Categoria: Economia

A partir de maio, a empresa concentrará a produção de pipoca na cidade mineira. Com isso, as atividades na fábrica de Nova Prata (RS) serão encerradas.

A General Mills – dona da Yoki, Haagen Dazs, entre outras marcas – anunciou uma nova reestruturação em operações no Brasil. A partir de maio, a empresa concentrará sua produção de pipoca na cidade de Pouso Alegre. Com isso, as atividades na fábrica de Nova Prata (RS) serão encerradas.

Outra mudança é que a produção do paper bag (tipo de embalagem usada na pipoca de micro-ondas) será transferida de Cambará (PR) também para Pouso Alegre. Vale ressaltar, entretanto, que as demais atividades da unidade em Cambará, como a produção de alimentos, permanecem em pleno funcionamento.

Hoje, a principal planta da empresa fica em Pouso Alegre, e recentemente foi ampliada para aumentar a capacidade produtiva de pipoca em 30%. “Para ampliar a capacidade produtiva, otimizar sua cadeia operacional e oferecer melhor nível de serviços a todos os seus clientes no Brasil, a General Mills anuncia reestruturação em parte das suas operações no país. Os ajustes fazem parte de uma estratégia que prevê acelerar o crescimento dos negócios da empresa no Brasil, um dos mercados prioritários para a organização”, afirma a companhia em nota.

Vale ainda ressaltar que a unidade da General Mills em Pouso Alegre também é responsável pela produção do suco AdeS, da Coca-Cola Company.

 

Geração de empregos 

Com a ampliação da capacidade produtiva, será necessário contratar novos funcionários. A General Mills inclusive confirmou que a empresa está conduzindo um processo seletivo de contratação para diversos postos de trabalho na unidade de Pouso Alegre (MG), e que está recebendo currículos de diversos profissionais.

Contudo, a companhia não divulgou o número exato de vagas abertas, e as áreas nas quais os futuros contratados irão atuar ainda estão sendo definidas. Mesmo assim, interessados já podem se candidatar pelo site da companhia, na aba Carreiras.

Categoria: Economia

Para evitar aglomerações, algumas lojas de departamento ampliaram os dias de oferta e horário de funcionamento.

Assim como nos anos anteriores, a tradicional liquidação de janeiro das lojas de departamento também acontece em 2021. A diferença é que esse ano algumas empresas adotaram mudanças por causa da Covid-19, a fim de evitar aglomerações na porta das lojas.

“A empresa modificou a questão do senso de urgência. Antigamente a gente fazia a liquidação em um dia só, fechava na quinta-feira e fazia a liquidação na sexta-feira. Agora não, nesse novo formato, devido a pandemia, a gente também está abrindo na quinta-feira, sexta, sábado e em algumas cidades no domingo também, para diluir o movimento, não gerar aglomeração, e para não colocar as pessoas em risco e nem gerar risco de contaminação,” afirma o gerente da Magazine Luiza, Edilson Paula.

O gerente da varejista ainda explicou que a loja alterou o horário de funcionamento, que esse ano abriu um pouco mais tarde, às 8h da manhã, e vai até às 22h. o intuito é que os clientes tenham mais tempo para fazer as compras.

A empresa promete descontos de até 80% em alguns produtos. Por isso, muitas pessoas foram até o local conferir as ofertas. “Vou ver o preço de uma centrifuga, vê se está num preço bom mesmo pra gente aproveitar as promoções”, afirma o cliente Elias da cruz.

 

O João Paulo de Maria também contou ao Terra do Mandu que todo ano acompanha a liquidação fantástica, e em 2021 não seria diferente. Ele aproveitou as ofertas e já garantiu os produtos que queria. “O desconto está muito bom, está compensando, viu?! Aí aproveitamos e compramos as coisas aqui… Eu comprei uma TV, airfryer e um barbeador”, afirma.

A vantagem é que como esse ano a queima de estoque não está sendo em um único dia, as filas estão menores. Além disso, algumas lojas de departamento também estenderam as ofertas para o site e disponibilizaram novas opções de compra ao consumidor.

