0

Jardineiro de Pouso Alegre que se tornou artista plástico participa de exposição em SP

José Raimundo tem obras já vendidas para diversos países. Ele pinta arte Naif. Quadros dele estão na mostra ‘Olha, O Vento’, da Fundação Mukiti Okada, em São Paulo.

Magson Gomes
27/11/2021

O jardineiro que se tornou um grande artista plástico. Essa é a história de José Raimundo Francisco, ou simplesmente, José Raimundo.
Tudo começou quando ele aceitou o serviço de jardineiro na casa do artista plástico Ferrão, em Pouso Alegre. Além de cortar grama, José Raimundo ajudava a movimentar as pesadas esculturas produzidas por Ferrão.

“Fui gostando de ver o jeito dele desenhar as esculturas. Aí, sempre que ele virava as costas eu ia lá e fazia o desenho de uma vaquinha, de uma galinha, coisa que eu conhecia lá da roça, do meu terreiro”, conta José Raimundo.

Até que um dia, Ferrão viajou para mais uma exposição e deixou um presente que mudaria a vida de José Raimundo. “Porque o contrato meu com ele era de fazer o jardim e olhar a casa quando ele viajava. Ele deixou uma tela, tinta, pincel e os desenhos que eu tinha feito e que achei que ele jogava fora; deixou em cima da mesa e um bilhete escrito: ‘Olha José Raimundo, o mais difícil você fez, que é desenhar as figuras, agora coloca em prática, coloca tudo nessa tela’. Aí eu pintei a tela e quando ele chegou de viagem me deu os parabéns, que a família tinha gostado e ele tinha gostado”, lembra o artista plástico.

Ferrão, o artista plástico que hoje é amigo e curador do trabalho de José Raimundo, afirma que ele só precisava do incentivo. “Pois é, o jardineiro que virou artista. Essa história é bem legal porque retrata uma situação, que vejo, de falta de incentivo para o potencial que nós temos aqui na área cultural”, diz Ferrão.

Arte que aprendeu sozinho

A pintura produzida por José Raimundo é conhecida como Arte Naif, onde o artista não fez nenhum curso para aprender a pintar. É um autodidata. Usando cores fortes, vivas, ele recria coisas, situações do cotidiano vivido por ele.

Além das pinturas em tela, o artista também estampa sua arte em objetos que encontram pelo caminho, em pedaços de madeira e utensílios domésticos que passam a decorar os ambientes.

A descoberta do talento para a arte de José Raimundo foi há 22 anos. Ferrão passou de patrão para curador do trabalho do artista plástico. A primeira exposição foi em 2000 e não parou de surgir novos projetos.

Exposição em São Paulo

José Raimundo participa de uma das mais importantes exposições do Brasil. São quatro quadros na exposição ‘Olha, O Vento’, da Fundação Mukiti Okada, de São Paulo, que começou em novembro desse ano e vai até fevereiro de 2022. ASSISTA A REPORTAGEM EM VÍDEO ACIMA

Obras de José Raimundo que estão na exposição em SP. Imagem: reprodução

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.