Categoria: Polícia

Albergue Municipal de Pouso Alegre. Foto: Terra do Mandu

A Polícia Civil instaurou um inquérito para apurar a tentativa de homicídio sofrida por um vigilante, enquanto trabalhava no albergue municipal de Pouso Alegre. O segurança, de 23 anos, teve o tórax perfurado com um cabo de vassoura, no golpe chamado como ‘estocada’. O vigilante atirou na perna do homem, de 33 anos, que havia invadido o albergue com a intenção de agredir um dos acolhidos do local.

O vigilante foi levado para o Hospital das Clínicas Samuel Libânio com o pedaço de madeira grudado no peito, logo abaixo da axila. Mesmo diante da cena, o caso foi registrado pela Polícia Militar como lesão corporal e o agressor assinou um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO).

O caso foi na noite do último domingo (20). A Polícia Militar foi chamada até o albergue após informação de que havia uma briga no local. O homem teria entrado na casa de acolhimento para agredir um dos usuários do espaço. O vigilante, de 23 anos, colocou o homem par fora. Porém, ele retornou com um pedaço de madeira e atingiu o vigilante.

Porém, diante da gravidade do caso, a Polícia Civil abriu o inquérito para investigar o caso. Por enquanto, o homem que atacou o vigilante está em liberdade. O vigilante também já deixou o hospital. Ele não teve órgãos atingidos pelo pedaço de madeira. O vigilante trabalha para a Plantão, empresa de segurança privada que presta serviço para a prefeitura de Pouso Alegre

Nota da Polícia Civil sobre o caso:

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) informa que a Delegacia de Crimes contra a Pessoa, da Delegacia Regional de Pouso Alegre, ao tomar conhecimento dos fatos, instaurou Inquérito Policial (IP) por tentativa de homicídio contra o vigilante, que foi foi vitimado enquanto trabalhava no Albergue Municipal, em Pouso Alegre. Desta forma, será investigado minuciosamente os fatos ocorridos na entrada do espaço público.

O Delegado de Polícia Rodrigo Bartolli ouvirá os envolvidos, reunirá os elementos do fato, e concluirá o inquérito com o devido indiciamento.

 

Categoria: Polícia

Marilda Matias tinha 37 anos e trabalhava em Careaçu. Foto: reprodução Instagram

Um mês após a psicóloga Marilda Matias Ferreira dos Santos, de 37 anos, ser encontrada morta dentro do porta-malas do próprio carro, em Pouso Alegre, o caso segue sem respostas. A Polícia Civil informou que aguarda o resultado de exames toxicológicos, que poderão dizer a causa da morte.

De acordo com a perícia, a vítima morreu por asfixia, mas apenas o exame toxicológico vai apontar se foi ingerida ou injetada alguma substancia antes da psicóloga sofrer asfixia. Porém, segundo a polícia, ainda não há previsão de quando o resultado desses exames ficará pronto.

Até o momento, todas as informações prestadas pelo marido da vítima foram checadas e confirmadas. Ainda conforme a Polícia Civil, nenhuma hipótese será descartada até a conclusão da investigação.

Relembre o caso

Psicóloga foi encontrada morta dentro do porta-malas do próprio carro, em Pouso Alegre. Foto: Terra do Mandu

A psicóloga Marilda Matias Ferreira dos Santos, de 37 anos, foi encontrada morta dentro do porta-malas do próprio carro no dia 22 de agosto, em Pouso Alegre. O veículo estava estacionado na garagem da casa da vítima. Quem encontrou o corpo e chamou a polícia foi o marido da psicóloga, um médico veterinário, de 62 anos.

De acordo com a Polícia Civil, a vítima estava como os pés e as mãos amarradas, com roupa e capacete de ciclismo, e sem sinais aparentes de violência. Na casa onde a psicóloga morava também não havia indícios de arrombamento.

No dia 29 de agosto, o delegado regional, Renato Gavião afirmou que que nenhuma hipótese foi descartada. “A vítima foi localizada sem nenhum sinal de violência, nenhum sinal de arranhão, nenhum sinal de injeção ou qualquer coisa do tipo. Então, hoje a Polícia Civil trabalha com todas as hipóteses. Não podemos falar em crime de homicídio, não podemos falar em suicídio até a conclusão da investigação,” afirma o delegado.

Ainda segundo o delegado, as amarras dos pés e das mãos poderiam ter sido feitas por uma terceira pessoa ou até por ela mesma. “Estava amarrado, mas uma amarração que pode ter sido realizada pela própria vítima, como pode ter sido realizada por um terceiro. A Polícia Civil está investigando tudo para que esse fato seja, devidamente, esclarecido”, disse o delegado.

