0

Arquidiocese de Pouso Alegre anuncia plano para retomada das celebrações com presença de fiéis

Magson Gomes
03/07/2020

O plano é dividido em fases, batizados e casamentos poderão ser realizados na segunda quinzena deste mês. Já as missas com a presença de féis nas igrejas só em agosto. As atividades com público estão suspensas desde março devido a pandemia da Covid-19.

A Arquidiocese de Pouso Alegre anunciou, nesta sexta-feira (03), um plano para a retomada das atividades religiosas com a presença de fiéis, ainda com medidas restritivas por causa da pandemia da Covid-19. O documento é assinado pelo arcebispo metropolitano, dom José Luiz Majella Delgado.

“É preciso ressaltar que se trata de uma transição que será feita em fases e que sua aplicação depende das condições sanitárias do momento e também das orientações da Secretaria de Saúde e Vigilância sanitária de cada município”, diz o informe da arquidiocese.

As atividades nas paróquias e comunidades com presença de público estão suspensas desde o dia 18 de março, quando o arcebispo publicou decreto com as medidas para evitar a disseminação do novo coronavírus. O decreto tinha validade de 30 dias e, com o agravamento da pandemia, foi prorrogado por tempo indeterminado.

Fases da retomada

Atividades com presença de fiéis estão suspensas desde março. Foto: Terra do Mandu

O planto estabelece fases para a retomada das atividades na arquidiocese. Ainda neste mês de julho poderão ser realizados batizados e casamentos nas igrejas.

O retorno das celebrações de missas com a presença de fiéis será em agosto, sendo a primeira missa celebrada na Catedral Metropolitana no dia 1º de agosto. Nas paróquias, as missas retornam no dia 2 de agosto.

Segundo a arquidiocese, a decisão foi tomada após uma avaliação prudente, tendo ouvido a Comissão Gestora para o Tempo de Pandemia e o Conselho de Presbíteros da arquidiocese. Cada pároco deve validar esse plano na secretaria de saúde do município.

“Oferecemos um plano de retomada em sintonia com as orientações da CNBB, que acontecerá por fases, em um processo gradual, sempre em permanente diálogo dos párocos com as autoridades sanitárias de cada município da Arquidiocese, para sua efetivação de acordo com as condições de cada realidade. Por isso, nenhuma paróquia iniciará a execução deste plano sem antes apresentá-lo à Secretaria de Saúde e Vigilância Sanitária do município, solicitando por escrito sua validação, que deve ser afixada em todos os locais de sua execução e conservadas no arquivo paroquial para fins jurídicos e documentais. O plano prevê a preparação das equipes e elementos necessários para esse retorno, bem como a avaliação e o alargamento das possibilidades, assim que cada etapa for bem sucedida. No entanto, em havendo necessidade de revogação ou recuo em alguma das decisões aqui elencadas, por razões justas, sobretudo aquelas ligadas efetivamente à defesa da vida das pessoas, eles serão feitos”, disse dom Majella.

1ª FASE:

Primeira quinzena de julho:

  • Conscientização do clero e dos fiéis;

  • Cadastramento e treinamento das equipes de voluntários;

  • Atendimento de confissões, bênçãos e orientação espiritual na igreja ou secretaria paroquial;

Segunda quinzena de julho:

  • Sacramento do Batismo;

  • Sacramento do Matrimônio;

  • Sacramento da Unção dos Enfermos;

  • Exéquias;

2ª FASE:

Agosto:

  • Retorno da celebração da Santa Missa com a presença de fiéis (Catedral Metropolitana e igrejas matrizes);

Os ítens referentes às demais fases serão divulgados em momento oportuno, visto que se trata de um processo gradual, e a consolidação das etapas anteriores oferecerão elementos para orientar os passos seguintes, ou seja, ainda não têm uma data para serem aplicadas.

Dentro das outras fases estão: a retomada das missas nas comunidades, a distribuição da Sagrada Comunhão aos Enfermos a iniciação sacramental dos adultos (3ª fase); reuniões pastorais e dos movimentos e a retomada da catequese (4ª fase); os encontros de pastoral e dos movimentos e as festas dos padroeiros (5ª fase).

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.