Categoria: Economia

Os associados da Sicredi Alto Uruguai RS/SC/MG tiveram os valores depositados em suas contas correntes

Imagem: Divulgação Sicredi/Arquivo

Crescer juntos dá resultados: é com esta afirmação que a Sicredi Alto Uruguai RS/SC/MG anuncia a distribuição de R$ 2,1 milhões aos associados. Esta forma de pagamento é uma correção do valor médio da cota capital de cada associado durante o ano. Em 2020, a porcentagem foi de 2,88% e foi depositada 100% em conta-corrente no final de dezembro.

O repasse do valor é uma definição do Conselho de Administração, alicerçada no Estatuto Social da Cooperativa. Além deste recurso, os associados ainda receberão em 2021 a tradicional distribuição de resultados referente ao exercício 2020, conforme proposta a ser aprovada nas próximas assembleias. Neste caso, o valor é proporcional às movimentações financeiras realizadas pelos associados no exercício.

Segundo a presidente Angelita Marisa Cadoná, o pagamento de juros ao capital social valoriza ainda mais os associados que fazem parte do Sicredi. “Apesar do ano desafiador que vivemos, fechar o exercício com bons resultados e poder anunciar que parte destes já está retornando para os associados, é com certeza uma grande satisfação para uma Cooperativa que preza pelo desenvolvimento de um trabalho sólido e que tem como premissa a valorização dos associados – donos do negócio”, frisa Angelita.

Para mais informações, os associados podem visitar as agências ou acessar as contas-correntes através dos canais do Sicredi. Para quem ainda não é associado, pode conhecer os benefícios de integrar a Cooperativa.

Categoria: Economia

Começar o ano com dinheiro no bolso para pagar as contas é o desejo de todo consumidor. Melhor ainda se a verba para o pagamento não sair do salário do último mês ou do décimo terceiro. Mas isso é possível? Para o José Carlos Ferreira é uma realidade graças as economias de moedas. Isso mesmo, o verdureiro de Ipuiuna, no Sul de Minas Gerais, guarda moedas o ano todo para em janeiro do ano seguinte pagar as contas.
O cofrinho foi feito de duas maneiras: as moedas foram guardadas no tradicional porquinho e em um cano de PVC de um metro. No dia primeiro de janeiro, Zé Carlos abriu os cofres e sabe quanto ele lucrou? Após a contagem da moeda, ao lado dos familiares, a soma foi de R$ 3.328,00.

O lucro desse ano foi maior do que o de janeiro de 2020. Ano passado a soma das moedas resultou em 2.400 reais. Como o dinheiro arrecado em 2021, Zé Carlos pagou os impostos dos carros e ainda teve sobre para pagar outras contas.
Será que a atitude do Zé Carlos vai servir de inspiração?

Confira no vídeo o momento em que José Carlos quebrou os cofrinhos.

Categoria: Economia

Nascidos em dezembro, que fazem parte do Ciclo 6, recebem as parcelas do Auxílio Emergencial e do Auxílio Emergencial Extensão

A Caixa realiza, nesta terça-feira (29/12), a última etapa de pagamento do Auxílio Emergencial e do Auxílio Emergencial Extensão. Os contemplados nessa etapa são 3,2 milhões de brasileiros do Ciclo 6 nascidos em dezembro. Ao todo, os beneficiários receberão R$ 1,2 bilhão em suas contas Poupança Social Digital.

A partir desta terça, os valores já podem ser movimentados pelo aplicativo Caixa Tem para pagamento de boletos, compras na internet e pelas maquininhas em mais de um milhão de estabelecimentos comerciais.

O benefício do Auxílio Emergencial, criado em abril pelo Governo Federal, foi estendido até 31 de dezembro por meio da Medida Provisória (MP) nº 1000. O Auxílio Emergencial Extensão está sendo pago em até quatro parcelas de R$ 300 cada e, no caso das mães chefes de família, o valor é de R$ 600.

O Auxílio Extensão foi garantido somente aqueles que já foram beneficiados com as primeiras parcelas do Auxílio Emergencial e se enquadram nos novos requisitos estabelecidos na Medida Provisória, tendo direito a continuar recebendo o benefício.

