0

Professores protestam contra possível retorno das aulas presenciais na rede municipal

Enquanto os vereadores votavam o projeto que tornou essencial a educação, alguns professores colocaram cruzes com os números da pandemia ao redor da Câmara.

Terra do Mandu
05/05/2021

Nesta terça-feira (04), durante a sessão ordinária na Câmara Municipal, enquanto os vereadores votavam o projeto que tornou essencial a educação básica e superior em Pouso Alegre, o Sipromag, Sinpro, SindUte Pouso Alegre, Coletivo educadores e pais e um grupo de professores da rede municipal fizeram um ato contra a possível retomada das aulas presenciais na rede pública neste momento da pandemia.

Mais de 300 cruzes foram colocadas ao redor da Câmara. Nelas, foram inscritos os números de mortes por Covid-19 e pessoas contaminadas pelo vírus. Durante o ato, houve um minuto de silêncio pelas mais de 300 vítimas da pandemia, entre elas três professores da rede municipal e outros servidores do município que também faleceram em decorrência da doença.

Vale destacar que, nessa semana, o juiz José Hélio da Silva anulou a liminar que suspendia as aulas presenciais nas escolas municipais de Pouso Alegre. Porém, o juiz pontuou que as atividades não poderiam ser retomadas de maneira imediata, e que para o retorno das aulas seria necessária decisão da prefeitura, que deverá elaborar um novo decreto por conta da anulação da liminar

A presidente do Sipromag, Dulcineia Costa, diz que o sindicato é contrário ao retorno das aulas presenciais. “Neste momento em que os nossos hospitais continuam com mais de 100% de ocupação, com o número de óbitos muito maior do que em 2020. O que nos preocupa é que mesmo que a criança vier a ser contaminada pela Covid, pode apresentar sintomas leves e não agravar a situação, nós sabemos que essa criança ou adolescente pode levar o vírus para sua família, ou levar da casa ou da rua, porque vai usar o transporte público, para a escola. E a situação da pandemia pode agravar, imensamente, no município e isso nos preocupa muito mesmo”, disse a presidente do Sipromag.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.