Gente do Mandu

Conheça a história da cozinheira que saltou de 5 para 500 marmitas entregues por dia em dois anos

Dulce deixou emprego de mais de 20 anos para abrir o próprio negócio, a primeira marmitaria delivery de Pouso Alegre. Setor teve crescimento no pós-pandemia no Brasil.

Nayara Andery / 28 abril 2022

Os pratos de Dulce Paulino sempre foram sucesso em casa e entre clientes do local onde trabalhou como cozinheira por mais de 20 anos. Ela saiu da empresa e abriu no início de 2020 a Dulce Delícias, a primeira marmitaria delivery de Pouso Alegre. A abertura de empresas como a dela, que vendem alimentos por delivery cresceu 76,6% no Brasil, entre 2019 e 2021, segundo relatório da DataHub. A marmitaria de Dulce que trabalha com os três filhos, foi ainda mais longe e em dois anos o número de marmitas cresceu 100 vezes.

“Hoje estou com 15 funcionários e eu entrego na faixa de 500 a 600 marmitas por dia, para toda Pouso Alegre. eu coloquei Deus na frente e quando ele está no barco é isso, quando você foca, tem determinação e amor por aquilo, você não teme, porque você vai em frente e vai fazer o melhor. Então não tem como dar errado”, explica a empresária.

Todo esse sonho começou dentro de um pequeno apartamento, quando Dulce fazia apenas cinco marmitas por dia e era o filho Lucas que fazia as entregas. Mas, isso cresceu tanto que hoje ela tem nove funcionários diretos, abriu uma sede em um galpão duplo e tem até oito motoboys que trabalham para ela no almoço e entregam as marmitas por toda a cidade, todos os dias. A filha e sócia-proprietária, Samantha Mello lembra que as primeiras marmitas eram vendidas para pedreiros do bairro, e em dias, o crescimento das vendas surpreendeu. ”É um contando pro outro e as pessoas começaram a ver que o tempero da minha mãe não caia a qualidade. O espaço já não dava mais. A gente teve que abrir mesmo uma empresa, fazer todos os protocolos sanitários.” A sede da empresa desde 2021 é um galpão duplo, para atender a demanda.

O empreendedorismo descoberto há dois anos por Dulce a motiva a crescer cada vez mais. “O importante é que eu possa estar dando emprego para as meninas, ensinando o que eu sei para elas. Isso é muito satisfatório para mim.” A marmitaria recebe muitos elogios e Dulce, gosta até mesmo das críticas. Além de conhecer até o gosto de muitos clientes, ela se preocupa em agradar cada vez mais o paladar. “Tem dia que eu acordo e falo, ai meu Deus, o que meus clientes vão querer hoje? Por isso eu coloco três tipos de carne, três tipos de acompanhamento, pois se um não quer uma coisa, tem outra.”

Comida ‘fresquinha’ e caseira

Para que as mais de 500 marmitas sejam entregues todos os dias, o trabalho começa bem cedo. São pelo menos 30 kg de carne a cada dia, mais de 30 kg de arroz, variedades de feijão e todo tipo de acompanhamento, que Dulce faz questão do tempero caseiro. “É tudo feito no dia, então tem um processo, o tempo certo. A gente começa às 6h a fazer o almoço porque tem o tempo de cozimento, de tempero. E chegam as meninas para montar às 10h, a gente começa a montar as marmitas para os motoboys saírem.” As entregas terminam às 14h.

Samantha conta a logística do processo. “O pedido chega pelo WhatsApp, alguns clientes fazem também pelo sistema de pedido on-line (site). As comandas chegam e a gente já separa por rota, pois entregamos para toda Pouso Alegre. Temos de 8 a 10 motoboys e 9 funcionários na cozinha.”

Sabor que conquistou o público

A empresária Cristina Pereira consome as marmitas da Dulce em casa e no trabalho. Entre os motivos dessa escolha ela aponta a “praticidade, agora eu não vou ter tempo de fazer almoço e tenho duas crianças e passo aqui e levo o almoço para eles. E quando estou na loja também tem que pedir o almoço e é aqui que eu peço. E o tempero é muito bom, tempero caseiro.”

Marmitas são conhecidas como “quentinhas” e as comercializadas por Dulce atraem todo perfil de público. Nos pedidos têm solicitações de pedreiros, mecânicos, jornalistas, trabalhadores da indústria, médicos, empresários, policiais, entre outros. “A gente atende todo nível social e os clientes são muito exigentes. E nossos clientes são fixos todos os dias. A gente já sabe até o que eles gostam ou não gostam e faz tudo o que eles querem, pois aqui quem manda é o cliente. Tem vezes que aqui na porta chega até viatura de bombeiro, de polícia, todo mundo já vem buscar, se às vezes demora um pouquinho.”

Dulce conta o segredo dessa receita de sucesso. “O tempero da Dulce tem segredo, é o amor. Os clientes falam é delícia mesmo, o nome está certinho, é tudo delícia. É delícia porque tem amor.”

Crescimento que continua

Ela lembra que quando elas abriram a primeira marmitaria delivery do município, entregas eram feitas por restaurantes, mas que atendiam em sistema misto com balcões e mesas. Para ela, a inovação e o tempero levaram a empresa a se tornar “um sucesso. E com a pandemia, isso só ajudou a gente a crescer. O pessoal hoje em dia está habituado a comer marmita. E o caso nosso é só comida embalada. Hoje as pessoas deixam de ir ao restaurante, para comer marmita. A quentinha hoje está em alta, sai mais barata e é uma comida fresquinha, uma delícia”.

O planejamento da empresa é ampliar o atendimento em 2023. “A prospecção nossa é de trabalhar com porções no jantar e aos domingos, com porções. Vai dar certo ainda da gente começar a fazer, porque nosso horário é muito pequeno. Tem clientela, a gente só não ajustou ainda por conta de mão de obra, porque exige muito e folga também. Estamos procurando crescer já em 2023″, detalha Samantha. Para quem se interessou, o contato via WhatsApp é (35) 99754-8469.

Mais Lidas