Categoria: Economia

Saldo em novembro ficou abaixo de Extrema, Poços de Caldas e Varginha, no Sul de Minas

Pelo quinto mês consecutivo, o número de contratações com carteira assinada superou o de demissões em Pouso Alegre, seguindo o exemplo do Brasil. Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados na última quarta-feira (23), Pouso Alegre criou 415 vagas de emprego em novembro.

Apesar do número positivo, o número foi inferior à quantidade de postos de trabalho com carteira assinada gerados em outubro, quando o saldo foi de 488.

Somando os dados dos 11 meses do ano, divulgados até o momento pelo CAGED, Pouso Alegre está com saldo positivo de 396. No início da pandemia da Covid-19, o município desceu a um saldo negativo de 1.015 vagas em um único mês. Foram quatro meses fechando no vermelho. A recuperação, com mais admissões do que demissões, teve início em julho.

Extrema tem os melhores números do Sul de Minas

Considerando apenas os números de novembro, Poços de Caldas teve o maior saldo no Sul de Minas, com 689 postos de empregos gerados, seguido por Extrema com 566 e Varginha com 448. Todas a frente de Pouso Alegre. Itajubá, gerou 208 vagas no mês passado.

Na soma dos 11 meses do ano, aí Extrema é um caso à parte. O município com menos de 40 mil habitantes bateu recorde na geração de empregos e está com saldo positivo de 3.860 postos com carteira assinada criados em 2020. O município está no sétimo mês seguido de recuperação de emprego.

Poços de Caldas, maior município da região, ainda está com saldo negativo no ano em 2.518 vagas, reflexo de mais de 4.700 vagas perdidas nos primeiros quatro meses da pandemia.

 

 

Categoria: Economia

Assessoria do shopping mostra outros ângulos de imagens do movimento. Vigilância Sanitária checou a denúncia de aglomeração e não constatou irregularidade.

Foto que rodou grupos de whatsapp neste domingo (21). Imagem: redes sociais

Uma foto tirada próximo à Praça de Alimentação do shopping de Pouso Alegre rodou grupos de WhatsApp na tarde deste domingo (20). A imagem mostra pessoas que estariam em filas no primeiro plano e ao fundo as mesas da praça ocupadas e algumas outras pessoas em pé.

A imagem gerou questionamento de que havia aglomeração no shopping, enquanto estabelecimentos do comércio de rua tinham sido interditados pela Vigilância Sanitária entre sexta e sábado por descumprimento das normas de controle à disseminação da Covid-19.

A reportagem do Terra do Mandu entrou em contato com a assessoria de comunicação do SerraSul Shopping. A informação é que o movimento deste domingo foi inferior ao domingo passado e muito abaixo do último domingo antes do Natal de 2019.

Neste domingo, entraram 2.300 carros no estacionamento do shopping, enquanto em um domingo comum o movimento é de 3 mil veículos e no domingo anterior ao Natal do ano passado entraram 3.900 carros.

Imagem de câmera de segurança do SerraSul Shopping mostra espaços na praça de alimentação. Imagem: SerraSul Shopping/Divulgação

De acordo com a assessoria, o ângulo da foto espalhada nos grupos de WhatsApp que pode ter dado a falsa ideia de aglomeração. Por isso, a assessoria nos enviou imagens das câmeras de segurança que mostram do alto como estava a ocupação da Praça de Alimentação e demais corredores.

Conforme o shopping, metade das mesas da Praça de Alimentação foram removidas para a reabertura após a liberação do decreto municipal. E que, ao perceber neste domingo que todas as mesas disponíveis estavam ocupadas, foi iniciado um controle de entrada de veículos no estacionamento e, consequentemente, ao interior do shopping. Por isso, uma fila de carros se formou na rua de acesso ao local.

A assessoria também encaminhou imagens dos corredores para mostrar que a concentração maior de público se deu na praça de alimentação. E que o acesso às lojas estava sendo controlado também por filas.

Corredores neste domingo – Imagem: SerraSul Shopping/Divulgação

A Vigilância Sanitária Municipal chegou a denúncia ainda no domingo e constatou não haver irregularidades, segundo informou a assessoria de imprensa da prefeitura de Pouso Alegre.

