Categoria: Economia

Sebraetec vai credenciar cerca de 500 empresas que trabalham nas áreas de desenvolvimento tecnológico, produção e qualidade, design e sustentabilidade. Palestra será na terça-feira, dia 23, às 19h.

O Sebrae Minas está com as inscrições abertas para o edital de credenciamento de prestadores de serviços do programa Sebraetec em Minas Gerais. O Sebraetec é um programa nacional do Sebrae que oferece aos pequenos negócios acesso subsidiado a consultorias nas áreas de desenvolvimento tecnológico, produção e qualidade, design e sustentabilidade. Caso você seja dessa área e se interessou em participar do programa, na próxima terça-feira, dia 23, o Sebrae de Pouso Alegre fará uma palestra para explicar o edital e como aderir. O treinamento será às 19h, no auditório de evento da Univás, campus Fátima.

A convocação do edital do Sebraetec, contendo as normas, orientações, procedimentos, especificações, formulários, relação de documentos a serem apresentados e demais informações está disponível no site www.sebrae.com.br/minasgerais.

Até o ano passado, somente entidades sem fins lucrativos podiam se credenciar como prestadores de serviços do Sebraetec. Neste novo edital é permitida a participação de empresas privadas.  A expectativa é credenciar cerca de 500 prestadores de serviços em até cinco anos. Link edital: credenciamento Sebraetec

Em 2019, o Sebrae Minas vai arcar com 70% dos recursos necessários ao desenvolvimento do projeto aprovado no Sebraetec. Os 30% restantes ficarão por conta do empreendedor. A previsão é de que mais de 2 mil pequenos negócios em Minas Gerais sejam beneficiados com a iniciativa até o final deste ano.

Quem pode se credenciar e etapas de seleção

Os candidatos a prestador de serviço credenciado do Sebraetec devem ser pessoas jurídicas, com atuação há pelo menos um ano nas áreas requisitadas para prestação de serviço:

  • Desenvolvimento tecnológico – desenvolvimento de produto e transformação digital.
  • Design de ambiente e de comunicação.
  • Produção e qualidade – mapeamento e melhoria de processos e gestão da qualidade.
  • Sustentabilidade – eficiência energética, gestão da sustentabilidade e resíduos.

“Para atuar em cada uma dessas áreas, é necessário que tanto a pessoa jurídica quanto o prestador de serviços comprovem e evidenciem sua experiência profissional”, alerta a gerente de Inovação e Competitividade do Sebrae Minas, Lina Volpini.

O credenciamento não tem data para ser encerrado. Os interessados deverão passar por quarto etapas: inscrição (cadastro e preenchimento eletrônico dos formulários), habilitação técnica (entrega e avaliação documental da capacidade técnica), avaliação documental (análise de documentos obrigatórios como, atos constitutivos e regularidade fiscal), além de treinamento e alinhamento – os selecionados passarão por um repasse do Sebrae Minas sobre a operacionalização e gestão do programa.

 

 Apoio à inovação

Criado em 1994, o Sebraetec facilita o acesso das Micro e Pequenas Empresas (MPE), Microempreendedores Individuais (MEI) e produtores rurais aos serviços tecnológicos e de inovação para a melhoria de processos, produtos e serviços em áreas como design, inovação, produtividade, qualidade, serviços digitais e sustentabilidade.

“Com esse suporte, os pequenos negócios conseguem ampliar sua competitividade e se posicionar melhor no mercado. O Sebraetec também melhora a qualidade dos produtos, serviços e processos das empresas, elimina desperdícios, reduz custos, aprimora o designde ambientes, embalagens e produtos, adequação a normas e regulamentos e agregação de valor”, explica a gerente do Sebrae Minas.

 

Categoria: Economia

Cursos serão nas cidades de Pouso Alegre, Congonhal e Senador José Bento. Tem ainda a apresentação de um projeto que vai dar assistência por dois anos para 30 propriedades produtoras de leite.

Atenção produtores rurais que buscam capacitação para melhorar a produção de derivados do leite. O SENAR, em conjunto com o Sindicato Rural de Pouso Alegre, está como uma série de cursos voltados para a área nas cidades de Pouso Alegre, Senador José Bento e Congonhal.

Em Pouso Alegre o curso será sobre a produção de queijos especiais, entre os dias 28/04 a 03/05. Para participar é necessário já ter o curso básico. Inscrições pelo WhatsApp (35) 9.9911-7949.

