Categoria: Cultura

Parque Natural de Pouso Alegre. Foto Magson Gomes/Terra do Mandu

A prefeitura de Pouso Alegre anunciou a reabertura do Parque Municipal nos finais de semana, a partir deste sábado (16). O espaço já estava funcionando durante a semana, mas permanecia fechado ao público aos sábados, domingos e feriados desde o início da pandemia.

No entanto, o funcionamento nesses dias será em horário reduzido. Conforme o novo cronograma, o parque estará aberto ao público de terça a sexta, das 07h às 17h. Sábados e domingos o horário para visitação será das 12h às 17h. Às segundas-feiras o espaço ficará fechado para manutenção.

Ainda segundo a prefeitura, neste retorno haverá a adoção dos protocolos referentes à covid-19. A Secretaria de Planejamento e Meio Ambiente pede para que a população respeite todas as medidas de segurança, cuidando uns dos outros.

O Parque Municipal, também chamado de horto florestal, foi fechado ao público em março do ano passado, no início da pandemia. Em outubro, o espaço foi reaberto para atividades apenas nos dias de semana, com exigência de uso de máscaras para os frequentadores. O local dedicado às práticas de lazer, atividades físicas e contemplação da natureza voltou a ser fechado na onda roxa, entre março e abril desse ano.

Foto: Ascom prefeitura

Categoria: Cultura

O documentário Batutas do Coreto é uma história de amor à música! O filme com o argumento do cantor e compositor Zé Helder, que traz à tona as bandas de coreto do Sul de Minas.

O músico iniciou seus estudos de na banda de Cachoeira de Minas, a Sociedade Musical Eduardo Tenório, fundada em 1924. Assim como ele, muitas crianças iniciaram seus estudos nas bandas de coreto de pequenas cidades de Minas Gerais, tornando-se um local de interação social e difusão musical destes locais.

Toda a ideia do filme iniciou destas histórias e a relação das bandas com o cotidiano e com os eventos oficiais das cidades. Outro importante enfoque foi sobre a sobre a metodologia de ensino dos mestres das bandas, algo marcante e único das bandas de coreto, sendo durante anos um importante local (em muitos casos o único) para o ensino musical de crianças e jovens. Esse era um tema de estudo do acadêmico José Maria Neves, da Academia Brasileira de Música, que dá seu nome a um instituto em sua São João Del Rey natal.

O curta metragem foi dirigido por Sylvio Rocha e Mariana Sayad e foram abordadas quatro bandas de música do Sul de Minas, a de Cachoeira de Minas, Santa Rita do Sapucaí, Pedralva e Cristina, valorizando os mestres e a nova geração de músicos que mantém e inovam a música de coreto. Foram diversas entrevistas com os maestros de bandas e músicos contando sua história com a música e a banda.

O curta será lançamento em outubro de 2021, inicialmente com exibições gratuitas com público reduzido para garantir a segurança contra do COVID-19, depois será postado no YouTube para exibição gratuita. O documentário conta com o patrocínio do Fundo Estadual de Cultura/Governo de Minas Gerais.

Exibição online
15/10 -21h
Zoom (única exibição)
Gratuito
Inscrição: https://forms.gle/1QkZTvEMHtnerHYo6

 

Categoria: Cultura

O prefeito de Pouso Alegre, Rafael Simões, e o presidente da Cimed, João Adibe, assinaram a autorização para que a farmacêutica faça a restauração do monumento do Cristo Redentor da cidade. Em vídeo divulgado neste sábado (09), o prefeito e o presidente da empresa estiveram no Cristo para formalizar a parceria. Em agosto, Adibe já havia realizado um sobrevoo no local, onde informou a intenção de revitalizar o ponto turístico.

