Categoria: Polícia

Foram seis meses de investigações. Estão sendo cumpridos nove mandados de prisão preventiva e 10 mandados de busca e apreensão.

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Estado de Minas Gerais, realiza, nesta sexta-feira (31), uma operação para prender integrantes de uma quadrilha especializada em roubos a bancos, mediante uso de explosivos e armas de grosso calibre.

Estão sendo cumpridos nove mandados de prisão preventiva e 10 mandados de busca e apreensão. Os mandados foram expedidos pelo juíz da 2ª Vara Criminal de São Gonçalo do Sapucaí, no Sul de Minas. As investigações duraram seis meses e foram conduzidas pelo Gaeco regional de Pouso Alegre.

Segundo os promotores e policiais que formam o Gaeco, os investigados moram em Divinópolis, no Centro-Oeste de Minas e estão diretamente envolvidos com os roubos às agências bancárias ocorridos em, pelo menos, quatro municípios do Sul de Minas em 2020.

A quadrilha é suspeita de atacar as agências em São Gonçalo do Sapucaí, no dia 15 de janeiro, Elói Mendes, no dia 03 de abril, Campo Belo, no dia 05 de maio e Pedralva, no dia seguinte, 06 de maio.

Para cumprimento dos mandados, foi solicitado o apoio ao Gaeco-unidade regional de Divinópolis, onde são cumpridos seis mandados de prisão e 10 mandados de busca e os apreensão. Grande número de policiais foi mobilizado para o êxito da operação. Também é cumprido um mandado de prisão em Itaúna e outros dois em Francisco Sá.

Ainda não há detalhes dos desdobramentos da operação, de pessoas presas e material apreendido.

Categoria: Polícia

A apreensão foi no bairro São Geraldo. Foto: PMMG

A Polícia Militar apreendeu um casal de adolescentes com drogas, dinheiro e anotações do tráfico, na noite desta quarta-feira (29), em Pouso Alegre. O casal, de 17 anos, e 15 anos, foi abordado após denúncia anônima.

Segundo a PM, durante operação, a equipe Tático Móvel recebeu denúncia de tráfico de drogas e abordou o menor de 15 anos e a adolescente de 17 anos, que estavam em atitude suspeita no bairro São Geraldo e tentaram fugir, entrando em uma casa.

Os policiais abordaram os menores e com eles foram localizados quase R$ 4 mil em dinheiro, três pinos de cocaína, três buchas de maconha e anotações referente à venda de drogas.

Os menores foram encaminhados a delegacia para o registro da ocorrência.

Categoria: Polícia

Carga e veículo foram encaminhados para a Receita Federal em Poços de Caldas. Foto: PRF

A Polícia Rodoviária Federal apreendeu uma carga de 16 toneladas de fumo na Fernão Dias, em Pouso Alegre, na noite desta terça-feira (28). O motorista da carreta não apresentou documentação da carga, que também não tinha identificação nas embalagens de tipo de material que era transportado.

De acordo com a PRF, o veículo seguia de São Paulo (SP) para Natal (RN). Após conferência da carga, os policiais perceberam se tratar de insumos para fabricação de cigarros, que a carga não possuía em suas embalagens descrições de produto de  fabricação brasileira, sem CNPJ e nome do fabricante, conforme normas técnicas. E ainda, a chave de acesso da nota fiscal que acompanhava a mercadoria era inexistente.

A mercadoria e a carreta foram apreendidos e encaminhados para a Delegacia da Receita Federal de Poços de Caldas/MG, pelo crime de descaminho, art. 334, pela Lei nº 13.008, de 26.6.2014).

Categoria: Polícia

Crime ocorreu em maio. Suspeito foi preso no litoral paulista, para onde fugiu após o crime.

Vereador Benedito Cândido, conhecido como Sabiá, foi morto com um tiro na cabeça. Foto: reprodução Câmara de Munhoz

A Polícia Civil de Minas Gerais prendeu, na noite desta segunda-eira (27), o suspeito do assassinato do vereador de Munhoz, Sul de Minas, Benedito Cândido Brandão Primo, de 62 anos, mais conhecido como ‘Sabiá’. O suspeito do crime, de 66 anos, foi preso em Peruíbe, no litoral sul de São Paulo, onde estava escondido.

