0

Idosa de 84 anos se recupera da covid-19 dentro de casa em Pouso Alegre

Magson Gomes
02/04/2020

Dona Dulce foi a primeira pessoa a ser diagnosticada com o coronavírus em Pouso Alegre. Ela ficou internada em casa, aos cuidados da filha, que é médica. A idosa teria sido contaminada durante um passeio no Circuito das Águas.

Dona Dulce Coelho, de 84 anos, já está bem, em fase final de recuperação da covid-19. A idosa foi o primeiro caso confirmado em Pouso Alegre de contaminação pelo novo coronavírus. A aposentada até gravou um vídeo para agradecer familiares e amigos pelas orações que fizerem nesses últimos dias para a recuperação dela.

“Eu quero agradecer a todos amigos, parentes, filhos, netos, noras, genros… são todos dedicados, com tanto carinho. Só posso pedir a Deus para recompensar esse carinho, essa ternura. Deus abençoe a família de cada um que rezou, pelo menos, uma Ave Maria por mim. Foi muito sucesso essa Ave Maria. Sei que Nossa Senhora está muito presente na nossa vida. Muito obrigado por tudo. Deus abençoe a todos”, diz no vídeo abaixo:

A reportagem do Terra do Mandu conservou, por telefone, com a filha de dona Dulce. A médica Carmen Coelho Rezende deixou o marido e os filhos e está trancada no apartamento da mãe desde quando surgiram os primeiros sintomas. Outra filha, que já mora com dona Dulce, também está isolada no apartamento.

A dra Carmen contou que nesta quinta-feira (02) a mãe já voltou a se alimentar normalmente, saindo da sopinha. Desde domingo ela já não apresenta mais quadro de febre.

Apesar de já estar se sentindo bem, dona Dulce via ficar mais alguns dias em isolamento. “A gente conta 21 dias do início dos sintomas. Vamos mantê-la reclusa por 30 dias por um excesso de cuidado”, conta a filha.

Onde teria ocorrido a contaminação e os primeiros sintomas

Segundo a filha, dona Dulce pode ter sido contaminada pelo coronavírus durante um passeio às cidades do Circuito das Águas, no Sul de Minas. Entre os dias 04 e 08 de março ela passou por Caxambu e São Lourenço e ainda visitou o Baependi.

Os primeiros sintomas surgiram nos dias 19 e 20 quando dona Dulce começou a reclamar de cansaço, mas as filhas acharam que era apenas a ansiedade de querer fazer tudo. O sinal de alerta foi ligado já no dia 22 quando ela teve febre de 38 graus. Os exames de tomografia feitos no dia 23 mostraram lesões nos pulmões e o material foi coletado para novos exames mais completos sobre a covid-19.

O isolamento

“Do dia 23 em diante, após a tomografia, mesmo sem o teste positivo de covid-19, nós viemos para o apartamento dela. Eu e minha irmã, que mora com ela, nos internamos aqui, de porta trancada e não saímos até hoje”, conta a médica.

Aos 84 anos, dona Dulce é uma pessoa de vida saudável. Ela faz academia de musculação e hidroginástica e dirige pela cidade. E nunca fumou. Único problema de saúde é a hipertensão. “Mesmo com tudo isso, a resposta imune do idoso não é a mesma. Os sintomas começaram devagarzinho, mas eles se agravaram a ponto de eu achar que ela precisava mesmo em ir para o hospital”, lembra a filha.

Para cuidar da mãe, a médica levou alguns aparelhos hospitalares para o apartamento que auxiliaram para garantir oxigênio à idosa. Dra Carmen recebia suporte à distância de colegas médicos especialistas em diversas áreas. “Mas, a todo momento, estive preparada para correr com ela em situação de ameaça de crise de respiratória aguda”.

Agora, a dona Dulce está bem, 14 dias após os primeiros sintomas. A febre começou desaparecer no último domingo. Já são dois dias sem sinal de febre. “De ontem para cá, voltou a querer se alimentar, voltou a querer sair da cama, voltou querer comer comida, ao invés de sopinha. Está bem animadinha de novo”, comemora a filha.

As filhas de dona Dulce tomaram todos os cuidados para não se contaminarem, usando máscaras e paramentos médicos na hora de atender a mãe. Elas estão bem, sem apresentar nenhum sintoma da doença, mas vão fazer os exames antes de retornar às rotinas de contato com os demais familiares.

A dona Dulce tem sete filhos e 14 netos que estão espalhados pelo Brasil e em outros países. Nesses dias de isolamento e com o diagnóstico da covid-19, ela recebeu centenas de mensagens e vídeos de oração.

“Tem sido muito emocionante a união toda. Tem ainda os amigos e demais parentes pela corrente que fizeram. Temos muita certeza do valor disso tudo na recuperação dela”, finaliza a filha.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.