Em Senador José Bento terá o curso de derivados do leite, como iogurte. A data ainda não está definida. Em Congonhal o curso será de recuperação de nascentes, nos dias 15 a 17 deste mês. Inscrições no CRAS dessas cidades ou no WhatsApp acima.

Assistência para 30 propriedades de leite

No próximo dia 16, às 19h, o SENAR fará uma apresentação a produtores de leite do projeto de Assistência Técnica e Gerencial (AteG). O evento será no SENAC, na Avenida Vicente Simões, 370, Centro.

O projeto vai dar assistência técnica durante dois anos para 30 propriedades dos municípios de Pouso Alegre, Congonhal, Estiva e Senador José Bento. Podem participar da seleção os pequenos produtores rurais e que não estejam participando de nenhuma assistência técnica continuada. O AteG irá atuar na melhoria da produção e gerenciamento da propriedade.

Categoria: Economia

Para advogado, os maiores problemas estão relacionados à má prestação de serviços de fornecedores ou até mesmo em fraudes contra o consumidor, principalmente de compras feitas pela internet.

Consumidor reclamando. Foto: ilustrativa

Nesta sexta-feira, 15 de março, é comemorado o Dia Mundial do Consumidor. O comércio celebra a data com promoções, ofertas para vender mais. Mas ela é justamente para conscientizar as pessoas de seus direitos básicos. E será que os compradores estão satisfeitos com atendimento recebido e com os produtos adquiridos? Pesquisa encomendada pela empresa Boa Vista SCPC, mostra que cresceu o número de consumidores que afirma reclamar sempre ou na maioria das vezes os seus direitos quando algum produto ou serviço apresenta problemas. O aumento foi de 6% na pesquisa deste ano em relação ao mesmo período do ano passado. Em 2019, 67% dos consumidores disseram que sempre ou na maioria das vezes reclamam quando encontram problemas relacionados a alguma compra. Em 2018, 61% tinham essa iniciativa e em 2017, 57%.

Para Pablo Nemirovsky, superintendente de Serviços ao Consumidor da Boa Vista, este avanço no percentual entre os consumidores que vai em busca dos seus direitos mostra um amadurecimento do brasileiro, que tem se informado mais sobre seus direitos e feito valer os mesmos.

A reportagem do Terra do Mandu consultou um advogado especialista em Direito do Consumidor sobre o assunto. Para Luiz Augusto de Moraes Silva, os maiores problemas enfrentados pelos consumidores estão relacionados à má prestação de serviços de fornecedores ou até mesmo em fraudes, principalmente em compras de produtos pela internet.

“É válido, antes de realizar a compra em sites de vendas de produtos online, realizar pesquisa em sites especializados em reclamações feitas pelos consumidores como o www.consumidor.gov.br,  do governo federal, para verificar se existem reclamações em nome da empresa do qual se está querendo fazer negócio”, fala Luiz Augusto.

Se ainda existir alguma dúvida sobre a reputação da empresa que está vendendo o produto, o advogado explica que o artigo 44 do Código de Defesa do Consumidor estabelece que os órgãos públicos de defesa do consumidor, como os Procons, deverão manter cadastros atualizados de reclamações fundamentadas contra fornecedores de produtos e serviços, podendo ser consultado por qualquer pessoa que se interesse. “Precaver evita aborrecimentos futuros e nunca é demais”.

Sobre o Dia Mundial do Consumidor
Em 15 de março é comemorado o Dia Mundial do Consumidor. A data marca a primeira manifestação de uma personalidade política na defesa dos consumidores, feita em 1962 pelo então presidente dos Estados Unidos John F. Kennedy no Congresso americano. Em seu discurso, Kennedy declarou que são direitos básicos do consumidor a segurança, a informação e a escolha, além de ser ouvido. No Brasil, as palavras de Kennedy foram reforçadas com a entrada em vigor do Código de Defesa do Consumidor, coincidentemente no mês de março. São 28 anos (comemora-se no dia 11/3) da vigência da lei que garantiu a consumidores e fornecedores direitos e deveres.

Categoria: Economia

Declarações podem ser feitas até 30 de abril. Quem fizer a entrega primeiro, também receberá a restituição mais cedo.