O vereador foi morto no dia 18 de maio com um tiro na cabeça dentro do próprio carro no Centro de Munhoz. Segundo a Polícia Civil, o homicídio teria ocorrido por vingança, após uma briga em que suspeito teriam se envolvido em fevereiro.

Os policiais civis da Delegacia de Bueno Brandão identificaram o suspeito e apuraram informações que levaram a confirmar o local para onde fugiu após o crime. Com isso, os agentes iniciaram um trabalho em conjunto com a Polícia Civil de São Paulo, por meio do Departamento de Investigações Criminais (DEIC), para monitorar o alvo do mandado de prisão, que estava sendo auxiliado por um meio para se esconder da polícia.

Com a confirmação das informações, os agentes da Polícia Civil localizaram e prenderam o suspeito no quintal da casa onde estava se escondendo, na cidade de Peruíbe.

O delegado da Polícia Civil de Bueno Brandão, que coordenou as investigações, Samuel Covalero Sanchez Domingues, conta que o supeito fugiu primeiro para São Bernardo do Campo, onde tem conhecido. Após a prisão, o suspeito será encaminhado ao presídio de Santa Rita do Sapucaí.

Veja o vídeo em que o delegado explica a prisão do suspeito:

Categoria: Polícia

Foto: PMMG

A Polícia apreendeu 26 pés de maconha, um tablete e sementes da droga em uma casa de Ouro Fino, Sul de Minas. Um casal, de 36 anos e 28 anos, foi preso no local.

A polícia cumpriu um mandado de busca e apreensão na residência, na quarta-feira (22), após denúncia anônima de que havia o cultivo da maconha e o tráfico de drogas no endereço.

O casal preso e o material apreendido foram encaminhados para a delegacia da Polícia Civil.

Foto: PMMG

Categoria: Polícia

Homem transportava 300 papelotes de cocaína e três tabletes de maconha. Foto: PCMG

A Polícia Civil prendeu um homem, de 29 anos, por tráfico de drogas na Fernão Dias, em Pouso Alegre. A prisão ocorreu depois que os policiais atiraram contra o veículo do suspeito, que tentou furar o cerco montado na rodovia, próximo ao posto da Polícia Rodoviária Federal, no bairro Cruz Alta.

De acordo com a Polícia Civil, as investigações conduzidas pela delegacia regional de Pouso Alegre apontaram que o homem fazia o transporte de drogas de Cambuí a Pouso Alegre.

Nesta terça-feira foi montada uma operação para abordar o suspeito. Policiais monitoraram a saída do homem para fazer a abordagem na Fernão Dias. Quando foi dada ordem de parada, o ssupeito tentou desviar e fugir. Então, os agentes atiraram, furando os quatro pneus do veículo.

Antes de sair do carro, o suspeito destruiu um dos aparelhos celulares que portava e tentou resistir à prisão, sendo imobilizado por um dos agentes que participava da operação.

Dentro do veículo, foram apreendidos 300 papelotes de cocaína, quatro barras inteiras de maconha, quatro barras fracionadas de maconha,  R$ 510 em dinheiro, dois cheques no valor de dois mil reais cada um, um aparelho celular inteiro e um quebrado.

O suspeito foi preso e encaminhado para a Delegacia de Pouso Alegre, e posteriormente ao presídio.      

Categoria: Polícia

Preso em Borda da Mata seria o hacker do grupo. Ao todo, nove pessoas foram presas no Rio de Janeiro e Minas Gerais. Esquema teria gerado um prejuízo de R$ 65 milhões aos cursos originais, licenciados para vender aulas e apostilas de grandes concursos.

Equipamentos aprendidos na casa do suspeito em Borda da Mata. Foto: PCMG

As polícias civis de Minas Gerais e Rio de Janeiro prenderam, nesta terça-feira (21), nove pessoas na Operação Black Hawk, contra pirataria de materiais de cursinhos preparatórios para concursos públicos.

Segundo as investigações, a quadrilha invadia sistemas há pelo menos 20 anos e faturou R$ 15 milhões anunciando apostilas e videoaulas pirateadas, vendidas por valores de até 10% do material oficial, que valiam de R$ 500 a R$ 10 mil.

Os prejuízos das empresas cujo conteúdo foi hackeado chegam a R$ 67 milhões. Os cursos pirateados eram para a área de segurança pública, como Polícia Civil, Polícia Federal e Rodoviária Federal, além de concursos para carreiras fiscais e jurídicas.

