0

Lojas do Centro de Pouso Alegre abrem no feriado para vendas do Dia dos Namorados

Terra do Mandu
10/06/2020

De acordo com pesquisa da Fecomércio, redução nas vendas para a data deste ano será de 30%, chegando a 70% nos setores de vestuário, calçados e acessórios.

Segundo a Acipa, lojas do ‘setor de moda’ da Comendador e da Adolfo Olinto estarão abertas. Foto: Terra do Mandu

Para tentar minimizar a queda drástica nas vendas para o Dia dos Namorados de 2020, lojistas das ruas Adolfo Olinto e Comendador José Garcia, no Centro de Pouso Alegre, vão abrir nesta quinta-feira (11), feriado de Corpus Christi.

De acordo com a Associação do Comércio e Indústria de Pouso Alegre (Acipa), as lojas que estarão abertas são de vestuário, calçados e acessórios, que participam do Núcleo Setorial da Moda. Conforme os decretos municipais, os estabelecimento devem seguir todas as orientações de saúde em relação à pandemia da Covid-19.

Redução nas vendas

Os impactos provocados pela pandemia do novo coronavírus provocaram inúmeras perdas socioeconômicas em todo o mundo. Com a paralisação das atividades, vários setores da economia amargam prejuízos que ainda estão sendo mensurados. Não por acaso, o comércio nas principais datas comemorativas do primeiro semestre sofreu grandes perdas de faturamento e no Dia dos Namorados não será diferente.

Segundo projeção da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), neste ano, em Minas Gerais, as vendas para a data, considerada a sétima melhor do ano para os empresários do comércio, devem retrair 30,7% em relação ao ano de 2019.

Essa queda nas vendas salta para 70% se considerar apenas os setores de lojas de vestuário, calçados e acessórios.

O economista-chefe da Fecomércio MG, Guilherme Almeida, observa que o Dia dos Namorados marca o início da flexibilização do comércio, embora ainda existam atividades não autorizadas a funcionar em algumas cidades, como o setor de vestuário.

“A reabertura do comércio é importante para garantir a retomada da economia, mas é preciso ter atenção aos segmentos que ainda permanecem fechados, como o de vestuário, principalmente por essa atividade possuir alguns dos produtos mais procurados pelos consumidores que desejam presentear nesta data”, explica.

O especialista destaca ainda que o comércio varejista é um dos mais prejudicados pela pandemia, uma vez que a confiança dos consumidores está baixa em função da paralisação de atividades, que reduziram a renda salarial e aumentaram o desemprego.

“Para atrair esse consumidor, os empresários devem apostar em soluções que facilitem o acesso a produtos e serviços, como as vendas on-line, promoções especiais e entrega por delivery”, pontua Almeida.

Além disso, os empresários do setor precisam reforçar os cuidados com o nível dos estoques para evitar o acúmulo de produtos nos estabelecimentos. “Diante deste cenário, é normal que o consumidor opte por itens com menor valor agregado. Por isso, é importante ter um planejamento de estoques e adequar a oferta à demanda desse período, impedindo um maior comprometimento do capital de giro da empresa”, finaliza o economista-chefe.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.