0

Em vídeo, diretor do HCSL pede que as pessoas retirem o medo e a insegurança sobre a Covid-19

Magson Gomes
30/05/2020

Porém, o médico ressalta que as medidas de proteção individual não sejam esquecidas. De acordo com  Alexandre Hueb, a situação está sob controle; que o número de pacientes recuperados é a maioria. O diretor cita que tem visto mortes de pessoas por outras causas, mas só se fala da Covid-19 e isso gera “muita angústia”. Veja vídeo no final da matéria.

O médico e diretor técnico do Hospital das Clínicas Samuel Libânio, Alexandre Hueb, pede que as pessoas retirem o medo e a insegurança em relação à Covid-19. O pedido foi feito em um pronunciamento gravado em vídeo onde o médico fala do enfrentamento à pandemia da Covid-19.

De acordo com Alexandre Hueb, a situação está sob controle e o hospital está preparado para atender os casos de maior gravidade que surgirem.

“Eu os convido a retirar esse medo. Essa insegurança que paira sobre nós. Eu não estou pedindo que as medidas de proteção individual sejam esquecidas, pelo contrário, são necessárias. O nosso estilo de vida mudou. Uma equipe enorme de boas pessoas está atenta a qualquer alteração nesse cenário de estabilidade e medidas necessárias serão tomadas”, afirma o diretor do HCSL.

O médico diz no vídeo que a Covid-19 é grave, mas para segmentos específicos da população. Segundo ele, a maioria das pessoas, se contaminadas, evolui de forma assintomática. Recupera-se naturalmente e fica imune contra a doença.

“A Covid-19 é uma doença grave. Mas é verdade que é de baixa virulência e de baixa mortalidade”, diz o diretor do hospital.

No pronunciamento, o diretor fala que os pacientes recuperados do novo coronavírus são a maioria e esses números não são lembrados pela mídia. “Isso nos traz uma angústia”.

O sistema de saúde de Pouso Alegre é referência para o atendimento de pacientes de 32 cidades do Sul de Minas. De acordo com informação da secretaria municipal de Saúde, responsável pela gestão das vagas, nesta semana havia quatro pacientes com Covid-19 internados em Unidades de Terapia Intensiva (UTI). Um desses pacientes era o sr Alfredo de Lima, de 65 anos. Ele deixou a UTI na última quinta-feira (28).

“Nós não podemos deixar que esse medo nos coloque no fundo de um poço. Nós estamos preparados. E a situação está sob controle. O confinamento foi muito importante. As medidas de proteção como uso de máscaras, a lavagem de mãos e o distanciamento social são muito importantes. Mas avalie esses dados que apresento a vocês”, diz o diretor do HCSL em outro trecho do vídeo.

Sr Alfredo de Lima, de 65 anos, deixou a UTI depois de duas semanas. Foto: Ascom HCSL

Leia a íntegra do pronunciamento do diretor do Hospital das Clínicas Samuel Libânio, em Pouso Alegre, Alexandre Hueb:

“Tomei a liberdade de me manifestar em relação a pandemia do novo coronavírus. Falo como médico, cidadão e amigo. Gostaria de compartilhar o que temos vivido nesses momentos aqui no hospital, na nossa cidade, na nossa região e no nosso planeta.

A Covid-19 é uma doença grave. Mas é verdade que é de baixa virulência e de baixa mortalidade. O fato é que alguns segmentos da população, como as pessoas mais idosas, pessoas com doenças crônicas, se contaminados pela Covid-19, têm uma resposta orgânica muito exacerbada, inflamatória que desencadeia um possível comprometimento pulmonar. E isso não é bom. Isso é indesejável.

Felizmente, a maior parte de nós, se contaminada, evolui de forma assintomática. Recupera-se naturalmente e fica imune contra a Covid-19.

As medidas tomadas ao redor do mundo, e orientadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS) são corretas. Mas não são a cura para a Covid-19. Esse vírus estará entre nós por longo tempo.

Essas medidas foram adotadas para evitar uma explosão de casos e achatar a tal da curva. O fato é que esses pacientes que se recuperam, que são a grande maioria, não são lembrados pela mídia. Eles não são reportados como casos de sucesso. Isso nos traz uma angústia.

Desde o início da pandemia, o mundo aprendeu mais sobre a Covid. Mas nesses 60 dias de confinamento aqui no Hospital Samuel Libânio, eu vi dezenas de mortes por infarto, eu vi dezenas de mortes por derrame cerebral, eu vi dezenas de mortes por acidentes automobilísticos, crianças, jovens se intoxicando e tentando o extermínio e suicidando. Mas isso não é dito. A gente só fala da Covid-19.

Nós não podemos deixar que esse medo nos coloque no fundo de um poço. Nós estamos preparados. E a situação está sob controle. O confinamento foi muito importante. As medidas de proteção como uso de máscaras, a lavagem de mãos e o distanciamento social são muito importantes. Mas avalie esses dados que apresento a vocês.

Eu os convido a retirar esse medo. Essa insegurança que paira sobre nós. Eu não estou pedindo que as medidas de proteção individual sejam esquecidas, pelo contrário, são necessárias. O nosso estilo de vida mudou. Uma equipe enorme de boas pessoas está atenta a qualquer alteração nesse cenário de estabilidade e medidas necessárias serão tomadas.

Mas, baseado nos dados que apresento a vocês. No monitoramento que fazemos há mais de 60 dias do número de casos, o suporte médico que oferecemos à população, eu convido vocês a desagravarem essa nuvem de pensamentos negativos e de angústia que estamos carregando.

Que levantemos a bandeira branca, e com fé, e responsabilidade, possamos resgatar as nossas vidas a partir de hoje e recuperar a nossa liberdade”.

VEJA O VÍDEO DO PRONUNCIAMENTO:

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.