Categoria: Economia

Receita Federal e PM fazem operação em Pouso Alegre. Foto: Receita Federal

A Receita Federal e a Polícia Militar de Minas Gerais fazem uma operação em Pouso Alegre, nesta quarta-feira (16), com o objetivo de combater o comércio de produtos importados de forma irregular.  A nova fase da ‘Operação Oriente’, concentrou em lojas do centro da cidade, algumas delas na Avenida Dr. Lisboa, que vendem produtos vindos de países asiáticos.

Cerca de 35 auditores-fiscais, analistas e servidores administrativos da Receita Federal, além de 28 policiais militares, participam da operação.

A operação foi denominada de “Oriente” tendo em vista que grande parte das mercadorias apreendidas são provenientes da Ásia Oriental. Trata-se de uma operação contínua que começou em Poços de Caldas, no final de 2019.

Combate à Concorrência desleal

O delegado da Receita Federal em Varginha, auditor-fiscal Michel Lopes Teodoro explica que “as empresas que são alvo da operação estão importando mercadorias de forma irregular, prejudicando os demais empresários do setor. Principalmente nesse período de pandemia em que os comerciantes enfrentam grandes dificuldades, essa concorrência desleal prejudica os empresários que pagam seus impostos em dia, inclusive, gerando desemprego na região. Os principais beneficiados com essa operação são as empresas que importam seus produtos de forma regular”, afirma o delegado da Receita Federal.

Além disso, a Receita Federal alerta que as referidas empresas não estão cumprindo corretamente suas obrigações, inclusive, oferecendo produtos com um valor menor no mercado, prejudicando o comércio local.

Com operações como esta, a Receita Federal evita a circulação, em território nacional, de produtos potencialmente nocivos à saúde e ao meio ambiente, que não se submeteram aos procedimentos de segurança, qualidade e avaliação de conformidade de órgãos reguladores, podendo, inclusive, conter substâncias tóxicas, de uso proibido no país. Além disso, essa operação tem o viés de inibir a venda de produtos pirateados como se fossem originais, lesando os consumidores.

Resultados

Até o momento, foram apreendidos aproximadamente R$1 milhão em mercadorias importadas irregularmente, tais como brinquedos, equipamentos eletrônicos, bijuterias, artigos de vestuário, acessórios, entre outros. As mercadorias apreendidas poderão ter a pena de perdimento decretada, a menos que sejam apresentadas as notas fiscais relativas aos produtos.

Os contribuintes fiscalizados sofrerão representação perante o Ministério Público e poderão responder pelo crime de descaminho, ou seja, pela comercialização de produtos estrangeiros que entraram no país sem o devido recolhimento de impostos. Em caso de condenação, a pena prevista no Código Penal é de 1 a 4 anos de reclusão.

Categoria: Economia

As inscrições para o concurso para formação de soldados da Polícia Militar de Minas Gerais tiveram início nesta segunda-feira, dia 14 de junho, e vão até o dia 14 de julho. Os interessados devem se inscrever no site www.policiamilitar.mg.gov.br/crs .

Ao todo, o concurso oferece 1.653 vagas para todo o estado, sendo 1484 para homens e 169 para mulheres. Para a 17ª Região da Polícia Militar, com sede em Pouso Alegre, são 67 vagas masculinas e oito vagas femininas. Entre os requisitos para entrar no concurso, ter ensino médio completo, ter idade entre 18 e 30 anos e ter altura mínima de 1,60.

A taxa de inscrição no concurso é de R$ 92,62. A prova escrita será aplicada no dia 15 de agosto desse ano. Os candidatos aprovados passam pelas demais avaliações físicas e psicológicas, antes de ingressar no curso de formação de soldados.

A remuneração básica inicial para o Soldado de 2ª Classe é atualmente de R$ 3.962,23. Após a formatura, a carga horária semanal de trabalho será de 40 horas.