Categoria: Economia

Funcionamento será das 08h às 12h para o saque do Auxílio Emergencial e do Auxílio Emergencial Extensão

A Caixa abrirá, neste sábado (19/12), sete agências no Sul de Minas, das 8h às 12h. Em Pouso Alegre a agência que estará aberta fica na Praça Senador Eduardo Amaral, no Centro. Outras cidades com agências abertas são: Itajubá, São Lourenço, Poços de Caldas, Varginha, Passos e Lavras.

O atendimento será para os beneficiários do Auxílio Emergencial e do Auxílio Emergencial Extensão nascidos em janeiro e fevereiro dos ciclos 5 e 6. Foram creditados R$ 4,3 bilhões para esse público de 6,5 milhões de pessoas.

Desse total, R$ 3,9 bilhões são referentes às parcelas do Auxílio Emergencial Extensão e o restante, R$ 400 milhões, às parcelas do Auxílio Emergencial.

A relação de agências que estarão abertas pode ser conferida no site do banco: www.caixa.gov.br/agenciasabado.

Todas as pessoas que procurarem atendimento durante o funcionamento das agências serão atendidas. Não é preciso chegar antes do horário de abertura.

Categoria: Economia

A nova fábrica, às margens da Fernão Dias, terá o dobro de tamanho da unidade atual. Depois de inaugurada, Pouso Alegre passará a ter duas fábricas da farmacêutica.

Nova fábrica fica no antigo prédio da Locomotiva, na Fernão Dias. Foto: Cimed/Divulgação

A Cimed já opera um novo centro de distribuição no Sul de Minas. No mês passado, a farmacêutica inaugurou a primeira fase da sua segunda unidade industrial em Pouso Alegre, Sul de Minas. Nessa etapa o novo CD operado com capacidade de armazenamento para cerca de 12.000 pallets.

A nova unidade fica às margens da rodovia Fernão Dias, área adquirida da antiga Locomotiva, num espaço de mais de 283 mil m², exclusivamente destinado à produção de medicamentos sólidos orais (comprimidos) genéricos e similares. Além do laboratório de controle de qualidade e todas as estruturas de suporte do complexo fabril. Ao todo, serão 44 mil metros quadrados de área construída – mais que o dobro em relação à atual planta, que fica no bairro Santa Rita, também em Pouso Alegre.

O investimento feito na nova fábrica é de R$ 200 milhões. A iniciativa envolve números que representarão um incremento significativo na capacidade produtiva atual. “Com a nova unidade industrial, nós ampliaremos a capacidade da produção de sólidos dos atuais 28 milhões para 40 milhões unidades de varejo por mês, podendo ser expandida para 60 milhões no médio prazo”, afirma o diretor executivo de operações Amaraí Furtado.

Em 2020, a Cimed foi a farmacêutica foi a que mais cresceu, quando comparada às 20 maiores do setor. No segundo trimestre, por exemplo, a companhia teve a melhor evolução, tanto em unidades quanto em faturamento. No acumulado 2020, ultrapassou concorrentes em unidades vendidas, se tornando a terceira maior, e chegando ao 12º lugar em faturamento.

Um dos diferenciais da companhia é a cadeia vertical de distribuição, ou seja, possui centros de distribuições próprios espalhados em todos os estados do Brasil. Em virtude do cenário atual, a empresa antecipou os lançamentos de produtos, como os para melhorar a imunidade, programados, antes, para ocorrerem no segundo semestre de 2020. É o caso das vitaminas Lavitan 5G e Lavitan CDZSE. Essa categoria foi uma das que mais cresceram em vendas durante a pandemia.

Mesmo num cenário de crise, a Cimed segue com o plano de crescimento para 2020.

Nova unidade já opera o centro de distribuição. Foto: Cimed/Divulgação

SOBRE A CIMED

A Cimed é umas das maiores farmacêuticas do país com mais de 40 anos de história, é um dos poucos grupos de capital totalmente nacional. Apresenta um portifólio de mais de 600 itens no catálogo e uma distribuição nacional para mais de 50 mil pontos de vendas atendidos diretamente. Além disso, a Cimed é líder do setor na venda de medicamentos isentos de prescrição médica (MIP). Com sede administrativa em São Paulo, a empresa tem mais de 4.000 colaboradores em todo Brasil. Seu complexo fabril se encontra em Pouso Alegre (MG), e o centro de distribuição e a unidade gráfica em São Sebastião da Bela Vista (MG), além de contar com 25 centros de distribuição pelo país. Atualmente, a empresa é uma das maiores apoiadoras do esporte nacional, patrocinando a Seleção Brasileira de Futebol.

