Categoria: Gente do Mandu

Com o fechamento das academias, em razão da onda roxa, o educador físico Tiago Santos resolveu adaptar objetos do dia a dia para que sua avó, de 94 anos, possa se exercitar em casa. Hoje, dona Maria Sebastiana dos Santos faz exercícios que trabalham membros inferiores e superiores e ajudam a evitar atrofia muscular.

“Como eu tenho uma especialização em Treinamento Funcional, eu consegui ajustar certos exercícios para a rotina dela. Alguns de extrema importância, como um simples ato de caminhar ou até mesmo agachar, pegar um objeto. E isso, na terceira idade, faz muita diferença, porque nós temos a tendência – se não formos uma pessoa ativa – de perder mobilidade de articular, força, resistência. Atrofia muscular gera dores”, explica o educador físico.

Tiago Santos já exerce a profissão de educador físico há 12 anos. Ele ressalta a importância dos exercícios para tratar e prevenir muitas doenças, pois melhora a imunidade. Além disso, ter uma vida ativa também traz benefícios como equilíbrio, força, mobilidade, entre outros.

Categoria: Gente do Mandu

Numa casa simples e ainda em construção no bairro São Geraldo, em Pouso Alegre, o garoto José Saulo, de 10 anos, estende um edredon no piso ainda em concreto para iniciar mais uma aula online de ballet. Assim tem sido durante esse período de pandemia, com aulas à distância. Mas, esse cenário está prestes a mudar.

O ‘Menino Bailarino’, como é identificado pela própria mãe, acaba de ser aprovado para a Escola do Teatro Bolshoi, de Joinville, Santa Catarina. O menino deu os primeiros passos no ballet na escola Grand Pas, em Pouso Alegre. No ano passado, foi estudar no Teatro Municipal de São Paulo. Porém, com a pandemia, a maior parte das aulas foi mesmo à distância.

Agora em 2021, o garoto de Pouso Alegre dá um passo importante para realizar o sonho dele, que também é de centenas de milhares de crianças. O teste que aprovou Jose Saulo foi realizado na segunda quinzena de julho, como mostra a lista dos aprovados da própria escola.

Ainda em abril, José Saulo deverá se mudar para Joinville para iniciar os estudos na Escola do Teatro Bolshoi. Aí que vem a necessidade do apoio da comunidade. A mãe do menino, Simone Cristina, tinha planejado fazer doces e vender nas ruas e comércio de Pouso Alegre para conseguir o dinheiro necessário para os gastos com a mudança e os primeiros meses de aluguel na nova cidade, até conseguir um emprego por lá. Mas, em meio a uma pandemia, o plano não teve como ser executado.

A alternativa encontrada é pedir a colaboração das pessoas. Simone organizou uma rifa e uma ‘vakinha’ online para levantar cerca de R$ 10 mil para essas despesas iniciais e não deixar o sonho do filho se perder pelo caminho. Quem puder ajudar, é só clicar neste link da vakinha e colaborar.

Assista à reportagem em vídeo:

Categoria: Gente do Mandu

Torcedores arrecadam cestas básicas para famílias de Pouso Alegre. Foto: divulgação Pouso Zeiro

Um grupo de torcedores do Cruzeiro, da Pouso Zeiro, organizou uma campanha para arrecadar cestas básicas para famílias carentes de Pouso Alegre. A ação deve início na última quinta-feira (18) e foi concluída neste domingo (21). Nos três dias, foram arrecadados 3.660 quilos de alimentos, um total de 122 cestas.

A campanha começou após um dos torcedores visitar a casa de uma senhora no bairro São João, onde a mãe estava tratando os filhos com fubá há 10 dias. “Ele se comoveu com a situação, tocou o coração dele e nos compartilhou essa história e nos comovemos. “Decidimos fazer essa ação social não só para essa senhora, mas para mais famílias que estão sofrendo com os impactos da pandemia da Covid-19”, conta o torcedor Robélio Dias.

Cada membro da torcida contribuiu e chamou outras amigos e torcedores de outros clubes. Algumas pessoas contribuíram com as cestas e outras doando dinheiro. Neste domingo, os torcedores se encontraram para fazer as compras em um atacarejo da cidade. Foi necessário um caminhão para transportar os mantimentos.

A doação foi feita direta para a família visitada pelo torcedor e outras pessoas que os torcedores tinham conhecimento que passavam por necessidade. As demais cestas foram entregues à Paróquia Imaculado Coração de Maria para ser feita a distribuição às famílias que precisam dos alimentos.

Mensagem do Presidente

O presidente do Cruzeiro, Sérgio Santos Rodrigues, gravou uma mensagem em vídeo parabenizando os torcedores do clube em Pouso Alegre pela ação realizada em prol das famílias que sofrem com a pandemia.

