0

Hotéis demitem funcionários e fecham as portas em Pouso Alegre

Magson Gomes
26/05/2020

Segundo sindicato do setor, pelo menos, cinco hotéis de Pouso Alegre estão fechando e aguardam o fim da pandemia para reabrirem. Quem permanece aberto, chega a hospedar três pessoas por dia. Setor também diz que custos será maior com novas medidas de higiene. VEJA VÍDEO ABAIXO.

O setor de turismo é um dos mais afetados pela crise do novo coronavírus. Em Pouso Alegre, hotéis demitiram funcionários e fecharam as portas.

Antes da pandemia, a taxa de ocupação nos hotéis da cidade girava em torno dos 70%, graças ao turismo de negócios. Hoje, para quem continua funcionando, a taxa de ocupação é de 10% e já esteve pior, como explica o presidente do sindicato dos hotéis, bares e restaurantes de Pouso Alegre, Marco Antônio Dias

“No primeiro mês da pandemia ficamos com três a cinco pessoas por dia no hotel. Hoje já pulamos para cerca de 10% de ocupação, mas a dificuldade está muito grande. Tanto é que temos cerca de 20 hotéis em Pouso Alegre e cinco estão fechados devido a pandemia”, afirma o presidente do sindicato do setor.

Um dos hotéis que fechou as portas é o Central Parque, que fica próximo à Rodoviária de Pouso Alegre. Por telefone, a proprietária, Flávia Junqueira, explicou que teve que demitir 12 funcionários, pois não compensava manter o hotel aberto, nem com os planos de ajuda do governo federal.

“Eu não poderia ficar com os funcionários mais um tempo e não ter dinheiro para acertar com eles lá na frente, então, achei melhor adotar essa medida agora”, conta a dona do hotel.

É a primeira vez em 22 anos que o hotel fica fechado. A expectativa da proprietária era reabrir em agosto. Mas ela acredita que esse retorno terá que ser adiado.

“Eu acho que essa crise vai se prolongar. Tenho lido e assistido lives de hotelaria, do Sebrae… infelizmente, as perspectivas não são boas. Vai demorar voltar o novo normal. Vai ser muito lento isso”, constata a empresária.

Marco Antônio Dias não fechou o hotel, mas demitiu funcionários e adotou outras medidas administrativas.

Os empresários do setor sabem que os custos da operação de hotéis também vão aumentar com os novos procedimentos de segurança e higiene mesmo com o fim da pandemia.

“Vamos ter que nos readequar ao sistema, como foi feito com o sistema de vigilância sanitária. E essa readequação vai acontecer no decorrer do tempo. Bares, restaurantes e hotéis vão voltar ao normal, mas com critérios diferentes que a gente estava usando. Reestruturando limpeza, qualidade de trabalho, prevenção em relação a pandemia”, explica Marco Antônio Dias.

“Só tem uma coisa que pode ajudar os hotéis: é uma reforma tributária. E mesmo trabalhista. O investimento não está compensado, de forma alguma, o trabalho de hotelaria no momento”, afirma Flávia Junqueira.

Reportagem em vídeo:

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.