0

Norte-americano preso pela Interpol teria cometido suicídio em presídio de Pouso Alegre

Magson Gomes
21/02/2020

  • A informação foi confirmada pela Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública de Minas Gerais, por meio do Departamento Penitenciário (Depen MG).
  • O norte-americano foi encontrado com uma corda feita de tecido amarrada ao pescoço nas grades da cela.
  • Segundo a assessoria do Depen, ele não dividia cela com nenhum outro preso. três cartas destinadas aos familiares foram encontradas na cela.
  • O homem estava na lista dos mais procurados no mundo. Ele é suspeito de matar a esposa nos EUA e ocultar o corpo. Dois filhos, de 17 anos e 15 anos, nascidos nos EUA, que estavam em Pouso Alegre, embarcaram ontem para os Estados Unidos, onde ficarão com a avó materna.

O norte-americano procurado pela Interpol, e preso em Pouso Alegre, no Sul de Minas, foi encontrado morto numa cela do presídio da cidade, na manhã desta sexta-feira (21), pode ter cometido suicídio. Ele estava sozinho na cela e foi encontrado com corda de tecido amarrada nas grades. Cartas também foram deixadas para familiares.

A morte do norte-americano foi confirmada pela Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública de Minas Gerais, por meio do Departamento Penitenciário (Depen MG).

“Por volta das 8h30, durante a entrega do café da manhã aos detentos que cumprem pena no Presídio de Pouso Alegre, foi constatado o óbito do preso Sean Karl Grebinger, 48 anos”, informa o comunicado do órgão.

O norte-americano tinha sido levado para o presídio depois de ser preso pela Polícia Federal, na última terça-feira (18), onde aguardaria o processo de extradição para os Estados Unidos, onde é acusado de matar a esposa em 2013. O norte-americano constava na lista da Interpol como um dos criminosos mais procurados do mundo.

Ainda de acordo com o comunicado da secretária de Estado de Segurança Pública de Minas, o norte-americano foi encontrado sem os sinais vitais, com uma “tereza” – corda feita de pedaços de tecido – amarrada ao pescoço nas grades da cela. Imediatamente, os policiais penais foram acionados e constataram o óbito do interno.

A informada da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública de Minas Gerais é que Grebinger não dividia cela com outros presos.

Segundo o Estado, na cela foram encontradas três cartas destinadas aos familiares.

A perícia da Polícia Civil foi acionada para investigar as circunstâncias da morte e o presídio, por sua vez, irá instaurar um procedimento interno para apurar administrativamente o fato.

HISTÓRICO EM POUSO ALEGRE

No último dia 31 de janeiro, o norte-americano agrediu a esposa em Pouso Alegre e foi preso, encaminhado para o presídio da cidade. No mesmo dia ele recebeu alvará de soltura por meio de liberdade provisória sem pagamento de fiança.

Na última terça-feira, 18 de fevereiro, Sean Grebinger foi novamente preso. Desta vez pela Polícia Federal que cumpria um mandado judicial de prisão para fins de extradição do Supremo Tribunal Federal (STF).

Depois de preso, o americano foi conduzido para o presídio de Pouso Alegre, onde estava à disposição da suprema corte brasileira até que fosse autorizada sua extradição para os Estados Unidos.

O norte-americano morava em Pouso Alegre há pelo menos um ano. Ele residia numa casa pequena, no bairro Cidade Vergani, que fica a 6 km do Centro da Cidade. Ele morava com a esposa brasileira e os dois filhos, de 17 anos e 15 anos, que teve com a esposa americana.

Ontem (20), os dois filhos de Sean Karl Grebinger saíram de Pouso Alegre para voltar aos Estados Unidos, onde vão morar com a avó materna. Eles foram levados para o consulado americano em São Paulo, para depois seguir para Brasília, de onde partirão para a América do Norte.

O CRIME NOS EUA E A FUGA PARA O BRASIL

Segundo informou autoridades dos Estados Unidos à PF, em 2013, o homem teria assassinado a esposa e ocultado o corpo, que nunca foi encontrado.

“As investigações da polícia americana revelaram evidências substanciais de sua autoria no cometimento do assassinato da esposa, além de longo histórico de abusos e violências praticados contra a companheira, que já havia obtido, inclusive, medidas protetivas judiciais contra o marido naquele país”, informa comunicado da PF à imprensa.

Segundo o FBI informou à PF, duas semanas após o crime, o homem pegou um voo com destino a São Paulo. No Brasil, casou-se com uma brasileira, obtendo permissão de residência no país.

Na tentativa de obter refúgio, forneceu declarações falsas de que foi agente das forças especiais do contraterrorismo americano, além de simular perseguição política nos EUA.

ÍNTEGRA DA NOTA DA SECRETÁRIA DE ESTADO DE SEGURANÇA PÚBLICA:

A Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública de Minas Gerais, por meio do Departamento Penitenciário (Depen MG), informa que na manhã desta sexta-feira (21/2), por volta das 8h30, durante a entrega do café da manhã aos detentos que cumprem pena no Presídio de Pouso Alegre, foi constatado o óbito do preso Sean Karl Grebinger, 48 anos.

O interno foi encontrado sem os sinais vitais, com uma “tereza” – corda feita de pedaços de tecido – amarrada ao pescoço nas grades da cela. Imediatamente, os policiais penais foram acionados e constataram o óbito do interno. Grebinger não dividia cela com outros presos. No espaço foram encontradas três cartas destinadas aos familiares.

A perícia da Polícia Civil foi acionada para investigar as circunstâncias da morte e o presídio, por sua vez, irá instaurar um procedimento interno para apurar administrativamente o fato.

 Histórico

Sean Karl Grebinger é de nacionalidade norte-americana e deu entrada no Presídio de Pouso Alegre pela primeira vez no dia 31/1/2020. No mesmo dia ele recebeu alvará de soltura por meio de liberdade provisória sem pagamento de fiança. Grebinger foi novamente preso no dia 18/2 e, desde então, estava na unidade prisional de Pouso Alegre, no sul do Estado.

 

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.