Ação teve apoio de outras pessoas amigas dos torcedores do Cruzeiro e torcedores de outros clubes. Foto: Divulgação Pouso Zeiro

Categoria: Gente do Mandu

Estabelecimento coloca salgados, pães de queijos entre outros quitutes em uma mesa perto da entrada. Assim, pessoas que não têm dinheiro para comprar podem pegar. 

Uma padaria na Rua Coronel Saturnino de Alcântrara, no centro de Pouso Alegre, disponibiliza gratuitamente salgados, pães de queijos, biscoitos, entre outros quitutes para pessoas que não têm condições de comprar. A iniciativa começou há cerca de um mês para ajudar quem tem fome.

“Muitos produtos nosso, de qualidade, é claro, não podiam ser servidos no balcão pra venda, mas também para descarte é uma judiação. Pra muitos é uma refeição que faz uma grande diferença. Faz um mês mais ou menos [que a iniciativa começou]. A gente sempre ajudou, mas nunca expôs assim”, afirma Mariana Augusto da Silva, gerente da padaria.

Anteriormente, os produtos que sobravam na padaria eram colocados em sacos de descarte, e as pessoas compravam para levar para a roça e alimentar porcos e galinhas. Agora, os quitutes têm um novo destino, ajudar o próximo. “Fica de um dia pro outro. Se o pessoal não pegar hoje, a gente já descarta também e o pessoal leva pra roça. Nada vai pro lixo”, explica a gerente.

Ela conta que no começo as pessoas ficavam receosas de pegar, mas que agora elas já se acostumaram. “Um avisa o outro, e a gente vê que realmente quem pega tem necessidade. Todos muito educados, ainda bem. Vem criança, senhor, vem todas as idades”, afirma Mariana.

A população aprovou a iniciativa, que além de ajudar pessoas necessitadas, também tem gerado bons frutos para o estabelecimento. “Todo mundo nos elogia. Muita gente vem de bairros longes elogiar a gente, e começou a comprar agora também”, ressalta a gerente.

Categoria: Gente do Mandu

Quem passa de carro pela BR-459, próximo a ponte de acesso ao bairro Belo Horizonte, em Pouso Alegre, as vezes não consegue notar. Mas ali na entrada do bairro algo está diferente.

Um jardim foi plantado e é, minuciosamente cuidado. As dores na coluna não impediram que o aposentado José Geraldo, de 74 anos, fizesse algo pelo lugar onde mora.

“É o tal negócio. Todos somos de Pouso Alegre. Então, é uma honra deixar alma coisa bem arrumadinho. A gente não pode fazer as grandes coisas, mas faz as menores, com amor e carinho”, diz o aposentado.

Além do amor e carinho, tem sacrifício. Mesmo com dores nas costas, ele busca água no rio, a cerca de 200 metros do local para poder irrigar as plantas.

Ele começou a cuidar do espaço porque passava por ali e via que estava queimado, com as cinzas do fogo ou a fumaça invadindo a avenida. ‘Alguém podia tomar conta disso aqui. Mas quem? Acho que agora é comigo”, diz ele arregaçando as mangas da camisa.

Seu Zé Geraldo disse que ficou meio desapontado, com tanto mato e lixo encontrado no local. E trabalhava ‘meio envergonhado, de cabeça baixa. Quando percebeu que estava transformando aquela área, aí começou a sentir orgulho.

Na maior parte do tempo, ele fica assim, agachado para cortar a grama e arrancar o mato dos pés das plantas. As mãos estão até calejadas de tanto esforço.

Essa rotina diária começou há pouco mais de um ano. Todo dia, bem cedinho, ele vem para cuidar do jardim, que recebeu o nome de ‘Alameda da Mulher’. “Vou dormir e já fico pensando em vir para cá; amarra a gente”, confessa ele que até perde o horário de voltar para o almoço e levo bronca da esposa.

Depois de muitos anos trabalhando na área de construção civil, seu Zé Geraldo não se cansa de ficar aqui, fazendo tudo quase sozinho. As abelhas o ajudam a espalhar mais sementes para colorir outros espaços ao redor.

Quem passa por esse caminho, antes abandonado e cheio de mato, se encanta com tanta beleza.

Seu Zé Geraldo espera que outras pessoas possam ajudar a cuidar da natureza (veja no vídeo acima).

Categoria: Gente do Mandu

Inspirada em grandes autores da literatura brasileira, como Manuel Bandeira e Guimarães Rosa, Joana Izabel expressa seus sentimentos em palavras. Ela também escreveu uma poesia sobre a pandemia da Covid-19. VEJA A ENTREVISTA ABAIXO.