Veja o edital completo e a distribuição das vagas por região da PM. CFSD QPPM/2022 – EDITAL 06/2021, DE 10 DE JUNHO DE 2021

Categoria: Economia

A história da empresa Fé e Arte começa com o encontro do mineiro de Pouso Alegre, Cláudio Rios, e com a paulista de São Bernardo do Campo, Cláudia Lopes, na Irlanda, do outro lado do oceano.

Depois de se conhecerem por lá e começar o relacionamento, veio a pandemia e tiveram que voltar ao Brasil e aqui não conseguiram emprego, reflexo da crise provocada pela Covid-19.

Cláudio decidiu investir em um talento que tinha descoberto há pouco tempo em sua estadia na Europa: a marcenaria. Foi aí que o casal resolveu unir a arte da madeira com a religiosidade, e investir as economias em um novo negócio.

Assim surgiu, em janeiro de 2021, a empresa Fé e Arte.  Na lista de produtos oferecidos aos clientes, imagens sacras, suporte para velas, quadros, tábuas personalizadas para queijos, suportes para vinho e outros acessórios em madeira.

Mas, o casal foi além, e procurou o Sebrae Minas para preparar o negócio para o mercado, principalmente, pensando em dar um impulso às redes sociais da empresa. E a ajuda deu certo! As vendas pela internet foram tão boas, que em maio deste ano, o casal inaugurou a primeira loja física, no centro da cidade mineira.

“A empresa é mais que uma forma de ganhar dinheiro juntos, é um jeito que encontramos, como o próprio nome já diz, de juntar a fé com a arte em algo que nos motivasse a seguir em frente”, justifica Cláudia.

Categoria: Economia

Por Vera Marcotti (Adv. Previdenciária)

Olá leitores do Terra do Mandu! Hoje trago a vocês um assunto bastante comum em meu escritório e no meu dia a dia de trabalho, a Aposentadoria Híbrida. Essa modalidade de aposentadoria é uma espécie um tanto quanto diferente, que já foi alvo inclusive de recursos aos Tribunais Superiores.

Essa aposentadoria foi bastante afetada com a Reforma da Previdência. Esteve por um período suspensa, pendente de um julgamento do STJ e após do STF, porém, hoje esse assunto já está resolvido, pelo menos no que diz respeito aos assuntos tratados nesses julgamentos, já que as regras, leis e decretos muitas vezes divergem entre si, restando somente o judiciário para sanar alguns conflitos.

Os julgamentos validaram todas as teses favoráveis aos segurados, no sentido de poder computar o tempo rural remoto, descontinuo ou intercalados, sem a necessidade de estar trabalhando no meio rural no momento do requerimento.

O termo “híbrido” decorre da combinação entre o tempo de trabalho rural e urbano, sendo essa modalidade de aposentadoria voltada especialmente para trabalhadores que migraram entre o campo e a cidade durante sua vida profissional.

A aposentadoria híbrida é um benefício inerentemente ligado à aposentadoria por idade, com a particularidade de se utilizar tempo rural e urbano para preenchimento do direito.

Após a reforma da previdência os requisitos exigidos passaram a ser: idade de 65 anos para homens e uma variação para as mulheres com idade entre 60 e 62 anos, sendo exigido para o ano de 2021, 61 anos de idade, chegando aos 62 em 2023, isso somados aos 15 anos de contribuição, não mais 180 meses de carência, lembrando que para esse caso especifico não se aplicou nenhuma regra de transição.

Importante mencionar que se é possível sim, somar os períodos rurais e urbanos nessa modalidade de aposentadoria híbrida, porém tanto um período como o outro, depende de comprovação, o urbano com as contribuições e o rural com documentos que atestem o tempo de trabalho.

Apesar de se tratar de um serviço acessível a qualquer cidadão, o processo de aposentadoria pode parecer simples, mas envolve muitas questões e particularidades que em alguns casos se faz necessária a judicialização, para fins de comprovação e de produção de provas.

