0

Prefeito de Poço Fundo decreta estado de calamidade após cidade ser alagada

Magson Gomes
11/02/2020

Chove sem parar no município desde a manhã de segunda-feira. Córregos que cortam a cidade transbordaram, invadindo ruas e casas. Bairros rurais também foram afetados. Famílias já tiveram que deixar suas casas. Não há feridos. As aulas foram suspensas.

As entradas na cidade estão bloqueadas pela água. Foto: Toninho Rodrigues

Moradores de Poço Fundo estão ilhados. Bairros urbanos e da zona rural estão debaixo de água. Na tarde desta terça-feira (11), o prefeito Renato Ferreira de Oliveira decretou estado de calamidade no município.

A reportagem do Terra do Mandu conversou com o diretor de comunicação da cidade, Toninho Rodrigues. Segundo ele, a cidade está alagada. O primeiro bairro atingido foi o São Benedito. “A água começou a subir na manhã de hoje e não parou mais. Até as partes mais altas da cidade foram atingidas porque a água desce das cabeceiras e Poço Fundo é cortada por vários córregos”, conta o diretor.

Segundo a Defesa Civil do município, nas últimas 24 horas choveu 72 milímetros na área urbana e 110 milímetros na zona rural.

Equipes das secretarias de Obras e Defesa Civil prestam socorro para as famílias que estão desalojadas. Ainda não há um número fechado de quantas famílias tiveram que deixar suas residências. Não há pessoas feridas.

As equipes de socorro têm dificuldade para chegar em determinados locais da zona rural que estão bloqueadas pela água ou por deslizamento de terra.

A prefeitura já pediu ajuda para Corpo de Bombeiros para fazer o atendimento às famílias.

VEJA MAIS FOTOS DA CIDADE E ZONA RURAL. FOTOS TONINHO RODRIGUES:

Moradores estão ilhados em Poço Fundo.
Zona rural também está alagada.
Prefeito Renato Ferreira assina decreto de calamidade.
Barranco desliza na MG-179

OUTRAS CIDADES DO SUL DE MINAS SOFREM COM AS CHUVAS

A chuva que cai no Sul de Minas desde a manhã de segunda-feira começa a causar estragos em outras cidades da região.

Famílias de Bandeira do Sul e Campestre, cidades próximas a Poços de Caldas, tiveram que deixar suas casas que foram invadidas pela água.

A prefeitura de Campestre também decretou situação de calamidade no município.

Em Pouso Alegre, um córrego transbordou na manhã desta terça-feira, bloqueando, parcialmente o trânsito no único acesso para uma região da cidade com mais de 30 mil moradores. A água no local já baixou.

De acordo com a Defesa Civil, nas últimas 24 horas choveu 70 milímetros em Pouso Alegre. A previsão para as próximas horas é de mais 50 mm de chuva para a cidade.

Segundo o coordenador da Defesa Civil, Ailton Souza Alves, o nível dos dois principais rios que cortam a cidade estão cerca de 2,5 acima do normal, mas ainda não traz preocupação em relação a enchentes na área urbana.

Em Itajubá houve deslizamento de um barranco, queda de árvores e alagamentos de ruas próximas ao rio Sapucaí. Até o momento, nenhuma família precisou ser retirada de casa e não há informações de feridos.

Em Poços de Caldas também teve alagamentos de ruas e parques da cidade. Em um dos bairros da cidade houve deslizamento de terra, deixando uma casa em situação de riscos.

A chuva continua caindo em toda região e as defesas civis dos municípios monitoram rios e encostas.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.