Teve início nesta quinta-feira (7) o prazo para a entrega da declaração do Imposto de Renda 2019, referente ao ano-base 2018. Os contribuintes que estiverem obrigados a entregá-la precisam fazer isso até 30 de abril. Estão obrigados a declarar quem teve rendimentos tributáveis no ano passado superiores a R$ 28.559,70. Veja outras obrigações abaixo.

O programa para fazer a declaração está disponível para download no site da Receita (clique aqui para baixar). Este ano, a Secretaria da Receita Federal mais de 30 milhões de declarações.

O contador Bruno Silva de Almeida lembra que o quanto antes a pessoa fizer a declaração, melhor.

“Os contribuintes que enviarem a declaração nesses primeiros dias, e não constar nenhum erro, como deixar de declarar alguma informação ou inconsistências, vão receber mais cedo as restituições do Imposto de Renda. Os idosos, portadores de doenças graves e deficientes físicos ou mentais têm prioridade na hora de receber as restituições”, explica Bruno.

Outra dica do contador para não deixar para os últimos dias é que, quanto mais perto do fim do prazo, mais o contribuinte poderá encontrar dificuldades para conseguir fazer a declaração devido à sobrecarga do sistema da Receita Federal, onde o contribuinte poderá até não conseguir fazer a entrega dentro do prazo.

E se perder a data de 30 de abril, aí a pessoa terá que pagar uma multa mínima de R$ 165, e máxima de 20% do imposto devido.

“Então, o conselho que a gente dá para as pessoas é que se você tem dúvidas de como e o que declarar, procure um profissional para evitar problemas de malha fina e com a própria Receita Federal”, diz Bruno Almeida.

As restituições começarão a ser pagas em junho e seguem até dezembro para os contribuintes cujas declarações não caíram na malha fina.

Quem deve declarar?

  • Quem recebeu rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2018. O valor é o mesmo da declaração do IR do ano passado.
  • Contribuintes que receberam rendimentos isentos, não-tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma tenha sido superior a R$ 40 mil no ano passado;
  • Quem obteve, em qualquer mês de 2018, ganho de capital na alienação de bens ou direitos, sujeito à incidência do imposto, ou realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas;
  • Quem teve, em 2018, receita bruta em valor superior a R$ 142.798,50 em atividade rural;
  • Quem tinha, até 31 de dezembro de 2018, a posse ou a propriedade de bens ou direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a R$ 300 mil;
  • Quem passou à condição de residente no Brasil em qualquer mês do ano passado e nessa condição encontrava-se em 31 de dezembro de 2018;
  • Quem optou pela isenção do imposto incidente em valor obtido na venda de imóveis residenciais cujo produto da venda seja aplicado na aquisição de imóveis residenciais localizados no país, no prazo de 180 dias, contado da celebração do contrato de venda;
  • Quem optar pela declaração simplificada abre mão de todas as deduções admitidas na legislação tributária, como aquelas por gastos com educação e saúde, mas tem direito a uma dedução de 20% do valor dos rendimentos tributáveis, limitada a R$ 16.754,34, mesmo valor do ano passado.

Categoria: Economia

Para 2019 ainda não está certo se terá horário de verão. Em outubro, operadores de celulares mudaram os relógios antes da hora.

Motivo de alegria para uns e de tristeza para outros, o horário de verão termina na virada deste sábado (16) para domingo (17). Com isso, à meia-noite, os relógios terão que ser atrasados em uma hora (voltarão para 23h) para os moradores de Minas Gerais e outros nove estados, mais o Distrito Federal, localizados nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste do Brasil.

Fim do horário de verão – Foto: arquivo Agência Brasil

O horário de verão de 2018 começou no dia de 4 novembro para moradores de 10 estados e do Distrito Federal. Até 2017, o horário de verão tinha início no terceiro domingo de outubro, mas atendendo um pedido do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o então presidente Michel Temer alterou o início do horário para que não coincidisse com o primeiro e o segundo turno da eleição.

As mudanças na data de início do horário de verão chegaram a causar confusão. No dia 15 de outubro, usuários de telefone celular reclamaram da mudança automática do horário em seus aparelhos para o horário de verão. O mesmo problema ocorreu em computadores no final de semana seguinte.

Terá horário de verão em 2019?

Este ano, a adoção do horário de verão ainda é uma incógnita, e cabe ao presidente Jair Bolsonaro decidir.

