0

Projeto Mesa Brasil Sesc doa 14 toneladas de alimentos para Pouso Alegre

O programa atendeu a um pedido do Sindcomércio para distribuir os alimentos à instituições filantrópicas da cidade.

Magson Gomes
22/04/2021

O projeto Mesa Brasil Sesc entregou 14 toneladas de alimentos para Pouso Alegre nesta quinta-feira (22). As doações foram feitas pela Yoki, parceira do programa. O presidente do Sindcomércio e conselheiro do Sesc, Alexandre Magno de Moura, explica que as instituições beneficiadas foram cadastradas no Sesc para serem contempladas.

“Esse projeto Mesa Brasil visa evitar o desperdício alimentar e atende o país como um todo. São várias cidades atendidas em Minas. Aqui em Pouso Alegre, estamos atendendo 13 instituições”, afirma Alexandre.

Desde 1994, o Mesa Brasil Sesc contribui no combate à fome e ao desperdício, a partir de parcerias, transformando a vida de crianças, jovens, adultos e idosos em todo o Brasil. A pandemia da Covid-19 agravou as dificuldades de muitas famílias de conseguir o básico para se alimentar. Entidades filantrópicas também tiveram redução no volume de doações que eram recebidas antes da pandemia.

Entre as instituições beneficiadas estão o Asilo Nossa Senhora Auxiliadora a Casa de São Rafael, Carmelo da Sagrada, Clube do Menor, Fazenda Esperança, Prossan, Creche Irmã Esther, Creche Jesus Maria José, Comunidade Ação Pastoral, Movimento Social São José Pró-Tuberculosos e Sindicato dos Empregados do Comércio de Pouso Alegre.

O Asilo Nossa Senhora Auxiliadora atende 60 idosos e fez a retirada da doação enchendo a caminhonete. O gerente administrativo do asilo, Marcos Antônio Miguel, celebra a chegada dos alimentos.

“Nessa época de pandemia toda doação é muito importante e vai atender os nossos 60 idosos que estamos cuidando. Só tenho a agradecer toda equipe e empresas que têm nos ajudado bastante”, disse Marcos Antônio.

Duas toneladas de alimentos serão doadas para pessoas que perderam o emprego durante a pandemia. O presidente do Sinecom (Sindicato dos Empregados de Pouso Alegre e Região), Eduardo Alcebíades, afirma que cerca de 5% dos funcionários do comércio foram demitidos ou afastados temporariamente.

VEJA O VÍDEO DA REPORTAGEM:

 

 

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.