Depoimento do marido

Em depoimento prestado à polícia, o marido da vítima disse que  estava trabalhando na fazenda onde presta serviço, no município de Careaçu, quando recebeu uma mensagem da esposa, por volta das 11h50 de sábado, dizendo que iria pegar uma bike speed emprestada com um amigo para pedalar até Borda da Mata.

O marido contou que chegou em casa por volta das 16h30 e que a esposa não estava. Naquele momento, ele não achou estranho porque ela teria falado que chegaria mais tarde do passeio. Porém, mais tarde ela não apareceu, e ele começou a procurar em hospitais e delegacia – mas não teve notícias da psicóloga.

O homem ainda relatou que ficou a noite acordado, preocupado, já que os pertences da vítima estavam em casa, como celular, bolsa e outros objetos. Na manhã do dia seguinte, o marido resolveu abrir o carro da esposa, que estava na garagem, e encontrou Marilda sem vida no porta-malas.

De acordo com a Polícia Civil, tudo o que o marido disse no depoimento foi confirmado, e que não há nada que incrimine o médico veterinário no caso. “Por enquanto, não tem nada que o desabone. Tudo que ele relatou para a Polícia Civil condiz com o que foi apurado. Não podemos falar que ele é o autor de qualquer delito”, disse o delegado Renato Gavião no último pronunciamento.

Todos os passos anteriores feitos pela vítimas estão sendo checados, assim como todas as informações e passos do marido. A Polícia Civil informou que aguarda o resultado de exames toxicológicos, que poderão dizer a causa da morte.

Família e amigos não acreditam em suicídio

A reportagem do Terra do Mandu conversou com a mãe da psicóloga Marilda, Luzia Matias, e com colegas que trabalhavam com a vítima na unidade de saúde em Careaçu. Eles não acreditam que ela tenha tirado a própria vida.

A mãe da vítima disse que a filha era cheia de vida e muito querida por todos. “Ela não ia tirar a vida dela não. A minha filha era muito querida em Pouso Alegre”, afirma Luzia Matias.

No entanto, a mãe da vítima também confirmou que a filha não estava feliz no Sul de Minas e queria voltar a morar com ela, em Bauru, no interior de São Paulo. “Ela só pediu pra mim que queria ir embora para Bauru. Ela ainda falou assim pra mim ‘mãe, vende a sua casa e a gente vai morar junto’. Na verdade ela não estava feliz aí [Pouso Alegre]. Ela nunca entrou muito em detalhe comigo, ela era reservada”, disse a mãe da psicóloga.

Categoria: Polícia

A polícia procura por dois homens que assaltaram o posto de combustíveis que fica no bairro São João, em Pouso Alegre. O roubo ocorreu na noite deste domingo (19). O circuito de câmeras de segurança registrou a ação.

O frentista que estava no momento do assalto contou que os bandidos chegaram em uma moto XRE. O garupa desceu armado e anunciou o assalto, levando o dinheiro do caixa e do cofre, de dentro do escritório. O valor levado não foi informado.

As características dos autores foram repassadas para as demais equipes e a Polícia Militar segue em rastreamento. Até o momento não foram localizados.

Categoria: Polícia

Suspeitos furtaram equipamentos eletrônicos da loja. Foto: Reprodução câmera de segurança 

Três homens foram presos após furtarem uma loja na madrugada desta quarta-feira (15), no centro de Pouso Alegre. Os indivíduos arrombaram a porta da Lojas Edmil, na rua Comendador José Garcia, e levaram eletrônicos.

O crime aconteceu por volta das três horas da manhã. De acordo com a Polícia Militar, os autores usaram alicate e força física para entrar no estabelecimento. Eles levaram dois celulares, além de uma caixa de som.

Após o disparo do alarme, a Polícia Militar foi acionada e, durante as buscas, localizou os autores com os objetos furtados na Avenida Perimetral. A perícia técnica esteve no local do furto.

Ainda conforme a PM, os presos já possuem ficha criminal por crimes contra o patrimônio e são maiores de idade. Eles foram presos e encaminhados até a delegacia de Polícia Civil.

Categoria: Polícia

A Polícia Militar prendeu, neste sábado (04), o rapaz, de 19 anos, que acertou uma pedrada em um cabo da PM, durante um tumulto ocorrido na última quinta-feira (02), quando populares impediram que os policiais militares cumprissem uma ordem de prisão contra um homem foragido da justiça.

