0

Homem é preso por aplicar golpes se passando por falso delegado em Pouso Alegre

Magson Gomes
04/12/2019

É o mesmo suspeito que tinha sido preso em abril desse ano aplicando golpes de estelionato se passando por filho de delegado. Ele havia sido solto e reformulou a falsa identidade para fazer novas vítimas.

Homem é preso suspeito de aplicar golpes se passando por falso delegado. Foto: Polícia Civil MG

A Polícia Civil de Pouso Alegre prendeu nesta terça-feira (03) o suspeito de aplicar vários golpes de estelionato e violação sexual se passando como delegado de polícia. Esse mesmo suspeito já havia sido preso no primeiro semestre desse ano quando se passava por filho de um delegado para fazer suas vítimas.

Dessa vez, Paulo Ricardo Costa de Moraes, de 32 anos, foi preso em Contagem, Região Metropolitana de Belo Horizonte, com apoio da delegacia daquela cidade. Segundo o delegado Regional de Pouso Alegre, Renato Gavião, o suspeito estava foragido após a justiça autorizar a prisão preventiva dele.

De acordo com a polícia, atualmente, Paulo Ricardo vai responder pelos crimes de estelionato, ameaça (baseada na Lei 11340/06) e violação sexual, mediante fraude. Todos os crimes cometidos em Pouso Alegre.

O suspeito tem diversas passagens pelo crime de estelionato, e atualmente estaria utilizando do nome “GUSTAVO PALMIERI” e a fantasia de ser Delegado de Polícia Civil. Com essas falsas credenciais, segundo a polícia, o homem enganava mulheres e conseguia vantagens financeiras e sexuais.

Ainda de acordo com o delegado Renato Gavião, Paulo Ricardo ligava para diversos órgãos públicos de segurança de Minas Gerais e do estado de São Paulo passando trotes e movimentando pessoal desses órgãos para diligências que nunca existiram. “Ele chegou a ligar numa delegacia do interior de São Paulo informando que era delegado de Poços de Caldas e queria apoio em uma ação numa residência. A polícia de lá se mobilizou e não tinha nada”, conta o delegado regional de Pouso Alegre.

O mandado de prisão contra o suspeito foi expedido pelo juiz da 3ª Vara Criminal de Pouso Alegre no dia 20 de novembro. As investigações da polícia civil demonstram que, nesses últimos dias, o homem estava na Região Metropolitana de Belo Horizonte realizando a mesma ação de “estelionato afetivo” com outra vítima, a qual será também apurada pela Polícia Civil.

PRESO EM ABRIL, ELE ADMITIU COMO AGIA

A reportagem do Terra do Mandu falou com o suspeito na época de sua prisão em abril desse ano. Ele estava sendo preso suspeito de aplicar golpes de estelionato em Pouso Alegre e região. Segundo a polícia, Paulinho, como é conhecido, enganava suas vítimas dizendo que era filho de um delegado e outras vezes dizia que também era investigador de polícia. A prisão é preventiva. Entre o fim do ano passado e abril de 2019 já eram oito boletins de ocorrência contra o suspeito.

O delegado regional de Pouso Alegre, Renato Gavião, contou que ao se apresentar como investigador e filho de delegado, Paulo Ricardo se mostrava bastante influente e as pessoas acreditavam na lábia dele. Porém, tudo não passava de mentiras. Paulo Ricardo já esteve preso outras vezes pelos crimes de estelionato e furto.

Nossa reportagem não conseguiu falar com o advogado do suspeito.

Ao ser abordado pela reportagem na época, ele falou como agia. Veja na matéria feita em abril desse ano:

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.