Categoria: Economia

Parceria entre Sicredi Alto Uruguai RS/SC/MG, Sebrae, Emater e Sindicato Rural de Itajubá, objetiva contribuir com a renda e a qualidade de vida dos produtores

Reunião entre parceiros do projeto. Foto: Divulgação Sicredi

Proporcionar aos produtores rurais de Itajubá e região a melhoria genética de bovinos no seu rebanho com a técnica Fertilização In Vitro (FIV), é a intenção do ProCriar, projeto elaborado pelo Sindicato Rural, tendo apoio do Sebrae, Sicredi Alto Uruguai RS/SC/MG e Emater/MG. O projeto conta com uma solução do Sebrae – chamada Sebrae Tec Projetos Tecnológicos – que atualmente investe 80% dos custos da transferência de embrião e o produtor teria que pagar os 20% restantes. Mas, devido à parceria com o Sicredi, através do Fundo de Desenvolvimento Regional, o produtor investirá 10%. Segundo a analista do Sebrae Minas, microrregião de Itajubá, Andresa Cristina da Silva, a iniciativa viabiliza a participação de pequenos produtores ao programa. Além disso, no formato anterior do projeto, o produtor deveria aderir no mínimo com 45 animais e agora, com a parceria, não existe quantidade mínima.

– O Sicredi tem sido fundamental no desenvolvimento do projeto. Nesta parceria, também temos a Emater, que é essencial neste trabalho, pois apoia na preparação dos produtores, além de ajudá-los na documentação necessária ao projeto. Acreditamos que os contemplados com essa tecnologia vão melhorar o gado, aumentar a produtividade e o lucro também. Já temos perspectivas de seguir com o projeto em 2021, pois todos os envolvidos têm o mesmo objetivo – apoiar o crescimento dos produtores e transformar o território através do desenvolvimento econômico local. É muito bom saber que o Sicredi tem este Fundo, e apoia ações que realmente dão resultado e geram muito valor para a sociedade – assegura Andresa.

Da mesma forma, o gerente regional da Emater de Pouso Alegre, Alexandre Kurachi, diz que muito se orgulha, mais uma vez, de poder contribuir com o desenvolvimento regional, através da consolidação desta parceria entre estas empresas fortes e idôneas no Estado. Cabe a Emater a seleção de produtores, através de critérios definidos, e o acompanhamento contínuo a estes contemplados, ofertando a assistência técnica e a extensão rural. “Mais do que o resultado direto, esta parceria é um importante passo na organização da cadeia produtiva da bovinocultura da região, colocando instituições como Sicredi, Sebrae e Emater junto aos produtores para fortalecimento da atividade, através do resgate do associativismo, do cooperativismo, do empoderamento dos beneficiados, do acesso à assistência técnica, a novas tecnologias, sempre buscando uma melhor condição de vida aos nossos produtores”, salienta Kurachi.

O Sicredi

Em 2020, através do Fundo de Desenvolvimento Regional, que visa entre as iniciativas também promover o estímulo ao empreendedorismo e a inovação, dezenas de projetos foram contemplados em toda área da atuação da Cooperativa. Entre eles, está este de melhoramento genético. O gerente da agência do Sicredi em Itajubá, Fernando Conte, assegura que a iniciativa é de cooperação entre as entidades e que em um curto espaço de tempo os resultados serão sentidos. “Entre dois ou três anos, os produtores estarão dispondo de tecnologia avançada, tendo animais de qualidade que produzirão maior quantidade de leite. Estamos felizes com a parceria das entidades e também de poder proporcionar este apoio aos contemplados. É um grande benefício que o produtor está tendo e isso vai gerar aumento na renda e, consequentemente, melhoria da qualidade de vida do nosso associado. Temos o cooperativismo como um estilo de vida e demonstramos na prática que é possível viver conjuntamente, basta que as pessoas estejam unidas em torno de um objetivo comum, como está sendo feito com este projeto”, conclui Conte. (com informações da assessoria Sicredi)