VEJA O ASSUNTO ABORDADO EM ENTREVISTA:


Vera Marcotti
OAB/SP nº 121/263 – OAB/MG nº 93.691
Graduada pela USF, com especialização em processo civil e direito previdenciário.
Rua Cel João Leme, 1115 – centro – Bragança Paulista/SP – Tel: (11) 40323636.

Categoria: Economia

Videojet instala fábrica em Extrema. Foto: divulgação

A multinacional Videojet, empresa líder mundial de mercado no setor de codificação, marcação e impressão, irá instalar uma fábrica em Extrema, no Sul de Minas. No anúncio foi feito esta semana pelo Governo de Minas, a empresa espera duplicar sua capacidade de produção, logística e oferta de serviços aos clientes e parceiros.

A instalação será 40% maior em área construída em comparação à atual fábrica da empresa, localizada em Barueri, no interior de São Paulo, que será desativada. A empresa começa a operar no espaço mineiro a partir de julho.

Mercado da multinacional

Atualmente, a Videojet atende diversos mercados como o alimentício e de bebidas, com soluções de codificação em linha de produção dos mais variados tipos de produtos como pães, bebidas, doces, laticínios, carnes, frutas e verduras, ração para animais e até em ovos. Outro mercado atendido é o de produtos farmacêuticos e de consumo, com a impressão em cosméticos, itens de higiene pessoal, produtos para casa e dispositivos farmacêuticos e médicos.

A empresa também atua no mercado industrial com a impressão e etiquetação em produtos automotivos e aeroespacial, materiais de construção, eletrônicos e componentes elétricos, além de fios, cabos, canos e tubos.

Multinacional líder de codificação e impressão anuncia fábrica em Extrema. Foto: Divulgação Videojet

Extrema se destaca na geração de empregos

De acordo com os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), Extrema tem um saldo positivo de 1.454 vagas de empregos criadas nos primeiros quatro meses de 2021. Considerando os dados de janeiro do ano passado a abril desse ano, Extrema tem um saldo de 4.815 empregos.

Entre as empresas que impulsionam a geração de empregos no município está a multinacional do e-commerce Mercado Livre que acaba de instalar um centro de distribuição com previsão de criar mais de 1.400 vagas diretas e indiretas.

 

Categoria: Economia

O agricultor Luiz Gustavo Magalhães em sua produção em Pouso Alegre. Imagem: reprodução Sicredi

O conhecimento obtido em quatro anos morando em Angola, na África, onde trabalhou com agricultura intensiva, tanto em estufas como em campo aberto, serviu de base para o associado, Luiz Gustavo de Castro Magalhães, investir na sua propriedade em Pouso Alegre, Sul de Minas.

Durante toda sua vida, Luiz Gustavo atuou na produção de alimentos, mas decidiu passar uma temporada em Angola para ampliar o aprendizado na área.

“Eu decidi voltar ao Brasil quando nossos planos financeiros estavam estruturados e também em virtude da família, pois a vontade de estar próximo dela era grande demais. Além disso, eu queria aplicar na nossa propriedade tudo o que eu aprendi lá, de uma maneira que pudéssemos produzir mais, gastando o mínimo possível e conseguimos”, diz Luiz Gustavo.

O associado produz alimentos em estufa, sem agrotóxicos. “Também investimos em áreas de campo aberto, onde plantamos outros produtos, como pepinos e pimentas, além do tomate que é o carro chefe da empresa. A ideia não é só ser diferente, mas também mostrar que é possível fazer, sendo exemplo para outros agricultores da região”, frisa Magalhães.

O sonho do produtor rural foi alcançado. “O que eu mais queria na vida, hoje eu tenho – estar próximo da minha família, das pessoas que eu amo, trabalhando em casa e vendo as plantas produzirem lindamente. Por isso, me sinto bastante realizado e grato por tudo o que conquistamos até aqui”, destaca.

