0

Idosa de Piranguinho é atacada por tubarão em Ubatuba (SP)

Ao sair água, na Praia Grande, ela sentiu a mordida na perna e pediu socorro

Nayara Andery
18/11/2021

Um tubarão mordeu a perna de uma idosa de 79 anos, que mora em Piranguinho, e foi passar o feriado com a família em Ubatuba, litoral paulista. O corte na panturrilha teve cerca de 25 cm e expôs a musculatura superficial. Ela estava na Praia Grande, quando saía da água e sentiu a mordida do lado esquerdo, no último domingo (14).

A idosa que até o momento não teve o nome divulgado foi atendida na Santa Casa de Ubatuba e liberada, como confirmou a instituição ao Terra do Mandu. É o segundo acidente com mordida de tubarão no município neste mês. Um francês também teve ferimento causado por mordida do animal em 3 de novembro.

“Ambos incidentes foram causados por mordidas de tubarões, confirmadas pelo Prof. Dr. Otto Bismarck Gadig, renomado pesquisador da UNESP e especialista no assunto.” A informação é do Instituto Argonauta para Conservação Costeira e Marinha, de Ubatuba (SP).

O especialista informou em nota preliminar que o ferimento da idosa foi causado por um animal de médio a grande porte, com cabeça arredondada. Gadig analisou relatos de testemunhas e imagens da lesão da idosa, que A hipótese é que o animal era um tubarão-tigre ou cabeça-chata, conforme essa lesão.

Em Piranguinho, a idosa ainda não buscou posteriores cuidados após o ferimento na rede municipal, citam profissionais de saúde.

A MORDIDA DO TUBARÃO

O corte na panturrilha da idosa teve pelo menos 5 agentes perfurantes, ou seja, “que correspondem à dentes largos e com borda serrilhada, em pequeno número, grande tamanho”, destaca o especialista na nota. Ele confirma que essa lesão é causada por “agente externo animado (animal marinho em movimento)”.

Ferimento de tubarão em perna de idosa é apontado em relatório de Otto Bismarck

DÉCADAS SEM ATAQUES DE TUBARÃO

Ubatuba está entre os destinos mais procurados por turistas do Sul de Minas, principalmente de Pouso Alegre e região. A cidade litorânea não tinha registros de ataques de tubarão a banhistas há pelo menos 32 anos, estatística que foi rompida com acidente com o turista francês há 15 dias atrás.

Hugo Gallo Neto, presidente do Instituto Argonauta, enfatiza que o Brasil tem cerca de 80 das 380 espécies existentes de tubarões no mundo. No país, apenas 12 dessas espécies “podem trazer no currículo a má fama de terem causado incidentes com seres humanos”.

Ser atacado por um tubarão é o que se pode dizer que está em uma chance entre 11,5 milhões, estima Neto. “Entretanto o número de incidentes entre humanos e tubarões tem aumento constantemente há mais de um século.

 

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.