Um dos alvos da operação foi preso em Borda da Mata, no Sul de Minas. Um homem, de 71 anos, é apontado como o hacker que invadia páginas de cursos para roubar conteúdo. Uma mulher, de 35 anos, filha do suposto hacker, foi presa em Juiz de Fora, na Zona da Mata mineira.

Segundo informou a Polícia Civil, “o suspeito, de 71 anos, possui conhecimentos avançados em tecnologia da informação e era o responsável por quebrar a criptografia do streaming de vídeo dos cursos oficiais e transferir os arquivos para um servidor próprio”.

Ainda de acordo com as investigações, as aulas eram disponibilizadas para os clientes das plataformas virtuais gerenciadas pelo principal suspeito de liderar o grupo, um homem, de 35 anos, preso no Rio de Janeiro, juntamente com um irmão, policial militar e a mãe, uma cabeleireira.

A operação

A ação, desencadeada nas cidades do Rio de Janeiro, Nova Iguaçu, Niterói, São Gonçalo, Saquarema, Araruama e nas cidades mineiras de Juiz de Fora e Borda da Mata, contou com um efetivo operacional de mais de 100 agentes da Polícia Civil de Minas Gerais, por meio das Delegacias Regionais de Pouso Alegre e de Juiz de Fora, do DGPE (Departamento Geral de Polícia Especializada), da 8ª DPJM (Delegacia de Polícia Judiciária Militar da PMERJ), além do apoio logístico do 4º DPA (Departamento de Policiamento de Área).

Utilizando modernas técnicas investigação, com quebras de sigilos telefônicos, telemático, bancário e fiscal, entre outras, os agentes descobriram que o grupo comercializou milhares de cursos preparatórios pirateados, inclusive para os concursos das Polícias Civis dos estados, Polícia Federal e Rodoviária Federal, além de cursos das carreiras fiscais e jurídicas, causando um prejuízo estimado em 65 milhões de reais aos cursos oficiais.

Policiais que participaram da ação em Borda da Mata apreenderam computadores e vários HD externos onde seriam armazenados os conteúdo pirateados. Foto: PCMG

Durante a investigação, os agentes descobriram que para ocultar a grande movimentação financeira de origem ilícita, o líder utilizava seus parentes como laranjas. Durante o período foi investigada a mãe dele, que possui um salão de beleza e teve movimentação bancária de 1,5 milhões de reais e ganho líquido próximo a quinhentos mil reais em operações de bolsas de valores, de acordo com o Relatório de Inteligência Financeira (RIF) do COAF.

Outro artifício utilizado para ocultar o capital obtido criminosamente era o de manter os bens adquiridos em nome dos vendedores. Com essa mesma finalidade os investigadores identificaram também uma empresa fantasma sediada em um shopping de luxo na capital paulista.

Na ação de hoje, os policiais fazem o levantamento do patrimônio dos envolvidos no esquema criminoso para identificar os bens adquiridos com dinheiro de origem ilícita e embasar posterior sequestro judicial dos recursos.

Categoria: Polícia

No fim de semana os policiais interromperam duas festas raves, com mais de 100 pessoas em cada uma. Seis pessoas foram conduzidas à delegacia.

Festa rave interrompida no fim de semana em Pouso Alegre – Foto: PMMG

Desde o início das restrições de eventos devido à pandemia da Covid-19 a Polícia Militar acabou com 14 festas clandestinas realizadas em Pouso Alegre e cidades que fazem parte do 20º Batalhão da PM. Somente em Pouso Alegre foram sete festas interrompidas pelos policiais.

Nesse fim de semana os PMs foram a duas festas raves que eram realizadas no bairro Brejal, zona rural de Pouso Alegre, e bairro Jardim Jatobá, região do São Cristóvão. Segundo a polícia, havia mais de 100 pessoas em cada uma das festas.

Ao todo, seis pessoas foram conduzidas à delegacia de Polícia Civil como responsáveis pelas festas. Entre os conduzidos, um casal foi detido por tráfico de drogas. A polícia informou que um dos conduzidos é suspeito de realizar diversas festas em Pouso Alegre.

Nesses locais foram encontrados 11 pinos de cocaínas, cinco buchas de maconha e R$ 101 em dinheiro. A PM determinou o encerramento das festas e os presos para Delegacia de Polícia Civil. Foram lavrados dois Termos Circunstanciado de Ocorrência (TCO).