A esposa Daniele Magalhães, também está feliz pelos avanços alcançados. “A família é a motivação de viver e de seguir em frente. Sou muito grata por tudo o que temos e queremos continuar crescendo, expandindo com o aumento da produção. Hoje, meu maior sonho, além de seguir evoluindo na propriedade, é proporcionar qualidade de vida para nós e para nossa filha”, enaltece Daniele.

O Sicredi

Segundo Magalhães, que também é coordenador de núcleo da Sicredi Alto Uruguai RS/SC/MG, a Cooperativa chegou na vida da sua família em um momento que queriam dar um passo a mais na propriedade – construir um local próprio para a produção dos alimentos. “Sou muito grato ao Sicredi, por ter me apoiado neste projeto, por ter confiado nos nossos sonhos, no nosso futuro. A Cooperativa é fundamental no nosso empreendimento”, assegura o associado.

O colaborador, Luiz Carlos Botezini, afirma que Magalhães é um exemplo como coordenador de núcleo e como associado também. “Ele tem espírito cooperativista, presta assistência técnica a todos os produtores vizinhos da propriedade, colabora com ideias. Enfim, mantemos um relacionamento aberto, sincero e franco, o que ajuda para que possamos crescer juntos. Ele tem nossa admiração pelo que desempenha na propriedade, pela pessoa esforçada que é e pelo associado exemplar que sempre foi”, conclui Botezini.

Categoria: Economia

Empresa assumiu em 2019 para 20 anos de contrato. Foto: Arquivo Terra do Mandu

A empresa Expresso Planalto, responsável pelo transporte público em Pouso Alegre, ameaça paralisar a prestação do serviço durante a pandemia, alegando acúmulo de prejuízos. Segundo a empresa, os prejuízos ocorrem em virtude da queda número de passageiros e do recorrente aumento dos custos operacionais.

A Expresso Planalto assumiu o transporte público de Pouso Alegre em 1º de abril de 2019, após vencer licitação e assinar contrato de 20 anos de concessão do serviço, com valor de R$ 200 milhões. O contrato exige que a empresa iniciasse a atividade com 56 ônibus zero quilômetro para operar as 26 linhas urbanas e rurais.

De acordo com nota enviada pela concessionária à redação do Terra do Mandu, após o início da pandemia “a empresa teve uma redução de 50% no número de passageiros que utilizam o serviço. Além disso, o índice de passageiros por quilometro foi reduzido em 35% tornando-se muito baixo em função principalmente das linhas de baixa demanda e das linhas rurais”, explica a nota.

A Expresso Planalto também afirma que houve aumento nos custos operacionais, principalmente por conta dos reajustes de 28% no combustível e o valor da tarifa está defasado. A empresa assumiu com a tarifa já em R$ 3,90.

“O último reajuste de tarifa foi no início do ano de 2019, deixando defasado o preço cobrado dos passageiros por parte da empresa. Para se ter uma ideia, a tarifa hoje cobrada é de R$ 3,90, a mais baixa entre as maiores cidades da região, e o valor de equilíbrio para a empresa não tivesse prejuízo seria de R$ 8,27”, alega a empresa na nota.

A concorrência do transporte por aplicativo e o clandestino seriam outros problemas enfrentados pela concessionária do transporte público.

“A empresa esclarece que, diante dessa situação financeira, vai avaliar todas as possibilidades para seguir atuando. A Expresso Planalto acrescenta que a prestação deste serviço é de responsabilidade do município”, afirma no texto.

A empresa ainda informou na nota enviada à imprensa que “a direção vai procurar pela administração municipal para buscar a melhor saída, mas não descarta uma possível interrupção do serviço de transporte público em Pouso Alegre”, finaliza.