“A cidade de Pouso Alegre é muito especial para a Cimed. Ela acolhe parte da estrutura de nossa empresa, nossa fábrica, nossa gráfica, o Instituto Cláudia Marques; e os seus moradores são fundamentais em nossa caminhada. Por isso, tenho muito prazer em me envolver em projetos significativos para quem vive lá. Estou muito emocionado em anunciar que o Monumento do Cristo Redentor de Pouso Alegre, criado pelo artista Genésio Moura, e um dos marcos turísticos da cidade, será revitalizado! Um bem cultural de tamanha importância precisa ser preservado. Não vejo a hora de ver o Cristo recuperado e lindo”, escreveu João Adibe em sua rede social.

Rafael Simões disse que é um orgulho ter a Cimed na cidade, empresa que é parceira e exemplo a ser seguido por demais empresários. “Essa união que dá a força que que a gente continue essa máquina, que é nossa cidade”, afirmou.

O projeto de restauração ainda não foi divulgado. A reportagem apurou que além da correção dos danos sofridos na estátua, a revitalização incluirá obras no entorno do monumento.

Estátua deteriorada

O Cristo Redentor de Pouso Alegre completa 21 anos em dezembro. A estátua apresenta grandes rachaduras em várias partes. Pedaços do concreto se desprenderam e foram ao chão. O dedo indicador de uma das mãos e a cabeça são as partes mais danificadas. Com trincas em diversos pontos, a umidade e o ferrugem vão corroendo o monumento.

O topo da cabeça e um dedo da estátua perderam partes do concreto. Foto: Lincoyán Fernando Reyes Olate

Em 2020, um grupo de amigos realizou um trabalho de pintura da base do Cristo e a limpeza do entorno. Porém, o local segue em situação de abandono, assim como sempre foi desde sua inauguração, em dezembro de 2000.

A proposta original, de criar uma estrutura no local para atrair as pessoas, com lanchonete, banheiros, entre outros atrativos, nunca saiu do papel.

Lugar para contemplar a natureza

Com sete quilômetros de trilha sinuosa, a partir do bairro São João, o caminho até o monumento é usado para lazer e práticas esportivas. A imagem do Cristo é cercada por muito verde, com remanescente de Mata Atlântica que segue até o Parque Municipal, fazendo divisa com a área que pertence ao Exército. A vista lá de cima impressiona.

Categoria: Cultura

O muro Escola Estadual Presidente Arthur da Costa e Silva, mais conhecia como Colégio Polivalente, está ganhando cores. São desenhos que retratam a própria escola e seu entorno. Tem a fanfarra, os alunos saindo com os livros, as árvores e os pássaros que frequentam o quarteirão da escola, localizada no bairro Jardim América, em Pouso Alegre.

De acordo com o diretor, Társis Vilhena, a ideia de colocar desenhos no muro da escola já era antigo. Agora, esse desejo está saindo do papel, através da arte em aerografia. O trabalho é realizado pelo ex-aluno da escola, o artista do grafite e da aerografia, Diego Miranda, que doou sua arte para o local onde frequentou desde as séries iniciais até o ensino médio.

ASSISTA A REPORTAGEM EM VÍDEO ACIMA.

Categoria: Cultura

O prefeito de Pouso Alegre, Rafael Simões (DEM), acompanhado de vereadores da base, assinou, nesta quinta-feira (09), um decreto que autoriza a declaração de utilidade pública uma grande área onde será construído um novo parque municipal na cidade. A área onde deve ser construído o parque fica entre a BR-459 em direção ao bairro Recanto dos Barreiros, fazendo limite com o bairro Nossa Senhora do Pilar, mesma região do Altaville e Parque Astúrias.

De acordo com a assessoria da Câmara Municipal, o parque terá um lago, ampla área de lazer infantil, academia ao ar livre, espaço destinado para passeios com cães, praça de alimentação e centro de eventos.

A reportagem do Terra do Mandu apurou que o parque seguirá o modelo do Parque Municipal construído em Itajubá, onde tem um teatro, sede da prefeitura e um cinema modelo.

