser creditada nesta segunda-feira (18). O calendário de pagamento foi divulgado na sexta (15) pelo Ministério da Cidadania. O benefício é destinado aos trabalhadores informais, microempreendedores individuais (MEI), autônomos e desempregados que perderam renda por causa da pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

Ao todo, cerca de 50 milhões de pessoas estão inscritas no programa. O benefício é pago para trabalhadores informais e pessoas de baixa renda, inscritos do cadastro social do governo e no Bolsa Família.

O calendário publicado nesta sexta-feira vale para as pessoas que receberam a primeira parcela até o dia de 30 de abril de 2020.

Veja o calendário de depósitos para beneficiários do Bolsa Família:

Os beneficiários do Bolsa Família elegíveis para receber o auxílio poderão sacar em espécie, da mesma forma do benefício regular, conforme o número final do Número de Identificação Social (NIS). O calendário para este público já inicia nesta segunda-feira (18) conforme quadro a seguir:

Último dígito do NIS: Data do crédito:
1 18 de maio
2 19 de maio
3 20 de maio
4 21 de maio
5 22 de maio
6 25 de maio
7 26 de maio
8 27 de maio
9 28 de maio
0 29 de maio

Veja o calendário para depósito em poupança social:

Nascidos em: Dia de recebimento do benefício:
janeiro e fevereiro 20 de maio
março e abril 21 de maio
maio e junho 22 de maio
julho e agosto 23 de maio
setembro e outubro 25 de maio
novembro e dezembro 26 de maio

Veja o calendário para saque e transferência da poupança social:

Nascidos em: Liberado em:
janeiro 30 de maio
fevereiro 1 de junho
março 2 de junho
abril 3 de junho
maio 4 de junho
junho 5 de junho
julho 6 de junho
agosto 8 de junho
setembro 9 de junho
outubro 10 de junho
novembro 12 de junho
dezembro 13 de junho

Categoria: Economia

Antes, pensando em fechar ou demitir, empresas da área de confecções de Pouso Alegre e Santa Rita do Sapucaí se reinventaram e estão faturando mais do que antes da pandemia e até contrataram novos funcionários. São duas mil máscaras por semana.

Empresa que quase fechou as portas, contratou duas funcionárias e produz duas mil máscaras pro semana. Foto: reprodução

A obrigatoriedade do uso de máscaras já é uma realidade na maior parte do Brasil. Além dos governadores baixarem decretos determinando a necessidade da proteção, prefeitos também reforçaram a medida, que é a segunda maneira de conter o avanço no número de contaminados com o novo coronavírus. A primeira medida é o distanciamento social, ficar em casa.

O consultor do Sebrae, Tiago Correia da Cunha, afirma que a pandemia da Covid-19 criou grandes problemas para a maioria dos negócios de diferentes setores econômicos, entre eles o da confecção. Muitas empresas do segmento sentiram o impacto das medidas de isolamento social, diminuíram a produção e outras chegaram a parar temporariamente as atividades. “Em meio à crise, as empresas demonstraram capacidade de reinvenção e inovação nos processos”, afirma.

É o que aconteceu com a New Camisetas em Pouso Alegre, no Sul de Minas. Sem pedidos para o serviço tradicional, o jeito foi se reinventar e começar a produção de máscaras de tecido. “Para não fecharmos as portas e ter que dispensar nossa costureira, focamos nas máscaras personalizadas para empresas. Também queríamos atender o público em geral e fizemos outras estampas. Começamos aos poucos, fazendo algumas amostras e distribuindo para alguns já clientes nossos e foi sucesso”, conta Aline Mara, proprietária da empresa.

Ao invés de dispensar funcionário, a empresa contratou mais duas pessoas para dar conta dos pedidos de máscaras. São produzidas duas mil unidades por semana e vendidas para três estados brasileiros, mais o Distrito Federal.

Hoje, a empresa está faturando mais com a produção de máscaras do que antes da pandemia. A New Camisetas recebe os pedidos através de sua página no facebook. Os valores variam de acordo com a quantidade de máscaras compradas. Além das

Sara Capelo, da Camiseteria S.A., com sede em Santa Rita do Sapucaí, também mudou o foco da produção. A empresa já vendia pela internet, o que facilitou o contato com os clientes.

“Estou enviando máscaras para todo o Brasil. São cerca de duas mil unidades por semana. O faturamento da empresa cresceu, em relação ao que era antes da pandemia”, diz a dona da Camiseteria.

Sara com os filhos divulgam as máscaras que são vendidas pela internet. Fotos: reprodução

Os valores das máscaras variam de acordo com o modelo pretendido pela pessoa. As lisas são mais em conta e custam R$ 7, as brancas estampadas R$12 e as coloridas estampadas R$ 16.

Nas ruas de Pouso Alegre também é possível ver que a obrigatoriedade de máscaras virou oportunidade para vendedores ambulantes. Eles estão nas calçadas e esquinas oferecendo a proteção confeccionada por costureiras locais.

Categoria: Economia

Desde as primeiras horas da manhã deste sábado (09), véspera de Dia das Mães, muitas pessoas já estavam nas ruas de Pouso Alegre em busca dos presentes para as mamães.

As calçadas ficaram assim, bem movimentada. A maioria das pessoas usavam máscara, como recomendam as autoridades de saúde em tempo de pandemia de Covid-19. As lojas também tomaram as medidas com filas e álcool gel para os clientes.

A fisioterapeuta Rafaella Wood foi pesquisar modelo e preço de celular para a irmã, que ela considera como uma segunda mãe (veja no vídeo).

Na loja de calçados, Marcos levou a filha para a missão de comprar presente para a esposa e a mãe dele, e ainda para o filho de marco que faz aniversário no fim de semana.

A gerente da loja, Gabrielle Pereira, diz que o movimento de compras para os Dia das Mães é considerável, mesmo nesse período de pandemia.

Nas ruas, veja o tamanho da fila de carros na Adolfo Olinto.

Aqui, a fila é de filhos que vão dar pijama de presente para as mamães e garantir que elas fiquem confortáveis em casa

Neste sábado, o comércio de Pouso Alegre funciona em horário normal, até às 18h.

Categoria: Economia

O atendimento será exclusivo para o auxílio emergencial. Outras seis agências no Sul de Minas também terão expediente no sábado.

A agência principal da Caixa Econômica Federal em Pouso Alegre estará abera neste sábado (09) para atendimento exclusivo ao Auxílio Emergencial, pago pelo governo federal por causa da pandemia do novo coronavírus. O horário de funcionamento será das 08h às 12h.

A agência que terá expediente em Pouso Alegre fica na Praça Senador Eduardo Amaral, extensão da Av. Dr Lisboa, Centro. As outras duas agências da cidade estarão apenas com o autoatendimento funcionando.

Longas filas

Nas últimas semana as agências da Caixa em todo o Brasil têm recebido milhões de pessoas para sacar os R$ 600 do Auxílio Emergencial pago pelo governo federal. Muita gente que fez o cadastro no aplicativo do benefício tem reclamado que não conseguem concluir o processo e vão às agencias em busca de informações.

As filas em Pouso Alegre têm começado ainda nas madrugadas. Foto: Terra do Mandu

Neste sábado terá expediente em agências de sete cidades do Sul de Minas:

  • Alfenas
  • Lavras
  • Passos
  • Poços de Caldas
  • Pouso Alegre
  • São Lourenço
  • Varginha

A lista completa de onde tem agência funcionando pode ser consultada no site da Caixa.