Prefeitura injetou R$ 750 mil em 2020

Em março do ano passado, a prefeitura de Pouso Alegre fez um repasse de um subsídio de R$ 750 mil para a Expresso Planalto como ajuda financeira para evitar um aumento no valor da tarifa, já considerando a redução do número de passageiros após o início da quarentena da população por causa da pandemia do novo coronavírus. O repasse foi aprovado na Câmara Municipal, após projeto enviado pelo Executivo Municipal.

O outro lado

A reportagem do Terra do Mandu entrou em contato com a prefeitura e aguarda um retorno para atualizar essa matéria.

Categoria: Economia

Neste ano, Pouso Alegre tem estabelecimento participando do Dia Livre de Impostos, ação criada pela Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH) para protestar contra a carga tributária brasileira. A data que marca o protesto é o dia 27 de maio, quando o comércio participante zera a carga de impostos de seus produtos. Com isso, o desconto total pode chegar até 70% do valor final da mercadoria.

A rede de farmácias Drogaria Araujo, que tem unidade em Pouso Alegre, aderiu ao Dia Livre de Impostos e estendeu a campanha por uma quinzena. De 25 de maio a 07 de junho os consumidores conseguem comprar produtos de diversas linhas com o imposto zero. No dia 27, a quantidade de produtos sem impostos será ainda maior, segundo informou o subgerente e farmacêutico da loja, Rômulo Mendes.

“Ainda mais com a pandemia que a gente está enfrentando, o poder de compra do consumidor diminuiu. Então, para o cliente voltar encher a cestinha dele e ver o impacto que tem os impostos durante a compra que gente aderiu a essa campanha do Dia Livre dos Impostos e ajudar a população no enfrentamento à pandemia”, diz Rômulo.

O peso dos impostos

A carga de impostos representa 47% do valor final de produtos da linha de hidratante corporal; 32% em fraldas descartáveis; nos medicamentos os impostos são 34% do valor total; leite infantil é de 25%. Ao retirar todos os impostos, tem produto que fica com um desconto de até 70%.

Categoria: Economia

A elaboração de uma boa estratégia de Marketing Digital não deve deixar de lado um detalhe muito importante: a presença online.

Para garantir essa presença, é essencial poder contar com um bom site. E quando se fala em site, vem aí o investimento em um serviço de hospedagem de site. Entre as opções de hospedagem, você pode contar com um servidor VPS (clique aqui para ter a sua).

Os motivos para optar por uma hospedagem VPS são vários. Por isso, nesse artigo vamos abordar alguns tópicos importantes sobre o assunto. São eles:

  • Servidor VPS – Saiba o que é
  • Conheça os motivos para escolher uma hospedagem VPS
  • Quando optar por uma hospedagem VPS

Servidor VPS – Saiba o que é

Ter um site é essencial para qualquer negócio. Ter um site e um bom serviço de hospedagem para esse site é ainda mais importante. O serviço de web hosting garante uma série de vantagens não apenas para o site, mas também para o seu negócio.

Com uma hospedagem, o seu site passa a contar com um carregamento rápido de páginas, protocolos de segurança e backups frequentes. Esses recursos são importantes, por exemplo, especialmente se o seu negócio for uma loja virtual.

O tipo de hospedagem mais comum é a compartilhada. Ela é a ideal para sites institucionais e blogs pessoais. A principal característica desse tipo de hospedagem é o fato de que você compartilha o servidor com outros sites e por isso é um serviço de web hosting bastante barato.

No entanto, projetos online mais robustos demandam serviços de web hosting com capacidade maior e mais recursos. Sendo assim, como “grandes poderes exigem grandes responsabilidades”, entra em cena o servidor VPS.

Esse tipo de hospedagem fornece recursos dedicados que necessitam ser compartilhados. Vale salientar que o termo VPS vem do termo “Virtual Private Server”. Em uma tradução simples ele significa Servidor Virtual Privado.