O prefeito Rafael Simões destacou que o parque, além de atender a uma demanda de lazer para a população, também será uma obra que vai evitar os alagamentos no bairro Faisqueira, que ocorrem com os temporais de verão. É que o lago do parque irá represar o grande volume de água que desse no córrego do Vale das Andorinhas, que atravessa o Fátima III e inunda o Faisqueira.

Veja mais detalhes no vídeo:

Categoria: Cultura

O monumento do Cristo Redentor de Pouso Alegre será restaurado. Essa é a promessa feita pelo presidente do Grupo Cimed, João Adibe. Ele postou vídeos e fotos de um sobrevoo a estátua, com texto onde se compromete com a restauração da peça. A publicação foi feita no início da tarde desta terça-feira (17).

“O 3º maior Cristo do Brasil fica na nossa querida Pouso Alegre – MG. Tenho um carinho enorme por essa cidade que faz parte da minha história e da Cimed. Em dezembro o Cristo de Pouso Alegre completa 21 anos, e me comprometi em nome da Cimed a restaurar esta obra tão especial para todos nós!”, escreveu o executivo da Cimed.

Estátua deteriorada

O Cristo Redentor de Pouso Alegre apresenta grandes rachaduras em várias partes da estátua. Partes do concreto se desprenderam e foram ao chão. O dedo indicador de uma das mãos e a cabeça são as partes mais danificadas. Com trincas em diversos pontos, a umidade e o ferrugem vão corroendo o monumento.

Em 2020, um grupo de amigos realizou um trabalho de pintura da base do Cristo e a limpeza do entorno. Porém, o local segue em situação de abandono, assim como sempre foi desde sua inauguração, em dezembro de 2000.

O topo da cabeça e um dedo da estátua perderam partes do concreto. Foto: Lincoyán Fernando Reyes Olate

Lugar para contemplar a natureza

Com sete quilômetros de trilha sinuosa, a partir do bairro São João, o caminho até o monumento é usado para lazer e práticas esportivas. A imagem do Cristo é cercada por muito verde, com remanescente de Mata Atlântica que segue até o Parque Municipal, fazendo divisa com a área que pertence ao Exército. A vista lá de cima impressiona.

Categoria: Cultura

Parque Municipal de Pouso Alegre fechado. Foto: Terra do Mandu

O Parque Natural Municipal de Pouso Alegre permanece fechado aos finais de semana. Mesmo com as flexibilizações feitas pela prefeitura, com os decretos de enfrentamento à pandemia da Covid-19, o espaço utilizado como lazer e práticas esportivas continua fechado aos sábados, domingos e feriados. O parque fica aberto ao público de segunda a sexta-feira, das 07h às 17h.

O Parque Municipal, também chamado de horto florestal, foi fechado ao público em março do ano passado, no início da pandemia. Em outubro, o espaço foi reaberto para atividades apenas nos dias de semana, com exigência de uso de máscaras para os frequentadores. O local dedicado às práticas de lazer, atividades físicas e contemplação da natureza voltou a ser fechado na onda roxa, entre março e abril desse ano.

A reportagem do Terra do Mandu apurou que o parque permanece fechado aos finais de semana para evitar aglomerações.

Parque Natural de Pouso Alegre. Foto Magson Gomes/Terra do Mandu

Novo decreto flexibiliza atividade

Nesta sexta-feira (13), a prefeitura divulgou um novo decreto que flexibiliza atividades comerciais, como o aumento da ocupação de bares e restaurantes em 70% de suas capacidades, respeitando o distanciamento entre mesas. O comércio, e demais locais com permissão para funcionar, devem restringir a aglomeração em seu interior respeitando o limite de três metros quadrados por pessoas. Anteriormente, o limite estava em quatro metros quadrados por pessoa.

