0

Jovem é condenado a 21 anos de prisão por morte de namorada em Pouso Alegre

Magson Gomes
16/10/2020

Júri popular foi realizado nesta sexta (16). O rapaz foi condenado por crime triplamente qualificado (estupro, homicídio e ocultação de cadáver) ocorrido em agosto de 2018.

Passava das 19h da noite desta sexta-feira (16) quando saiu a sentença contra o réu Weslley Luiz Ferreira Cruz, hoje com 22 anos. Ele foi condenado a 21 anos de prisão pela morte da estudante Luísa Retuci da Silva, de 14 anos, namorada dele na época. O crime ocorreu em agosto de 2018, em Pouso Alegre Sul de Minas.

O rapaz foi levado ao fórum para acompanhar o julgamento, iniciado às 09h40 da manhã desta sexta. Ele está preso há dois anos, no presídio de Pouso Alegre.

O corpo da adolescente foi encontrado, com sinais de estrangulamento, numa área de pasto logo ao final de uma rua sem saída, do bairro Parque Real, há cerca de cinco quilômetros do Centro da cidade. A estudante estava seminua, de costas na vegetação de um barranco. O namorado dela, na época com 20 anos, foi detido no mesmo dia como suspeito do crime.

Segundo o advogado que representa a família da estudante, e assistente de acusação do Ministério Público, o rapaz foi acusado crime triplamente qualificado, sendo estupro, homicídio e ocultação de cadáver.  De acordo com Rovilson Carvalho, ele não deverá recorrer da sentença proferida pelo juiz, aceitando a condenação de 21 anos de prisão.

As duas famílias acompanham o julgamento. A mãe de Luísa Retuci preferiu não dar entrevista. Ela continua muito abalada com a morte da filha caçula.

A mãe do acusado falou com a reportagem. Dona Ednalva lamenta e diz sofrer pelo crime cometido pelo filho. Ela afirma que o Weslley tem que pagar pelo que fez.

REPORTAGEM GRAVADA NO INÍCIO DO JULGAMENTO:

Jovem se passou pela namorada para falar com a mãe da estudante

Em depoimento ao delgado Rodrigo Bartoli, logo depois de ser preso, o rapaz confessou o crime. Ele contou à polícia que os dois namoravam dentro do carro, durante a relação sexual, ele teria tirado uma foto íntima da adolescente. A menor não gostou disso, pediu para ter a foto apagada e teve início uma discussão.

De acordo com o delegado, Luísa tinha marcas de esganadura no pescoço. O rapaz também tinha marcas de luta corporal.

O delgado também disse que, após matar a estudante, o namorado pegou o celular da vítima e enviou mensagens para a mãe dela, se passando pela estudante, dizendo que estaria numa festa. Depois disso, ele ainda foi para a casa da professora, mãe da menina para ajudá-la a procurar pela vítima.

Foi ele também que, usando o celular de Luísa, mudou a foto do perfil na rede social dela, colocando uma foto do casal.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.