Drogas apreendidas durante festa clandestina em Pouso Alegre. Foto: PMMG

Desde o início da pandemia da Covid-19 a PM faz prisões de organizadores de bailes e festas que estão desrespeitando as normas e medidas de segurança de combate à pandemia.

A PM afirma que a fiscalização será intensificada contra a perturbação do sossego, uso irregular de som automotivo, com multas e condução dos responsáveis.

As denúncias de festas clandestinas podem ser feitas junto ao Procon Municipal pelos telefones 3449-4932 e 3449-4315. Já para as denúncias de perturbação do sossego e festas com grande aglomeração de pessoas o 190 continua à disposição da população.

Igreja também interditada em Pouso Alegre

Fiscais da Vigilância Sanitária interditaram uma igreja evangélica que realizava culto com presença de mais de 40 fiéis.

De acordo com o último decreto municipal que regulamenta as medidas de combate ao novo coronavírus, estão proibidos eventos públicos e particulares com mais de 20 pessoas presentes.

Igreja é interditada por realizar culto com mais de 40 pessoas. Foto: reprodução

Categoria: Polícia

Segundo PM, os autores do crime foram identificados, mas ainda não foram presos.

Um jovem, de 24 anos, foi morto a tiros na noite desta quarta-feira (15), em Pouso Alegre. O crime ocorreu no bairro São Geraldo. De acordo com a Polícia Militar, por volta das 21h30, a vítima foi chamada em sua residência por dois homens. Ao sair para atender, foi alvejado com disparos de arma de fogo.

A vítima foi atingida na cabeça e tórax. O jovem foi socorrido até o pronto socorro do Hospital das Clínicas Samuel Libânio, mas não resistiu e faleceu.

Segundo a PM, os autores do crime foram identificados, mas ainda não foram localizados. A equipe repassou as informações para cidades vizinhas e segue no rastreamento dos autores.

Ainda conforme a polícia, o jovem morto tinha passagens policiais. O corpo do jovem foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) de São Lourenço.

Categoria: Polícia

PEC está em discussão na Assembleia de Minas e poderá aumentar tempo de contribuição e retirar benefícios de servidores na hora da aposentadoria, diz organizadores do ato.

Servidores da Polícia Civil realizaram um protesto em frente à Delegacia Regional de Pouso Alegre, na manhã desta terça-feira (14). O ato foi um manifesto contra a Reforma da Previdência proposta pelo Governo do Estado e que já tramita na Assembleia Legislativa. A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 55/2020 poderá ser votada no mês que vem.

O ato em Pouso Alegre reuniu policiais, investigadores, delegados, peritos criminais, escrivães de delegacias que compõem o 17º Departamento de Polícia Militar. VEJA VÍDEO SOBRE A MOBILIZAÇÃO:

Policiais civis fazem protesto contra reforma da previdência do estado

Posted by Terra do Mandu on Tuesday, July 14, 2020

A proposta de Reforma da Previdência de Minas Gerais prevê, como idade mínima para aposentadoria no Estado, 62 anos para as mulheres e 65 anos para os homens, desde que o servidor em questão atenda outros critérios, como o tempo de contribuição que passa a ser de 30 anos para mulher e 35 anos para homem. Além disso, direitos como férias prêmio e quinquênios também serão revistos.

Outro ponto é a possibilidade de aumento das alíquotas de desconto dos funcionários públicos ao regime de previdência do Estado, que podem chegar a 19%.

Uma das reivindicações dos funcionários públicos é o direito de participar da discussão da proposta que interfere diretamente na vida de todos. Porém, como a proposta entrou para discussão durante o período de pandemia, com reuniões virtuais, não foi disponibilizado nenhum canal que possibilitasse a contribuição popular.

Segundo um dos organizadores do ato, o perito criminal Luiz Cláudio Gonçalves, a retirada de direitos que já fazem parte da estrutura, inclusive quando ingressam no serviço público, pode gerar reflexos negativos na prestação de serviços para a população. “Em defesa da sociedade Mineira, os servidores públicos da Polícia Civil de Minas Gerais se manifestam!. Não podemos silenciar diante do prejuízo social que a extinção de direitos dos servidores pode trazer para o cidadão mineiro”, ressalta o policial civil.

Os organizadores do protesto agendaram reuniões com deputados estaduais da região para discutir o assunto e buscar alterações na PEC 55/2020.