O homem, de 25 anos, que estava foragido também foi preso neste sábado. De acordo com a PM, os dois homens foram presos na zona rural de Pouso Alegre, na tarde deste sábado. Eles estavam em um sítio.

Na noite de quinta-feira, dois policiais militares faziam uma ronda pelo bairro São Geraldo, quando avistaram um homem em atitude suspeita. Ao abordar o suspeito, os policiais identificaram que havia um mandado de prisão em aberto contra ele por tráfico de drogas.

Ao dar voz de prisão, o homem pediu que os familiares e moradores ao redor impedissem sua prisão. Foi aí que teve início um tumulto, com populares agarrando os policiais.

O Terra do Mandu teve acesso a dois vídeos que mostram o momento em que policial militar é atingido com uma pedrada na cabeça e cai desacordado. Nos vídeos gravados pelos moradores dá para ver o momento em que um rapaz aparece mais atrás do tumulto e lança uma pedra em direção aos policiais.

O cabo que estava na ocorrência é atingido na nuca e desmaia por um instante. Rapidamente as pessoas se afastam, assustadas. Uma mulher ajuda o PM a se levantar e o outro policial, que estava tentando segurar o suspeito e era agarrado por moradores, se aproxima para socorrer o colega.

De acordo com o subcomandante do 20º Batalhão da Polícia Militar. Segundo o major Paulo Roberto Barros, os dois policiais, que fazem parte do Grupo Especializado de Policiamento em Áreas de Risco (GEPAR), e agiam conforme os protocolos da PM.

Os dois homens presos neste sábado já foram encaminhados para o presídio de Pouso Alegre.

Veja o vídeo a ocorrência quando houve o tumulto:

Categoria: Polícia

A Polícia Civil prendeu três pessoas suspeitas de tráfico em condomínio de Pouso Alegre. Foto: Polícia Civil

A Polícia Civil prendeu três suspeitos por tráfico de drogas no bairro Cidade Jardim, em Pouso Alegre, nesta quinta-feira (02). As prisões ocorreram dentro do condomínio onde o trio morava, sendo dois homens e uma mulher.

Após investigações, os policiais civis foram cumprir quatro mandados de busca e apreensão expedidos pela justiça. Ao serem comunicados do mandado, o casal de suspeitos, de 20 anos e 22 anos, tentaram atrasar os policiais para dispensarem as drogas pela janela do apartamento. Segundo a polícia, ainda houve desobediência e desacato por parte da investigada.

Com esse casal foram encontrados e apreendidos uma balança com restos de cocaína, um pote e duas porções com cocaína, embalagens para drogas, vários pinos vazios, uma porção de crack, um tablete de maconha, dois celulares e R$ 1.710,00 em dinheiro.

Em outro apartamento, no mesmo condomínio, os policiais civis apreenderam um tablete de maconha e um celular. E prenderam em flagrante o suspeito de 26 anos.

As investigações iniciaram após denúncias anônimas informando da movimentação de usuários e da frequente atividade de tráfico praticada pelo casal que embalava as drogas na presença de uma criança.

Os três investigados foram encaminhados para o Sistema Prisional onde ficam à disposição da Justiça.

ESSA É UMA DAS NOTÍCIAS DO MANDU NEWS:

Categoria: Polícia

Homem é preso com grande quantidade de droga na BR-459. Foto: PMMG

Um homem de 34 anos foi preso em Itajubá, nesta quinta-feira (02), com 32 tabletes de maconha dentro do carro, um Toyota Corolla. A prisão ocorreu durante uma operação montada pelas polícias Militar e Civil.

A PM recebeu uma denúncia anônima de que um veículo modelo Toyota Corolla havia saído da cidade de São Paulo em direção à Itajubá, com grande quantidade de drogas. Foi feito o cerco e bloqueio no trevo Santa Bárbara, município de Piranguinho, para interceptar o carro alvo da denúncia.

Dentro do veículo os policiais localizaram os 32 tabletes de maconha que pesaram cerca de 30 quilos. De acordo com a PM, o motorista já passagens por envolvimento com o tráfico de drogas. Ele foi preso e conduzido para a delegacia de Polícia Civil.

Categoria: Polícia

A Operação Medusa, deflagrada pela Polícia Civil na terça-feira (31), resultou na prisão de quatro suspeitos por envolvimento com o tráfico de drogas no Sul de Minas. Um deles, de acordo com as investigações, é tido como líder do Primeiro Comando da Capital (PCC) na área em que atua.

