0

Pousão deixa de arrecadar cerca de R$ 2 milhões com a pandemia

Segundo o presidente do clube, fatores como a falta de bilheteira e diminuição dos sócios-torcedores interferiram na receita do Dragão.

Gabriella Starneck
23/04/2021

A presença da torcida no estádio além de ser importante para incentivar o time – já que os torcedores são considerados o 12º jogador em campo -, também impacta no cofre dos clubes. Segundo o presidente do Pousão, Paulo da Pinta, o Dragão deve deixar de arrecadar cerca de R$ 2 milhões nesse ano devido à pandemia da Covid.

“Há mais de um ano a gente vem vivendo com essa pandemia, com essa falta da torcida, falta de bilheteria. Nós tínhamos uma venda muito boa de camisas nos dias dos jogos, e tudo isso foram receitas que o clube perdeu. A receita do sócio-torcedor também. A gente chegou a ter quase 900 sócios, hoje caiu para menos de 200. Então a dificuldade é grande”, afirma Paulo da Pinta em entrevista ao Terra do Mandu.

O presidente inclusive explica que foi necessário paralisar a construção do Centro de Treinamento do Pouso Alegre, que já era para estar pronto, para que parte do recurso pudesse ser usado para honrar com o salário dos funcionários, atletas e comissão técnica.

“Só em renda eu creio que no ano passado a gente perdeu mais de RS 1 milhão, em média, nesses jogos que foram com portões fechados. E nesse ano, na primeira divisão, a perda é bem maior. A gente calcula que deixou de arrecadar mais de R$ 2 milhões. A gente indo pra uma possível final, imagina o que não entraria para os cofres. Então infelizmente a gente lamenta, mas o momento é delicado. A pandemia veio, estamos no pior momento. Esperamos que possa melhorar, que a vacina chegue para população”, afirma Paulo da Pinta.

VEJA A ENTREVISTA COMPLETA 

 

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.