Já as atividades com potencial aglomeração de pessoas, inclusive festas, eventos, exposições, congressos, feiras, públicos ou privados, em locais fechados ou abertos poderão ser realizados com limite de até 60 pessoas. Se o público for superior a 60 pessoas somente poderão ocorrer com a existência de protocolo sanitário previamente aprovado pela Vigilância Sanitária Municipal. No decreto anterior, o limite era de 20 pessoas por evento sem a necessidade de protocolo da Vigilância Sanitária.

Em relação às igrejas e templos religiosos, agora as pessoas de uma mesma família poderão dividir o mesmo banco. Até então, o distanciamento deveria ser respeitado por todos.

Categoria: Cultura

A Superintendência de Cultura de Pouso Alegre anunciou a abertura das inscrições para os interessados em ter seus projetos custeados pela Lei Municipal de Incentivo à Cultura. As propostas podem ser entregues até o dia 10 de setembro, seguindo as regras estabelecidas no edital (veja link abaixo).

Poderão participar do edital as pessoas jurídicas com atuação comprovada na área da cultura em sede em Pouso Alegre. O edital recebe apenas projetos que não visem a presença de público participante ou plateia, como atividades que possam ser transmitidas pela internet ou gravadas e disponibilizadas por meio de redes sociais e outras plataformas digitais e, ainda, produtos e bens culturais físicos ou digitais, como concessão de bolsas de estudo, impressão e edição de livros e catálogos, preservação do patrimônio cultural, produção de cinema e fotografia, produção e realização de TV e Rádio, e outros que estejam enquadrados nas áreas culturais apontadas no edital.

Neste ano, o edital celebra os 20 anos deste programa cultural e homenageia o músico Rafael Toledo, que faleceu no mês passado, vítima do Covid-19, aos 50 anos. Compositor, professor, cantor, arranjador e produtor musical que deixa como marco sua obra artística e toda sua trajetória cultural na cidade de Pouso Alegre.

A superintendente de Cultura, Regina Franco, desta que, ao longo dessas duas décadas, a Lei de Incentivo vem possibilitando a realização de grandes projetos locais de arte e cultura, propostos, executados e avaliados pelo próprio setor cultural.

Inscrições

As inscrições estarão abertas de 11 de agosto a 10 de setembro. Respeitando os protocolos sanitários e a legislação, o projeto deverá ser entregue em envelope lacrado até às 17 horas da data-limite das inscrições, dia 10 de setembro de 2021, na recepção do Centro Cultural Cleonice Bonillo Fernandes, a Praça Senador José Bento, nº 2, centro.

Os projetos culturais apresentados deverão se enquadrar em uma das 12 áreas culturais apontadas no edital, entre elas, projetos de música e dança, produção teatral e circense, fotografia, cinema e vídeo, publicação de livros, preservação do patrimônio histórico e cultural, cursos de caráter cultural ou artístico, entre outros.

Podem participar pessoas jurídicas de Pouso Alegre, com e sem fins lucrativos, que atuem prioritariamente com arte e cultura, como empreendedores individuais (MEI), associações e empresas do ramo. O proponente deve se atentar para a entrega dos documentos obrigatórios previstos em edital, entre eles o Formulário de Inscrição, dossiê de comprovação de atuação cultural, comprovante de residência, e cópias de CNPJ, CPF e RG.

Edital e atendimento a dúvidas

O edital e seus anexos estão disponíveis na sessão EDITAIS do site da Prefeitura: https://pousoalegre.mg.gov.br/editais.asp

Atendimento a dúvidas sobre o edital pelos canais de atendimento do

Setor de Projetos Culturais da Superintendência de Cultura:

E-mail: culturapmpa@gmail.com

WhatsApp e Telegram: (35) 99235-0900

Fixo: (35) 3449-4123

Categoria: Cultura

Desde que encerrou a carreira de goleiro de futebol, em 2018, Mario Lúcio Duarte Costa, ou apenas Aranha, se dedica, exclusivamente, ao trabalho que já desenvolvia nos tempos de atleta: o combate ao racismo contra os negros. Entre palestras e lives, Aranha acaba de lançar seu primeiro livro sobre assunto.