Além disso, ele recebe o nome “Privado” porque, ao contrário do Compartilhado, ele é apenas seu. E com isso você tem mais controle sobre os seus projetos web.

De uma forma geral, o servidor VPS disponibiliza uma quantidade definida de recursos que você não precisa compartilhar com ninguém. Ou seja, é como ter o seu próprio servidor dedicado ou privado, porém em um computador virtual.

Conheça os motivos para escolher uma hospedagem VPS

O servidor VPS é o ideal para projetos online que demandam bastante tráfego e mais capacidade de armazenamento em disco. Caso você crie um site pequeno ou gerencie um blog pessoal, a solução é escolher uma hospedagem compartilhada.

Por outro lado, sites robustos, aplicativos da Web, servidores de jogos online, bancos de dados e outros tipos de projetos de maior complexidade são mais adequados para um serviço de hospedagem VPS.

A hospedagem VPS proporciona mais controle do que qualquer outro tipo de serviço, pois ela permite que você instale seu sistema operacional preferido e tenha acesso root.

O acesso root nada mais é do que ter o acesso principal do servidor, podendo assim instalar ou desinstalar aplicações, acesso a todas as zonas DNS dos domínios, acesso e permissão para instalar certificados SSL, reiniciar serviços e demais controles.

Além do mais, ela proporciona para o seu projeto mais capacidade de crescimento, pois conforme o seu site cresce, você pode facilmente realizar um Upgrade dos arquivos.

Por tudo isso, vale conhecer algumas outras vantagens que esse tipo de hospedagem oferece.

Autonomia

A hospedagem VPS permite que você adapte o funcionamento do servidor de acordo com as necessidades e características do seu negócio.

Ao contratar um servidor VPS, você recebe acesso root, isso quer dizer que você passa a ter acesso total para realizar configurações, instalações e personalizações como quiser em seu servidor.

Ela proporciona também mais autonomia tanto para consolidar regras de segurança específicas, quanto para ter mais liberdade e configurar projetos com mais capacidade do que em uma hospedagem compartilhada.

Melhor custo-benefício

Os recursos que ela apresenta tornam o investimento nesse tipo de hospedagem um excelente investimento. Tudo isso com mais capacidade que uma hospedagem compartilhada pode oferecer.

Se você precisa de, por exemplo, mais capacidade para rodar games com um desempenho elevado, então o VPS é a escolha certa.

Não é à toa que um servidor VPS é bastante usado para rodar jogos conhecidos, como o Minecraft.

Praticidade

Ela apresenta um painel intuitivo e prático, possibilitando o gerenciamento de vários sites, domínios e banco de dados por meio do painel de gerenciamento.

Além disso, você também garante a exclusividade de hospedagem, ou seja, o “Private” na sigla VPS não está ali por acaso. Sendo assim, você garante recursos apenas para o seu projeto, sem necessitar dividi-los com outros sites.

Pense no seguinte: Imagine que uma empresa contrata uma maior quantidade de funcionários. Nesse caso, é necessário aumentar o espaço para acomodar mais colaboradoras à equipe.

Essa é a analogia utilizada para a hospedagem VPS. Em outras palavras, assim que o site cresce, é necessário adquirir mais recursos e capacidade para ele funcionar com mais desenvoltura.

Estabilidade e segurança

Pelo fato de que todos os recursos são administrados de forma eficiente e alocados para os usuários, você tem a garantia de que, apesar de usar bastante recursos, a estabilidade do servidor não sofrerá nenhum tipo de prejuízo.

Ela também é caracterizada pela segurança, pois cada servidor é alocado de forma individual e as suas aplicações permanecem isoladas. Isso estabelece uma proteção maior para os seus projetos.

Por essa razão, caso você tenha a necessidade de construir aplicações seguras e almeja criar medidas de proteção complexas, um servidor vps pode ser a solução ideal para o seu empreendimento.


Quando optar por uma hospedagem VPS?