No ano passado, estudos da Secretaria de Energia Elétrica (SEE), do Ministério de Minas e Energia (MME) em parceria com o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), apontaram que em termos de economia de energia, a medida não tem sido eficiente, já que os resultados alcançados foram próximos à “neutralidade”. O horário de verão foi criado no país com o intuito de economizar energia, a partir do aproveitamento de luz solar no período mais quente do ano.

“A aplicação da hora de verão, nos dias de hoje, não agrega benefícios para os consumidores de energia elétrica, nem tampouco em relação à demanda máxima do sistema elétrico brasileiro, muito em função da mudança evolutiva dos hábitos de consumo e também da atual configuração sistêmica do setor elétrico brasileiro”, destaca o documento enviado à Casa Civil.

Segundo a assessoria do MME, não há previsão de balanço sobre os resultados obtidos com o horário de verão de 2018. “Serão realizadas novas análises anuais técnicas dos resultados do ciclo 2018/2019 e, quando concluídas, serão encaminhadas à Presidência da República, a quem cabe a decisão de manter ou não o horário brasileiro de verão”, informou a assessoria do MME.

O Horário Brasileiro de Verão foi instituído pelo então presidente Getúlio Vargas, pela primeira vez, entre 3 de outubro de 1931 até 31 de março de 1932. Sua adoção foi posteriormente revogada em 1933, tendo sido sucedida por períodos de alternância entre sua aplicação ou não, e também por alterações entre os Estados e as regiões que o adotaram ao longo do tempo.

O horário de verão também é adotado em países como Canadá, Austrália, Groelândia, México, Nova Zelândia, Chile, Paraguai e Uruguai. Por outro lado, Rússia, China e Japão, por exemplo, não implementam esta medida.

Com informações da Agência Brasil

Categoria: Economia

Farmacêutica, que já tem sede em Pouso Alegre, prevê dobrar seu faturamento até o ano de 2022. A previsão é gerar mais 500 empregos.

Nova fábrica da Cimed passará por adaptações e ampliação (Foto: Ascom CIMED)

O Grupo Cimed acaba de anunciar a compra de uma fábrica onde funcionava a Locomotiva em Pouso Alegre, às margens da rodovia Fernão Dias. A área total é de 283 mil m² e custou R$ 20 milhões. A Locomotiva fechou a fábrica em Pouso Alegre em agosto do ano passado, alegando que a crise brasileira afetou o faturamento da empresa. Cerca de 200 pessoas foram demitidas.

De acordo com nota enviada pela assessoria do Grupo Cimed à redação do Terra do Mandu, esta expansão faz parte do planejamento para estruturar o crescimento da farmacêutica de forma sustentável e planejada. Ainda segundo a nota, o novo local será destinado à produção de medicamentos sólidos e passará por adaptações e ampliações da área construída, que hoje ocupa 22 mil m² da área total. A farmacêutica prevê ainda a implementação de um novo almoxarifado de insumos e materiais de embalagem, e demais áreas de apoio necessárias. A previsão é que parte das operações se iniciem em 2021.

“A compra deste novo local faz parte de uma estratégia desenhada para garantir os projetos estipulados para os próximos anos, como dobrar o nosso faturamento até o ano de 2022. Prevemos alcançar uma capacidade de produção de 100 milhões de unidades/mês até 2024, quando todas as obras estiverem concluídas”, afirma o presidente do Grupo Cimed, João Adibe.

Maior fábrica do setor no Brasil
Com a aquisição da área às margens da Fernão Dias, o Grupo Cimed passa a ter uma das maiores fábricas de medicamentos do Brasil, com capacidade de gerar aproximadamente 500 novos empregos diretos e indiretos.
Enquanto a nova fábrica não fica pronta, o Grupo Cimed diz que continuará investindo em tecnologia e novos produtos. A previsão é que, apenas para este ano, sejam lançados mais 80 produtos e uma aumento de 15% em faturamento da empresa, em relação ao ano passado. Em 2018, a farmacêutica chegou a produzir 37 milhões de unidades/mês e sua receita atingiu R$ 1,3 bilhão.

Grupo Cimed tem sede em Pouso Alegre e emprega mais de 3 mil funcionários
O Grupo Cimed , que tem sua sede em Pouso Alegre, é composto por nove empresas, com capital 100% nacional. A farmacêutica possui uma linha completa de medicamentos, cosméticos e suplementos, com mais de 600 produtos na sua linha de produção, divididos em seis categorias.