O tema escolhido para a publicação é uma nova perspectiva da história dos negros no Brasil. O título do livro é ‘Brasil Tumbeiro’ (editora Mostarda), que se contrapõe ao termo usado na época em que os negros eram trazidos em navios da África para a América, principalmente, para o Brasil.

“A gente se acostumou a ouvir navio negreiro. E isso me incomoda porque passa a impressão que aquele navio era para transportar negros. E não. Era para transportar mercadorias. E tumbeiro era mais apropriado. Naquela época, algumas pessoas já usavam esse termo porque, do contingente que vinha da África, metade ou mais da metade acabava morrendo. Era um volume muito grande de pessoas que morriam. Então, se remetia mais a uma tumba”, conta Aranha.

VEJA A ENTREVISTA DE ARANHA AO MANDU NEWS:

Conteúdo do livro

No livro, Aranha faz uma relação entre o passado da escravidão com o Brasil atual, onde se ‘tem morrido muito negros’. Ao mesmo tempo que fala de heróis e heroínas negros da história do país; da importância de existir exemplos em todas as áreas profissionais para estimular as novas gerações.

“A princípio, seria um livro somente escolar. Eu tinha a ideia de trazer para o aluno e para o jovem, a participação negra na história do Brasil para que, nas aulas, quando o assunto foi sobre a escravidão, não fosse uma aula vergonhosa para quem está ali ensinando, e que não fosse uma coisa humilhante, desagradável para quem estava aprendendo”, explica o autor.

“A gente sempre estudou e aprendeu a história do Brasil, principalmente a parte da escravidão, como se os negros só fizessem parte de uma modalidade. Como se eles fossem escravos e, num belo dia, a princesa Isabel acordou e decidiu acabar com tudo e libertar todos os negros. E não foi bem essa a história. Então, eu procurei contar de uma maneira mais justa essa história da escravidão, como ela começa, como ela chegou no Brasil. Como ela se desenvolveu e terminou”, narra.

A importância das referências

Aranha lembra que o Brasil tem grandes personagens negros na sua história, que poderiam servir de exemplos, espelho, e mostrar para os jovens que não é só na arte, só no futebol que existe oportunidade.

“Se no pior período para ser negro, no período da escravidão, tivemos engenheiros, médicos, advogados, escritores… porque hoje, que as coisas estão mais fáceis, a gente não tem esses grandes exemplos, não tem uma grande maioria nessas áreas? Se você não tem exemplos, referências, como é que você vai se estimular em ser alguma coisa que nem passou pela sua mente, que você julgava uma coisa impossível?”, questiona.

O próprio Aranha, que nasceu e cresceu no bairro São João, periferia de Pouso Alegre, no Sul de Minas, não teve referências para seguir uma carreira que não fosse no futebol, como muitos jovens que saem das periferias para buscar vencer no esporte ou na arte.

“Eu nunca pensei em ser um advogado, um médico, um engenheiro. Nunca tive estímulo para estudar. E nem a minha família me cobrava isso. Porque ninguém, próximo da nossa realidade, chegou a ser. Porque nós seríamos? Então, o exemplo vem daí”, destaca.

Racismo no futebol: Episódio de 2014

Aranha encerrou a carreira em 2018 no Avaí, time de Santa Catarina. Passou por Ponte Preta, Joinville, Palmeiras, Santos e Atlético-MG. Quando estava no Santos, ele viveu um dos mais marcantes episódios de racismo no futebol brasileiro.

Em 2014, numa partida contra o Grêmio pela Copa do Brasil, parte da torcida do time gaúcho começou a emitir sons de macaco quando Aranha pegava na bola. As câmeras da televisão flagraram as ofensas racistas e o clube de Porto Alegre foi punido com a exclusão da competição.

