0

Romeu Zema anuncia repasse adicional de R$ 10 milhões ao Samuel Libânio

Anúncio foi feito nesta sexta-feira, em Pouso Alegre, durante coletiva à imprensa. Governador também falou sobre investimentos em educação e no setor da agricultura.

Gabriella Starneck
15/10/2021

Governador Romeu Zema cumpre agenda em Pouso Alegre nesta sexta-feira (15). Foto: Terra do Mandu

O governador Romeu Zema (NOVO) cumpre agenda, nesta sexta-feira (15), em Pouso Alegre. Durante a visita, ele anunciou um aumento no repasse anual para o Hospital das Clínicas Samuel Libânio (HCSL), R$ 10 milhões a mais.

O chefe do Poder Executivo disse que a verba extra é um reconhecimento concedido aos hospitais que tem melhor eficiência, a fim de valorizar o trabalho que tem sido realizado por essas instituições. Atualmente, o HCSL recebe R$ 4,68 milhões por ano, em parcelas mensais, e passará para R$ 15 milhões anualmente.

A medida faz parte da nova Política de Atenção Hospitalar do Estado de Minas Gerais, Valora Minas, que objetiva reconhecer as instituições de saúde que tem mais eficiência. O intuito do repasse é fortalecer o sistema de saúde e melhorar a qualidade do atendimento aos moradores do município e região.

“Queremos que esses hospitais que resolvem muito recebam mais recursos. Eles vão poder ampliar leitos, comprar mais equipamentos, e esse recurso do estado vai frutificar muito mais do que se for para um hospital que não tem um índice de resolução tão elevado assim. Assim, todos os hospitais bons, de alta resolução, como o Samuel Libânio, estão tendo uma melhoria no repasse”, explica Romeu Zema.

Durante coletiva à imprensa, o governador também foi questionado sobre a possibilidade da liberação de uma verba extra para a construção do Hospital Oncológico, um anexo ao Samuel Libânio que será destinado ao tratamento de pacientes com câncer. Romeu Zema passou a questão para o prefeito de Pouso Alegre, Rafael Simões (DEM), que explicou o projeto e pediu auxílio do Governo do Minas.

“Quero sugerir que o senhor avalie a possibilidade de fazer um aporte semelhante para que nós possamos construir esse hospital em tempo recorde. Porque as pessoas sofrem muito no Sul de Minas com a questão oncológica, não só do adulto mas pediátrico. A proposta é que o hospital ficará de pé até abril, só que depois nós temos que continuar a obra para colocarmos em funcionamento”, afirma Rafael Simões.

Com a ampliação, o hospital terá capacidade de mais de 100 leitos para atender pacientes de 53 municípios da região. O governador Romeu Zema se comprometeu a avaliar a proposta e dar um retorno ao prefeito de Pouso Alegre.

Apoio aos produtores do Sul de Minas

O governador também vai se reunir com representantes da agricultura em Pouso Alegre. Ele disse que o governo estuda, junto com a Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), desenvolver mudas de morango que tenham uma melhor adaptação ao clima do Sul de Minas, uma das regiões que mais produzem o fruto. São cerca de 8 mil pequenos produtores na região, sendo que a grande maioria é produção familiar.

“A importação de mudas ficou difícil e, muitas vezes, devido ao atraso e logística muito complicada, essas mudas chegam prejudicadas, sem a devida qualidade. E nós queremos, através  da Epamig, que nós venhamos a ter mudas especificas para o nosso clima. Então a Epamig, juntamente com os outros estados, formou um consórcio que vai estar conduzindo estudos científicos para que possamos melhorar a qualidade dessa muda e também passar a produzi-la aqui”, afirma o governador de Minas Gerais.

Vale lembrar que as os produtores de morango foram afetados com as geadas que atingiram as cidades da região no inverno desse ano.

Investimento em educação

Durante visita, o governador também falou sobre a área da educação. Segundo Romeu Zema, quase toda as escolas estaduais estão passando por reforma. Em Pouso Alegre, três escolas receberam mais de R$ 1 milhão somente para reforma física do prédio. Na Regional de Educação são 35 obras, mais de R$ 7 milhões investidos.

O chefe do executivo ainda disse que o mobiliário das unidades escolares será trocado. “Nós temos um mobiliário muito antigo, desconfortável, que danifica a roupa dos alunos”, afirma o governo.

Sobre a volta às aulas, Remeu Zema informou que o governo estuda o retorno das atividades presenciais para todos os alunos de forma obrigatória. “Agora está previsto, com a imunidade de rebanho que deve acontecer em novembro, esse retorno às aulas presenciais. Isso significa que o sistema híbrido deixaria de existir, e que nós voltaríamos ao sistema convencional presencial. Mas isso a Secretaria de Saúde e de Educação ainda vão definir no final de outubro início de novembro”, explica o chefe do executivo.

Auxílio emergencial mineiro

Romeu Zema também falou sobre o auxílio emergencial mineiro de R$ 600. Em Pouso Alegre, atualmente 4 mil famílias recebem o benefício que visa amenizar o impacto da pandemia na vida da população.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.