Foram cumpridos cinco mandados de busca e apreensão e quatro mandados de prisão temporária em Pouso Alegre e Andradas. Os quatro homens, com idades entre 21 e 29 anos, foram encontrados nos bairros Cajuru, Anhumas e São João, em Pouso Alegre. Inclusive um deles já havia sido preso durante a operação Livre Concorrência, que aconteceu na primeira quinzena de agosto.

De acordo com as investigações da Delegacia de Entorpecentes, na Regional de Pouso Alegre, os envolvidos disputavam áreas de venda de drogas em bairros de Pouso Alegre, incluindo possíveis negociações com um investigado de Andradas.

Durante as buscas foram apreendidos três telefones celulares, embalagens usadas para drogas e porções de cocaína e maconha.

Além dos quatro presos, outros dois suspeitos ainda estão foragidos. A Polícia Civil divulgou a foto de Gabriel Lopes dos Santos, de 25 anos, e Luiz Felipe Mazini, de 21 anos, que estão sendo procurados.

Dois suspeitos ainda estão sendo procurados pela polícia. Foto: Divulgação Polícia Civil

Categoria: Polícia

Marilda Matias trabalhava no município de Careaçu e morava em Pouso Alegre. Ela é de Bauru (SP). Foto: reprodução

Uma psicóloga, de 37 anos, foi encontrada morta, na manhã deste domingo (22), dentro do porta-malas do próprio carro, em Pouso Alegre, no Sul de Minas. Quem encontrou o corpo e chamou a polícia foi o marido da vítima, um médico veterinário, de 62 anos. A Polícia Militar e a perícia da Polícia Civil foram para o local analisar o caso e dar início às investigações. A reportagem do Terra do Mandu também esteve no local e fez uma transmissão ao vivo (VEJA A BAIXO).

O corpo de Marilda Matias Ferreira dos Santos estava em um Corolla, estacionado dentro da garagem da casa da própria vítima. Para a PM, o marido contou que tinha recebido uma mensagem da esposa ontem avisando que ela ira pedalar. Ele disse que estava no local de trabalho, uma fazenda que fica no município de Careaçu. Mais tarde, ao chegar em casa, ele não encontrou a esposa e achou que ela ainda não teria chegado do passeio de bicicleta.

Diante do sumiço da psicóloga, o médico veterinário teria procurado por ela no hospital, delegacia. Na manhã deste domingo, quando resolveu procurar dentro do carro, encontrou a esposa no porta-malas e chamou a polícia.

Vítima estava amarrada

Segundo a PM, a psicóloga estava como os pés e as mãos amarradas. Ela estava com roupa de andar de bicicleta e com capacete. Não havia sinais externos, hematomas, de ter sofrido violência. Na primeira análise do perito no local, a informação  é que ela tenha morrido a mais de 12 horas do momento em que o corpo foi encontrado.

Sem sinais de arrombamento

O imóvel, que fica na Rua Orvietto Butti, no bairro Fátima 2, não havia sinais de arrombamento. De acordo com a tenente da PM no local, dentro da casa também não havia nenhum tipo de que algo foi revirado, nem material ou dinheiro sumido. Imagens de câmeras de segurança da rua estão sendo procuradas.

A Polícia Civil abriu inquérito para investigar o caso e começar a ouvir pessoas que possam ajudar na elucidação da morte da psicóloga. O médico veterinário foi ouvido e liberado e está à disposição da polícia. O celular dele e da esposa ficaram com a polícia para serem analisados.

Categoria: Polícia

A Polícia Militar desencadeou a operação ‘Inverno Quente’, nesta terça-feira (17), em Pouso Alegre, Sul de Minas. O objetivo era cumprir quatro mandados de busca, de apreensão e de prisão contra pessoas envolvidas com o tráfico de drogas no bairro São João.

Durante a operação, foram presas seis pessoas e um menor apreendido. Foram apreendidas mais de 200 porções de drogas como cocaína, maconha e crack, entre papelotes, buchas e tabletes. Celulares, caderno com anotações do tráfico, ferramentas furtadas e drogas em drogas também foram apreendidas.

Em um dos alvos da operação, os militares apreenderam mais de R$ 30 mil que não tinha origem comprovada. O dinheiro estava dividido em notas diversas, desde as miúdas de dois e cinco reais até pacote de nota de R$ 200.

Todos os presos e os materiais apreendidos foram levados para a delegacia da Polícia Civil, após preenchimento do boletim de ocorrência na base da PM.

Operação Inverno Quente. Foto: PMMG