0

Polícia Civil fala sobre caso da menina que teria sido jogada no rio pelo pai

Terra do Mandu
01/03/2021

Segundo o delegado de Silvianópolis, será necessário aguardar o laudo para concluir se a morte da criança foi por afogamento ou se teve outra causa para, assim, poder concluir o inquérito. 

Após cinco dias de busca, o corpo de Lara Sophia, de 1 ano e 9 meses, foi encontrado por pescadores a cerca de 50 km de onde supostamente foi jogada pelo pai. Segundo o delegado da Polícia Civil de Silvianópolis, Luiz Felipe Brizzi, “tudo leve a crer que realmente ocorreu um homicídio por parte dele [pai da criança] e posterior suicídio”, diz o delegado que ainda espera o laudo da perícia para saber se a criança morreu por afogamento ou antes de ser jogada na água.

O corpo da menina foi achado boiando, na manhã de domingo (28), no rio Sapucaí, em Turvolândia. A perícia da Polícia Civil foi ao local para retirar a criança de dentro da água. “Foi requisitado a perícia médico legal, foi encaminhado ao nosso IML para que atestasse o óbito, fazendo o exame necroscópico”, conta o delegado.

Brizzi afirma que agora é necessário aguardar o laudo para concluir se a morte da criança foi por afogamento ou se teve outra causa para, assim, poder concluir o inquérito.

Sapatinho da criança foi encontrado próximo ao rio. Foto: Corpo de Bombeiros

Investigação do desaparecimento

Em conversa com a nossa reportagem, o tio de Lara Sophia contou que Wallace Prado pegou a filha na noite de terça-feira (23) na residência da mãe, em Turvolândia, dizendo que iria levar a filha para a casa da avó, em Silvianópolis. Aquela seria a primeira noite que Wallace estava saindo de casa depois da companheira pedir a separação.

No outro dia, a mãe ligou para saber da filha, mas não teve nenhuma notícia da menina, nem do paradeiro de Wallace. “Tudo começou na quarta-feira passada quando a mãe dela [Lara Sophia] foi até a nossa delegacia solicitar algumas medidas protetivas. As medidas, no caso, era em razão que ela tinha sido agredida e ameaçada pelo marido, e também nos informar do sumiço da menina”, explica o delegado.

Ele afirma que no dia explicou para a mãe que não era caso de sequestro, porque Wallace era pai. No entanto, durante as investigações, a Polícia Civil recebeu informações que o homem teria se matado. A perícia foi ao local, detectou o óbito e recolheu vestígios da cena.

No local foi encontrado um par do sapatinha da criança próximo ao veículo e outro próximo ao rio. “Então isso, infelizmente, nos gerou uma conclusão triste, uma situação de crime bárbaro. Mesmo assim acionamos os Bombeiros para que eles tomassem as medidas, tentassem localizar a menina, porque até então tudo indicava que ela havia sido afogada”, afirma Brizzi.

O degelado ainda disse que determinou investigações para localizar os amigos do suposto autor, para ver se ele tinha deixado a menina com alguma pessoa ou se alguém tinha visto a criança, mas os policiais não obtiveram nenhuma informação. Lara Sophia foi sepultada na tarde de domingo (28) no Cemitério Municipal de Turvolândia.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.