Aranha já trabalhava para combater o racismo contra os negros. Após o episódio de 2014, ele passou a ter ainda mais voz sobre o assunto. “A grande mídia, principalmente, começou a me dar atenção e espaço para falar de outras coisas que não fosse sobre futebol, sobre o esporte, sobre a minha carreira. E, quanto mais eu falava, mais gente interessada em ouvir aparecia”.

Prêmio Direitos Humanos

A luta contra o racismo e pela igualdade deu a Aranha o reconhecimento do Governo Federal, em homenagem entregue pela então presidente Dilma Rousseff. O ex-goleiro, campeão da Libertadores, considera o troféu do ministério dos Direitos Humanos como um dos maiores títulos da vida e da carreira.

Mário Aranha reforça que não existe outra maneira de resolver um problema que não seja falando e debatendo sobre ele. O autor de Brasil Tumbeiro ainda cita que não tem como combater, firmemente o racismo no Brasil sem magoar alguém.

“Direta ou indiretamente, quem não é negro acabou levando uma vantagem. Enquanto os negros eram proibidos de estudar, outras pessoas, filhos de fazendeiros, ganhavam bolsas em universidades. Então assim, teve todo esse lance em que muitas coisas refletem hoje. Um tema muito complicado que os próprios negros não gostam de tocar, de debater porque acaba magoando alguém. Mas hoje é necessário. Como disse, não tem como resolver um problema, sem discutir, sem falar sobre ele”, finaliza o ex-goleiro.

Aranha recebe prêmio dos Direitos Humanos do Governo Federal, em 2014. Foto: Arquivo pessoal

Categoria: Cultura

Músico Rafael Toledo morre aos 50 anos de complicações da Covid-19. Foto: reprodução

O músico Rafael Toledo faleceu, nesta sexta-feira (02), em Pouso Alegre de complicações da Covid-19. O músico, que era violonista, compositor e produtor, estava internado no Hospital das Clínicas Samuel Libânio. Amigos e colegas da arte lamentaram a morte de Rafael Toledo.

A superintendente de Cultura de Pouso Alegre, Regina Franco, lamenta a morte do músico. Rafael Toledo foi professor no Conservatório Estadual de Música e na rede municipal. Regina destaca que ele era um entusiasta e um músico muito talentoso. “Era uma pessoa muito querida; um músico muito talentoso e que respeitava as pessoas. Estava sempre procurando contribuir com o cenário da música em Pouso Alegre”, diz a superintendente de Cultura.

O cantor e compositor Elder Costa usou as redes sociais para lamentar a morte de Rafael Toledo. “Partiu meu grande amigo Rafael Toledo. Muito grato por tudo meu irmão! Você foi um ser humano maravilhoso! Um amigo muito especial. Um músico talentosíssimo! Quando encontrávamos pra tocar, não precisávamos de ensaios, saíamos tocando e tudo soava lindo! Eu amava tocar com você meu brother. Tão prestativo! Tão amoroso! Você chegava e resolvia tudo! Era um pai, marido, filho e avô exemplar. Você foi um lindão e eu vou sentir muitas saudades de você seu danado. Que que Deus te receba com todo amor do mundo. Juntos no coração pra sempre meu querido e amado amigo”, escreveu.

Rafael com coral de crianças no Centro Cultural de Pouso Alegre. Foto: Regina Franco

O colega músico Aldo Custo também escreveu: “Vai com Deus meu irmão e amigo de sonhos e sons! Meus sentimentos a seus pais, irmãos ,filhos ,sua esposa e sua netinha querida, que tanto o amou aqui , e continuará amando do outro lado VIDA!!! A dor e a perda são imensuráveis pra mim, pra música e pra todos os que amam vc Rafa!!!!”

Outras tantas pessoas que admiravam o trabalho e a pessoa de Rafael Toledo lamentaram nas redes sociais. Ainda não foram divulgadas informações sobre o velório.