0

Pouso Alegre não seguirá novas restrições da onda vermelha

Na cidade, que não aderiu ao Minas Consciente, valem as regras do último decreto municipal, que autorizou a reabertura do comércio, após a onda roxa.

Magson Gomes
04/06/2021

Foto: Terra do Mandu

A prefeitura de Pouso Alegre não irá adotar as novas medidas restritivas para o Sul de Minas, dentro da onda vermelha do programa Minas Consciente. A assessoria de imprensa da prefeitura informou ao Terra do Mandu que permanecem em vigor as regras do decreto municipal Nº 5.288, de 16 de abril, que autorizou a reabertura das atividades, após um mês de onda roxa.

Ontem (03), o Governo de Minas anunciou que, a partir do próximo domingo, dia 06, as cidades do Sul de Minas, que estão na onda vermelha do programa Minas Consciente, vão ter novas restrições de combate à pandemia da Covid-19.

Entre as novas medidas restritivas estão a proibição de eventos, de atrativos culturais e naturais; proibição de academias, clubes e salões de beleza; alimentação em Bares e Restaurantes – limitados até 19h; após este horário, apenas delivery, sem retirada em balcão.

As restrições devem ser seguidas pelas cidades que fizeram adesão ao programa Minas Consciente, o que não é o caso de Pouso Alegre. O município seguiu as medidas da onda roxa, que vigorou entre março e abril, porque era impositiva.

De acordo com a assessoria de imprensa da prefeitura, será seguido o que está no último decreto municipal e analisado, no dia a dia, o cenário da pandemia no município.

Diferente da onda roxa, nessa fase da onda vermelha cada município tem autonomia para definir quais restrições vai impor. Sendo assim, o decreto de Pouso Alegre, publicado em abril, estabelece que:

  • Restaurantes, bares lanchonetes e congêneres poderão funcionar no máximo até meia noite e limitados a 50% da capacidade de ocupação;
  • Templos, igrejas e demais locais de culto podem abrir desde que respeitando a ocupação máxima de uma pessoa a cada 4m²;
  • Academias de esportes e atividades físicas deverão manter distanciamento mínimo de 2m entre os frequentadores e não adotarem aulas coletivas de contato ou em espaços fechados;
  • Salões de beleza, cabeleireiros, clínicas de estética e congêneres poderão funcionar apenas com hora marcada;
  • Conveniências 24h deverão encerrar atividades à meia noite;
  • Estabelecimentos comerciais devem adotar horário especial para atender pessoas de grupos de risco;
  • *Único item do decreto que mudou foi o retorno das aulas presenciais que foi autorizado em decreto posterior.

Todos os estabelecimentos comerciais do município e serviços públicos ou privados somente poderão funcionar adotando medidas de segurança, como uso obrigatório de máscaras, disponibilização de álcool 70%, além de evitar aglomerações e cuidar para que eventuais filas tenham o devido distanciamento.

A situação da pandemia em Pouso Alegre

De acordo com o último boletim epidemiológico, divulgado pela prefeitura ontem e com dados do dia anterior, a ocupação de leitos de UTI em Pouso Alegre está em 94%, e os leitos clínicos têm ocupação de 65%. São 114 pessoas internadas em hospitais da cidade.

Nesse boletim, foram confirmados 128 novos casos de moradores infectados com o coronavírus. Um novo óbito também foi registrado, chegando a um total de 355 vítimas da doença, desde o início da pandemia. O total de contaminados é de 18,087. O total de pacientes recuperados está em 16.808.

Atualmente, Pouso Alegre tem 924 pessoas em acompanhamento com a Covid-19. São moradores que estão em isolamento domiciliar, cumprindo a quarentena de 14 dias, em caso de sintomas leves, ou estão internadas em hospitais.

Motivos das novas restrições anunciadas pelo Governo de Minas

Em reunião do Comitê Extraordinário Covid-19, realizada ontem (03), o Sul de Minas e outras quatro macrorregiões do estado (Triângulo do Sul, Oeste, Leste do Sul e Centro Sul), que já estavam na onda vermelha, foram consideradas em cenários epidemiológico e assistencial desfavoráveis, o que aponta para um momento crítico da pandemia.

O principal motivo dessa alteração são os indicadores analisados pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) quanto as tendências de piora na transmissão da doença e na ocupação de leitos e possíveis filas.

“Esta gradação dentro da onda vermelha é importante, pois estamos em um momento heterogêneo da pandemia no estado, com cenários diferentes, porém críticos. Dentro destas diferenças, ressaltamos a necessidade de medidas mais restritivas, ainda, para evitar o estresse do sistema de saúde”, explicou o secretário de Estado de Saúde, o médico Fábio Baccheretti. Segundo ele, o momento ainda é de incidência alta da Covid-19 no estado.

Segundo dados extraídos desta quinta-feira, extraídos às 7h50, 250 pacientes suspeitos ou confirmados para covid-19 aguardam por internação em leitos de UTI, em Minas Gerais. No Sul de Minas, a situação é mais crítica nas cidades da Regional de Saúde de Passos, com pacientes precisando ser transferidos para municípios de outras regiões do estado.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.