A diarista Joana Izabel de Souza acaba de publicar seu primeiro livro de poesias em Pouso Alegre, Sul de Minas. A própria Izabel classifica sua vida como muito sofrida, infância muito difícil em Araçuaí, no Vale do Jequitinhonha. As memórias da infância e da família são fontes para seus poemas, cheios de saudade, melancolia. Essa foi a forma que ela encontrou de expressar em palavras seus sentimentos, que agora fazem parte do livro ‘Izabel entrelinhas’.

Izabel teve pouco estudo. Frequentou a sala de aula até a 4ª. Com uma família grande, teve que trabalhar desde criança para ajudar em casa. Depois, casou-se muito cedo, vindo os filhos, tornando-se impossível dar continuidade aos estudos em sala de aula.

Até hoje, Izabel se dedica a cuidar das casas de outras famílias. Ela trabalha de diarista, faxineira, faz comida em casas de família e outros serviços domésticos para ganhar a vida.

Mesmo sem as oportunidades de seguir nos estudos ou fazer uma faculdades, Izabel não abandonou o sonho de escrever. “Eu sempre tive imaginação para poder escrever. Quando percebi que tinha jeito para escrever, comecei a estudar sozinha, buscar conhecimento nos livros; manter em dia com a língua portuguesa; procurar ler, ler ler muito mesmo”, conta.

A diarista explica que as poesias saem dos momentos tristes, e das lembranças do passado. “Sempre que estou triste, que acontece alguma coisa na minha vida, eu escrevo”.

As inspirações para as poesias são os grandes escritores brasileiros Manuel Bandeiras e Guimarães Rosa, dos quais ela já leu todas as obras.

Izabel tem uma história inspiradora. Mesmo diante de tanta dificuldade, não abandonou seu sonho. Mesmo sem os estudos regulares de uma escola ou uma faculdade, buscou conhecimento sozinha, através de livros e mais livros.

Veja uma das poesias presentes no livro. A publicação foi organizada por uma publicitária, que Izabel ajudou a criar e se tornou uma amiga da diarista. Os interessados em adquirir o livro ‘Izabel entrelinhas’ basta procurar no ‘Clube dos Autores’

“Se visse como vi

A roça do sossego

Meu pai chegando

Bala trazendo

Esperança nascendo

Se visse como vi

Meus irmãos brincando

Minha irmã chegando

 

Da roça mudando

E saudades levando

Se visse como vi

Meu pai partindo

Minha mãe partindo

O tempo passando

 

E a saudade crescendo

Se visse como vi

O passar do tempo

A vida de lamento

Silêncio da ausência

E a perda da inocência.

Se visses, mas não viu”

 

Categoria: Gente do Mandu

De acordo com o Prefeito Rafael Simões, os profissionais da linha de frente de combate à Covid-19 serão os primeiros a serem imunizados.

Técnica de enfermagem é primeira pessoa vacinada contra a Covid-19 em Pouso Alegre – Foto – Terra do Mandu

A técnica de enfermagem Adriana Oliveira foi a primeira pessoa a receber a vacina contra Covid-19, nesta terça-feira (19), em Pouso Alegre. A profissional de saúde recebeu a primeira dose da Coronav, produzida pelo laboratório chinês Sinovac com o Instituto Butantan, no Hospital das Clínicas Samuel Libânio.

“Eu estou muito emocionada, não sei nem o que dizer de ter sido escolhida a primeira, mas é uma honra ser a primeira. Tenho muita esperança que vai dar pra todo mundo tomar, e nós vamos acabar com esse vírus, se Deus quiser”, afirma a técnica de enfermagem.

Adriana trabalha na área há 18 anos, e desde o início da pandemia está na linha de frente de combate à doença. Ela conta que viu muitos pacientes entrarem no hospital conversando, mas que não resistiram. “Infelizmente as pessoas lá fora não sabem o que a gente tá vivendo aqui dentro. Cada vida que a gente perdeu aqui é um sofrimento pra família que está lá fora, mas a gente sofreu junto. Muito sofrimento”, conta a profissional.

A técnica de enfermagem é casada e tem dois filhos. Segundo ela, o medo de passar para pessoas é maior do que o medo de pegar. Por isso a profissional vê a vacina como uma esperança. “Saber que a gente vai ficar imune a isso, que as pessoas não vão precisar mais chegar e morrer aqui dentro, já estou feliz. Muita força para continuar trabalhando”, finaliza Adriana.

Vacinação em Pouso Alegre

A Superintendência Regional de Saúde destinou 2.370 doses para a primeira etapa de vacinação no município. O material será usado para imunização dos profissionais de saúde do Hospital das Clínicas Samuel Libânio, Renascentista e para Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Além disso, o prefeito de Pouso Alegre, Rafael Simões (DEM), afirma que 88 doses serão levadas para asilos, para imunizar as pessoas mais idosas.