Hoje em dia, na era digital, quem gerencia um e-commerce ou um site com muitos acessos, deve pensar em estratégias que garantam uma eficiente presença online.

Para garantir essa presença e trazer mais visibilidade ao projeto, é essencial encontrar maneiras que priorizam uma boa Experiência do Usuário. Com isso, o e-commerce, ou blog, podem ser devidamente ranqueados nas páginas de busca do Google.

E quando se fala em viabilizar essa adequada Experiência de Usuário, estamos falando em assegurar velocidade no carregamento das páginas, capacidade de armazenamento em disco e demais recursos importantes. E é aí que entra a hospedagem VPS.

Existem alguns “sintomas” que podem ser um indício de que o seu projeto deve deixar a hospedagem compartilhada e migrar para uma VPS. Os principais são:

  • Aumento na taxa de rejeição do site
  • Lentidão no carregamento das páginas
  • Aumento na quantidade de acessos ao site
  • Perda de posição nas páginas de resultado
  • Necessidade de mais controle a nível do servidor

Existem alguns bons motivos para você escolher um servidor VPS

É importante ter um site, ainda mais no atual contexto, em que a transformação digital é o que norteia as estratégias de Marketing.

Mas é importante também garantir recursos para que o site tenha um bom desempenho. Porém, em alguns casos não basta apenas usar uma boa plataforma. É preciso também investir em uma boa hospedagem.

E a hospedagem VPS vem como uma solução de excelente custo-benefício e alta capacidade de rendimento. Portanto, com o objetivo de trazer melhorias, vale investir nesse tipo de hospedagem.

Categoria: Economia

Faltando 10 dias para o prazo final para a entrega da declaração do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF), cerca de 30% dos contribuintes ainda não prestaram contas ao leão, segundo dados da Receita Federal. Até ontem (20), a Receita Federal havia recebido 247 mil declarações em 2021, ano-base 2020, no Sul de Minas. A expectativa é que sejam entregues 368 mil declarações nos 158 municípios que integram a região.

Em Pouso Alegre, o número de declarações entregues era de 20.239, cerca de 70% do total aguardado, segundo informou o agente da Receita Federal no município, Sérgio Evangelista, durante entrevista ao Mandu News. ASSISTA ABAIXO.

O prazo para fazer a declaração termina no dia 31 de maio. A Receita alerta para que os contribuintes não deixem para a última hora.  O sistema de recepção de declarações da Receita funciona 20 horas por dia. Fica indisponível somente na madrugada, entre 1 hora e 5 horas.

Quem perder o prazo estará sujeito ao pagamento de multa mínima de R$ 165,74 e máxima de 20% do imposto devido.

Declaração Pré-preenchida 

A declaração pré-preenchida resgata informações que a Receita Federal já possui, evitando erros no preenchimento e simplificando o envio da declaração de imposto de renda. Para saber como se utilizar dessa facilidade acesse o link Declaração Pré-preenchida.

A Receita Federal destaca que o Imposto de Renda tem importância social e interfere diretamente no bem-estar da população brasileira. É por meio dele que a União investe, por exemplo, em segurança pública, educação, saúde, infraestrutura, cultura e moradia. Você faz parte desta Receita.

Obrigatoriedade

A obrigatoriedade do envio da Declaração do Imposto de Renda recai sobre o contribuinte pessoa física, residente no Brasil, que recebeu, no ano-calendário 2020, rendimentos tributáveis sujeitos à declaração no valor acima de R$ 28.559,70.

Em relação à atividade rural, obteve receita bruta em valor superior a R$ 142.798,50;

Recebeu rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma foi superior a R$ 40.000,00;

Obteve, em qualquer mês, ganho de capital na alienação de bens ou direitos, sujeito à incidência do imposto, ou realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas;

Teve, em 31 de dezembro, a posse ou a propriedade de bens ou direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a R$ 300.000,00;