Ao todo, o Grupo conta com mais de 3.200 funcionários, a maior parte desses colaboradores está na fábrica em Pouso Alegre, no bairro Santa Rita. Além do complexo fabril na cidade sede, a empresa tem um centro de distribuição e gráfica em São Sebastião da Bela Vista.

Patrocínio a atleta pouso-alegrense
Desde o ano passado, a Cimed patrocina a carateca de Pouso Alegre Bárbara Rodrigues, tri-campeã pan-americana e que faz parte da Seleção Brasileira de Karatê.

O Grupo Cimed também investe em outras modalidade esportivas: no futebol, como patrocinador oficial da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e da Seleção Brasileira; no vôlei, como parceiro oficial da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) e das seleções de quadra e areia; no automobilismo, como proprietário da Cimed Racing, bicampeã da Stock Car; no basquete, como patrocinador oficial da Confederação Brasileira de Basketball (CBB).

Categoria: Economia

Ganhadora de campanha de Natal diz que vai vender veículo para pagar contas e guardar parte do dinheiro. VEJA VÍDEO ABAIXO.

A aposentada Kely Peres Barros foi a sortuda que ganhou o Jeep Renegade 2019 da promoção de Natal da Associação do Comércio e Indústria de Pouso Alegre (Acipa). Kely foi com a mãe comprar calçados numa loja e recebeu 10 cupons. Ela conta que foi a primeira que ganhou um prêmio em sorteio. “Nunca ganhei nada. Primeira vez foi um bom prêmio. Muito feliz”, diz ela.

Segundo a Acipa, o carro sorteado vale R$ 72 mil. Kely já antecipou que vai vender o Jeep. “Meu plano é vender porque eu já possuo veículo. Gostaria muito de ficar, mas eu preciso mesmo é do dinheiro. Vou acertar umas continhas e guardar o resto, pensar com calma”, explica a ganhadora.

Prêmios sorteados na campanha de Natal

Durante o mês de dezembro a associação comercial de Pouso Alegre sorteou quatro celulares modelo iPhone 8 e o Jeep Renegade. O presidente da Acipa, Filipe Vargas, comemora o resultado da campanha.

“Foi excelente. Nós tivemos um Natal, realmente, diferente em Pouso Alegre que foi elogiado, tanto pelos consumidores, como pela população em geral e também pelos lojistas. Então, a gente avalia que o Natal foi um dos melhores que nós já tivemos aqui na cidade”, afirma Filipe Vargas.

Segundo o presidente, a campanha de Natal de 2018 teve o dobro de associados participantes que no ano anterior. “E estão todos animados aí com o mercado e fazendo a diferença para o consumidor de Pouso Alegre”.


[metaslider id=”4967″]

Categoria: Economia

Já é tradição. Na primeira semana de janeiro tem liquidação de produtos nas unidade de uma loja de departamentos. E na véspera, muitas pessoas dormem nas filas ou madrugam para conseguir os utensílios mais desejados.

Em Pouso Alegre não é diferente. Alguns clientes já estão na fila desde a tarde desta quinta-feira (03), como mostram essas fotos enviadas pelo leitor do Terra do Mandu Rodrigo Santos.

A promoção está  em seu 26° ano e promete descontos de até 70%.


Clientes dormem em porta de loja,em Pouso Alegre para aproveitar promoção (Fotos: Rodrigo Santos)

A loja já disponibilizou banheiros quimicos ectem até carrinho de pipoca na calçada. As portas abrem às 06h desta sexta e as promoções da liquidação devem seguir até o início da tarde.

Outras lojas do ramo aproveitam o fluxo de consumidores nas ruas e também buscam atrair os compradores com descontos e vantagens.


[metaslider id=”4967″]

Categoria: Economia

Prêmio estimado é de R$ 280 milhões e não acumula. Lotéricas abrem na segunda até às 14h, último dia de apostas e do sorteio.

VÍDEO APOSTADORES COMENTAM TÉCNICA DE APOSTA, FUNCIONÁRIA DE LOTÉRICA EXPLICA HORÁRIOS E OPÇÕES DE APOSTA.

E aí, já escolheu os números que vai apostar na Mega da Virada? Vai fazer aposta simples ou bolão? Seja como for, é melhor não deixar para a última hora, quando as filas costumam sair de dentro das lotéricas e percorrer as calçadas próximas.

