0

Servidores do IF Pouso Alegre criam grupo para incentivar a adoção de animais abandonados perto da escola

Por Terra do Mandu
22/03/2019

Mais de 30 cães já encontraram um novo lar. Grupo criou página para divulgar fotos dos cães, fez calendário e realiza rodas de conversa e exposições.

Kiara, Baronesa e Nininho apareceram no campus e estão para adoção. Foto: Grupo Adote um Pet do IF

Sensibilizados com o número de cães que são abandonados nas imediações do campus do Instituto Federal do Sul de Minas, no bairro Parque Real, em Pouso Alegre, servidores e alunos formaram um grupo para unir ações em busca de lares para esses animais. O grupo “Adote Um Pet do IF” surgiu no final do ano passado, mas o trabalho já vinha sendo feito. Os voluntários do IF já conseguiram encontrar uma nova casa para mais de 30 animais.

Porém, não para de surgir mais animais abandonados nas proximidades da escola, principalmente cachorros. E isso não é comum apenas no entorno do IFSULDEMINAS, mas também em outros espaços públicos, perto de escolas e faculdades de Pouso Alegre. Eliane Silva Ribeiro, servidora do IF Pouso Alegre e integrante do grupo, conta que eles têm feito o que é possível para ajudar a resolver esse problema comunitário.

Esse é o Branco antes e depois de ser adotado. Foto: Adote um Pet do IF

“Contribuímos voluntariamente para que os animais que estão no campus sejam castrados, vacinados, vermifugados, alimentados. Encaminhamos alguns animais para os hotéis de cães ou lares provisórios e divulgamos os animais disponíveis para adoção”, explica Eliane.

O grupo “Adote Um Pet do IF” criou uma página no facebook (AdoteumPetdoIF) onde são divulgadas as fotos e as historinhas dos animais que aparecem por lá. As cadelas e cachorros ganham um nome para facilitar a identificação e o carinho. Além das medidas já informadas acima pela integrante do grupo.

Atualmente, há oito cães estão à espera por uma família. Três deles em um hotel para cães, custeados pelo próprio grupo. Essas despesas são custeadas através de doações dos servidores do IF e com venda de rifas e de um calendário que mostra fotos de animais adotados na escola e os que ainda estão para adoção.

Segundo Eliane, o próximo passo será o trabalho com a comunidade próxima ao campus no intuito de reduzir a reprodução descontrolada desses animais, o abandono e maus tratos. “Temos ciência de que isso é responsabilidade do poder público municipal, mas se não há uma ação efetiva do órgão competente, nós devemos fazer o que é possível. Não estamos nos distanciando do nosso papel enquanto instituição de ensino quando implementamos essas ações, pois além de promovermos a reflexão sobre o nosso papel enquanto “humanos”, promovemos a discussão sobre cidadania, cuidado com o meio ambiente, ética, responsabilidade social”.

Essa é a Pipoca, está em lar temporário, à espera de adoção. Foto: Adote um Pet do IF

Rodas de conversas

O grupo ainda promove rodas de conversas com os estudantes do IFSULDEMINAS para conscientizar sobre o trabalho de adoção de animais abandonados e os cuidados que necessários para manter um cachorro ou gato em casa. “A gente acredita que a sensibilização em relação à responsabilidade social de cada pessoa para contribuir com a melhora do meio ambiente urbano e da posse responsável dos animais começa dentro das escolas, com a conscientização dos mais jovens que são grandes propagadores de informação, e eles vão levar para as famílias essas novas ideias mais conscientes”, afirma Carla Viviane, presidente da ONG SOS Bichos, que participou da roda de conversa.

“Você ter um bate-papo e conscientizar, ainda que um grupo mínimo de pessoas, esse grupo vai fazer a diferença levando a mensagem para outras pessoas e trazendo mais pessoas para essa causa que é maravilhosa”, disse João Gabriel da Costa Silva, do 2º ano do curso Técnico em Administração.

Neste mês, o grupo organizou uma exposição de fotos dentro da instituição mostrando os cães que estão no Centro de Bem-Estar animal da prefeitura e aguardam para serem adotados.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.