0

‘Não tenho dúvidas de que Pouso Alegre é a locomotiva do Sul de Minas’, diz Rafael Simões

Magson Gomes
19/10/2019

Para o prefeito de Pouso Alegre, Rafael Simões (PSDB), não resta dúvida de que a cidade é a ‘locomotiva’ do Sul de Minas. Segundo ele, Pouso Alegre cresce e traz consigo outras cidades circunvizinhas.

Rafael Simões afirma que o governo do estado precisa olhar com mais carinho para o Sul de Minas, “a grande joia da coroa hoje, em especial para Pouso Alegre, que está se destacando como a cidade que mais cresce”.

Na entrevista a seguir, o prefeito comenta sobre os investimentos que estão sendo feitos na cidade, com novas industrias que chegam e atraem outras empresas fornecedoras. Simões lembra que Pouso Alegre tem um polo industrial multissetorial, com forte presença de empresas farmacêuticas e alimentícias, que sofrem menos impacto de uma crise nacional e mantêm o bom desempenho na economia do município.

Rafael Simões também fala das ações da prefeitura para garantir que a cidade continue se desenvolvendo e não perca a qualidade de vida.

CONFIRA A ENTREVISTA EM VÍDEO:

Terra do Mandu: – Prefeito, por que o senhor considera Pouso Alegre como locomotiva do Sul de Minas?

Rafael Simões, prefeito de Pouso Alegre: Olha, eu não tenho dúvida de que hoje Pouso Alegre é a cidade mais importante do Sul de Minas, é a locomotiva que carrega não só a si própria, como traz junto as cidades circunvizinhas. Porque hoje nós somos o maior polo farmacêutico de Minas Gerais e um dos maiores do Brasil, além disso temos aqui indústrias alimentícias de expressão muito grande, como a Unilever, a General Mills [antiga Yoki] e agora chegando a Aryzta [empresa suíça que anunciou vinda para a cidade, com investimento de R$ 150 milhões]. Então, nós temos aqui um polo farmacêutico e um polo de alimentação muito importantes.

Terra do Mandu: Pouso Alegre tem um polo industrial multissetorial. O senhor considera algum setor mais importante para a cidade?

Rafael Simões: Eu acho que todos se somam para poder trazer qualidade de vida para a população. Porque nós temos setores que não vivem em crise, não dependem muito do mercado, porque com saúde não se brinca. Então, as pessoas precisam tomar remédio. Da mesma forma na área alimentícia, as pessoas têm que comer. Então, são indústrias que não estão muito vulneráveis às crises porque passam o país.

Terra do Mandu: Como o senhor já disse, Pouso Alegre é o polo farmacêutico de Minas Gerais –  em três anos, R$ 1 bilhão e R$ 400 milhões de investimentos estão sendo feitos por aqui. O que falta para Pouso Alegre se tornar um polo farmacêutico nacional, que hoje é a cidade de Anápolis, em Goiás?

Rafael Simões: Nós já estamos trabalhando nisso. Porque na medida em que essas indústrias farmacêuticas estão chegando, elas trazem os prestadores juntos, e a gente tem feito esse trabalho junto a todas as indústrias.

Eu me reuni com a Cimed, que irá fazer um investimento de R$ 190 milhões na antiga fábrica da Locomotiva. O Grupo Cimed já está fazendo contato com seus fornecedores para que eles venham ficar mais próximos. Da mesma forma que a Biolab está chegando com seu complexo industrial e o centro de distribuição; a Cristália [dona da Sanobiol que já está no município] também vai fazer um centro de distribuição. Nós acabamos de assinar com a Supera RX, que vai faturar R$ 50 milhões por mês em Pouso Alegre. Tudo isso vai se somando, e eles vão se ajudando, até porque eles querem o fornecedor próximo para poder reduzir custos de locomoção da mercadoria.

Terra do Mandu: Prefeito, de que forma esse tipo de emprego, principalmente no setor farmacêutico, é bom para a cidade?

Rafael Simões: São empregos de qualidade. Nós teríamos que entender que o processo econômico é sistêmico. Se eu tenho um emprego de qualidade, se eu ganho bem, eu posso gastar no comércio, eu posso gastar na construção civil, ou seja, de fato nós vamos criar uma cidade muito próspera.

Terra do Mandu: A cidade é a que mais gera emprego, 4 mil vagas nesses últimos anos em que o senhor está na administração. Pouso Alegre não para de crescer, mas como crescer e desenvolver com qualidade de vida?

Rafael Simões: Nós estamos desenvolvendo um trabalho de planejamento. Inclusive estamos para aprovar o novo plano diretor. Isso nós temos muito claro aqui, nós queremos que nossa cidade cresça, mas cresça mantendo a qualidade de vida. Por isso, estamos avaliando projetos imobiliários em Pouso Alegre para que a gente não perca de vista esta situação.

E o fato de nós estarmos trabalhando no sentido de trazermos empresas que trazem consigo um valor agregado, nós vamos aí diminuindo a dependência desses trabalhadores do poder público. Porque se o cara ganha bem, ele tem condições de colocar o filho dele numa escola particular, ele tem o plano de saúde que a empresa fornece; com isso, nós teremos uma condição ainda melhor para atender aqueles que não podem fazer uso do plano de saúde ou de uma escola particular.

Terra do Mandu: E tem essa preocupação também prefeito, nesse sentido de criar essa rede para atender essas pessoas que chegam na educação, na saúde…

Rafael Simões: Então, nós agora acabamos de fazer algo inédito. Ao invés de vendermos terrenos, nós fizemos uma permuta. Nós tínhamos um terreno em desuso, nós fizemos um chamamento público, a empresa que ficou com o terreno para fazer o empreendimento imobiliário, vai edificar para nós uma nova escola que vai gerar mais de mil vagas, e nós temos planejamento aqui para gerar mais mil vagas. Então, nós estamos preparados para receber esse crescimento, sem perder qualidade de vida.

Terra do Mandu: A cidade cresce e tem seus desafios, principalmente na questão da mobilidade urbana. A prefeitura anunciou obras como a Via Faisqueira, uma nova avenida no São João. Mas, Pouso Alegre ainda precisa melhorar neste sentido. O que fazer prefeito?

Rafael Simões: É isso que estamos fazendo. O asfaltamento tem duas razões. Primeiro a recomposição do piso, mas também no sentido de criar mobilidade. Então, nós estamos criando trajetos alternativos para poder desafogar aquelas principais vias que, habitualmente, eram utilizadas.

Podemos dar um exemplo aqui no caso da Rua Silviano Brandão. É uma via importante que leva ao bairro São João, bairro Santa Barbara, Jardim América e ao Jardim Noronha. O que nós fizemos? Nós asfaltamos a Bueno Brandão, asfaltamos a Rua da Tijuca para que as pessoas possam ter mobilidade e desafogar essas principais vias.

Terra do Mandu: Quais são os outros desafios que existem para Pouso Alegre?

Rafael Simões: Nós precisamos ainda que o governo do estado enxergue que o Sul de Minas é a grande joia da coroa hoje. Com relação a esses problemas que nós tivemos aí na mineração, e pela proximidade que nós estamos aqui no Estado de São Paulo.

O governo precisa olhar com mais carinho para o Sul de Minas e em especial para Pouso Alegre, que está se destacando como a cidade que mais cresce. Saiu agora um estudo que é a 6ª cidade mais conectada de Minas Gerais. Então, tudo isso evidencia que nós estamos no caminho certo e ainda há muito por se fazer, porque lamentavelmente a nossa cidade ficou abandonada por algum tempo. Mas, não só a prefeitura, como a própria comunidade, os empresários já entenderam qual o modelo que nós queremos e nós vamos trabalhar em conjunto para, cada dia mais, Pouso Alegre crescer sem perder sua qualidade de vida. A cidade não para jamais.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.