E muita gente de Pouso Alegre, como no resto do Brasil, já está na expectativa, sonhando com a bolada de R$ 280 milhões, ou pelo menos, parte disso. É o caso do aposentado Domingos Machado. Ele fez três apostas simples e comprou um bolão com mais sete jogos. Seu Domingos diz que prefere ganhar com mais pessoas. “É muita coisa pra gente. Tem muita gente que precisa”, diz o aposentado que ajudaria a família se recebesse parte do prêmio.

O prêmio deste ano é estimado em R$ 280 milhões e não acumula. Se não houver ganhador nas seis dezenas, o prêmio é dividido para os acertadores da quina.

As apostas podem ser feitas até às 16h do dia 31 de dezembro. O sorteio ocorre às 20h da mesma data. Mas, no caso de Pouso Alegre, as casas lotéricas ficam abertas das 08h às 14h. Jaqueline Scodeler, funcionária de uma lotérica no Centro da cidade, pede para os sonhadores não deixarem para a última hora. “Todo mundo pode correr. Faltam poucos dias e não deixar para os últimos dias porque as filas são gigantes”, alerta.

Probabilidades

Na Mega da Virada são sorteadas seis dezenas entre sessenta possíveis. Em uma aposta simples de seis números, que custa R$ 3,50, a probabilidade de acertar o prêmio principal é uma em 50.063.860.

Com uma aposta de sete números, que custa R$ 24,50, a chance sobe para uma em 7.151.980. Já em uma aposta de oito números, com o valor de R$ 98, o apostador tem uma chance em 1.787.995 para acertar as seis dezenas.

Para aumentar as chances, o apostador também pode comprar os bolões oferecidos pelas casas lotéricas ou montar o próprio bolão entre amigos, parentes, colegas de serviço.

“Temos o bolão com sete jogos de sete dezenas que custa R$ 10 a cota; e duas opçoes de bolões maiores: dez jogos de nove dezenas, com 40 cotas de R$ 100 e outra opção é o bolão com quatro jogos de dez dezenas, com 25 sócios, com valor de R$ 158 cada cota”, explica Jaqueline.

O servente de obras Luiz Antônio já comprou um bolão e na segunda-feira diz que vai jogar mais um pouco. “Vou deixar para o último dia para escolher uma cartela premiada”.

Luiz diz que costuma jogar os números que mais saem.

Segundo a Caixa, as dezenas mais sorteadas em 2018 foram 27 e 56 saíram 19 vezes cada uma. Elas foram os “campeãs” em 106 jogos de janeiro a dezembro

Em segundo lugar ficou a dezena 11, que foi sorteada 18 vezes.

Já na terceira colocação estão 6, 10, 35, 37, 38 e 40, sorteadas 17 vezes cada.


[metaslider id=”4967″]

Categoria: Economia

Tarifa vai subir R$ 0,10 centavos, passando para R$ 2,40 valor base para carro de passeio. O reajuste equivale a inflação do período.

Quem está pegando a rodovia Fernão Dias para as festas de fim de ano já pode separar algumas moedinhas a mais. É que o valor do pedágio será reajustado justamente neste sábado (22). A tarifa sobe R$ 0,10, passando de R$ 2,30 para R$ 2,40 para carro de passeio.

Segundo a concessionária Arteris, o reajuste está previsto sempre no mês de aniversário do início da cobrança de pedágio na concessão da rodovia, dezembro, quando foi assinado o Contrato de Concessão entre a Arteris Fernão Dias e a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) em 2008. O percentual usado é o da inflação do período.

LEIA TAMBÉM

“O reajuste autorizado pela agência reguladora leva em consideração a recomposição do equilíbrio econômico-financeiro do contrato de concessão. Esse valor é aplicado sobre a tarifa base de pedágio contratual e não sobre o valor praticado na praça de pedágio”, explica Juliana Felix, gerente de arrecadação da concessionária.

Pedágios

Na rodovia Arteris Fernão Dias, a tarifa básica é cobrada nas oito praças de pedágio, em ambos os sentidos:

Em Minas Gerais:

Km 545,9 – Itatiaiuçu

Km 597,7 – Carmópolis de Minas

Km 658,3 – Santo Antônio do Amparo

Km 735,5 – Carmo da Cachoeira

Km 805,2 – São Gonçalo do Sapucaí

Km 900,9 – Cambuí

Em São Paulo:

Km 7,2 – Vargem

Km 65,7 (pista sentido BH) / km 66,6 (pista sentido SP) / km 67,6 (pista sentido BH – via lateral) – Mairiporã


[metaslider id=”4967″]