A vacinação no município começou hoje, com a imunização da técnica de enfermagem Adriana Oliveira. Mas o prefeito afirmou que todos os profissionais que estão no turno e contra turno também receberão a vacina. “Vamos começar pelo hospital regional, em especial por aqueles trabalhadores que estão atendendo nas UTIs de Covid”, afirma o prefeito.  A segunda dose da vacina será aplicada em um prazo máximo de 28 dias.

VEJA DEPOIMENTO DA TÉCNICA DE ENFERMAGEM, PRIMEIRA PESSOA IMUNIZADA EM POUSO ALEGRE:

Categoria: Gente do Mandu

Mais de 500 pessoas foram até a Câmara Municipal de Pouso Alegre, nesta segunda-feira (11), em busca de uma vaga de emprego. A seleção das vagas teve a participação do Centro de Apoio ao Cidadão, CAC, órgão que funciona na Câmara Municipal.

Eram 60 vagas para operador de máquina e auxiliar de produção, oferecidas pela empresa General Mills, dona, dentre outras marcas, da Yoki, que passou a produzir o suco Ades, marca adquirida pela Coca-Cola junto à Unilever.

“A Yoki estava com algumas demandas, com vagas em aberto, e o CAC foi solicitado para ajudar nesse processo seletivo. São 60 vagas de imediato, podendo abrir mais vagas. As vagas são temporária, e podem se tornar efetivas conforme a demanda da empresa”, explica a auxiliar administrativa do CAC, Micaela Santos.

A fila de candidatos dava volta em todo o quarteirão da Câmara Municipal. Mônica Gonçalves era uma das mais de 500 pessoas à procura de emprego. Ela está desempregada há 10 meses, quando começou a pandemia e teve corte na empresa em que ela trabalhava. “A minha experiência é vasta, eu só estou precisando de oportunidade”, afirma Mônica.

 

A assessoria da General Mills entrou em contato com a redação do Terra do Mandu para informar que não há um número fechado de vagas disponibilizadas pela empresa neste momento. E que as contratações estão sendo feitas para diversos setores da empresa.

Ainda conforme a assessoria da General Mills, as pessoas interessadas em trabalhar na empresa devem entrar no site da companhia e fazer o cadastro de seu currículo, indo na aba carreira.

Categoria: Gente do Mandu

O ano de 2020 vai embora, deixando muitas lições para todos nós. Mais do que qualquer outro tempo, esse ano nos ensinou a importância da empatia. Colocar-se no lugar do outro para proteger quem não conhecemos, e proteger a nós mesmos.

Um ano que começou como todos os outros. Teve carnaval… Teve futebol com torcida…

De repente… A organização mundial de saúde declara que aquela tal Covid-19, até então nome estranho para nós, havia se alastrado para todos os cantos e se tornado uma pandemia.

Comércio fechou as portas. Ruas ficaram praticamente desertas.

Quem ainda precisava continuar rodando pelas estradas, encontrava a solidariedade ao longo das rodovias para se alimentar, já que os restaurantes nos postos também estavam fechados.

Os casos de pessoas contaminadas, famílias que perdem seus entes queridos ainda crescem. A recuperação de cada um dos milhares de pacientes é comemorada.

O comércio foi reaberto. Mas várias medidas de segurança precisam ser seguidas para continuar funcionando.

2021 chega diferente de qualquer outro. A empatia será nossa maior virtude. A ciência nossa maior esperança!

Categoria: Gente do Mandu

O mês de dezembro, por causa do Natal, é recheado de atitudes solidárias que tocam o coração das pessoas. Foi uma dessas ações que deixou a Beatriz Maria Pereira Fernandes emocionada na noite da última quarta-feira (23).

Para entender melhor essa história, precisamos retornar ao dia 27 de novembro. Naquela sexta-feira, Beatriz, de 59 anos, saiu de casa para praticar um de seus hobbies favoritos ao lado das amigas: andar de bicicleta. Mas infelizmente ela sofreu um acidente, quebrando o fêmur ao cair da bike.

Nos últimos dias a rotina de Beatriz mudou por causa do acidente, mas ela não esperava o grande presente que receberia das amigas. É que o grupo, chamado de “pedalando com as amigas”, resolveu fazer uma surpresa cheia de encantos. As mulheres foram até a casa de Beatriz e a surpreenderam com uma cantata de natal. As amigas soltaram as vozes para tornar a recuperação da Beatriz repleta de amor e carinho.

Acompanhe um dos vídeos como foi a cantata de natal para a Beatriz, realizada pelo grupo “pedalando com as amigas”: