0

Prêmio Leitor Sul-Mineiro premia práticas leitoras de professores da região

Ana Beraldo
18/12/2019

Evento será realizado na Incubadora Municipal de Empresas de Santa Rita do Sapucaí, nesta quinta, 19 de dezembro.

O Prêmio Leitor Sul-Mineiro premia quatro inovadoras e inspiradoras práticas leitoras desenvolvidas por professores da região, durante o ano de 2018. O concurso contou com a participação de 1.819 inscritos de 217 das 250 localidades sul-mineiras (170 cidades e 80 distritos). São elas: “Eco Sarau Grande: Grande – que te quero grande – com folhas ecopoétcas!”, de autoria de Doralice Lopes, de Bocaina de Minas; “Poetas do Sul de Minas: Entre as montanhas e os livros, fez-se o Sul de Minas; entre os rebanhos e as letras, fez-se o sul-mineiro”, de autoria de Susana de Andrade, de Santa Rita do Sapucaí; “Estudantes Poetas: Antologia Poética – incentivando a leitura e a produção literária”, de José Vicente Neto, de Pratápolis; e “Cultura de Paz pela Mediação da Leitura: A paz também se aprende” Ana Luiza Fialho, de Guaxupé.

O ápice desta iniciativa é a cerimônia de entrega dos troféus, que será realizada em Santa Rita do Sapucaí, cidade de uma das autoras premiadas, em 19 de dezembro, no auditório da Incubadora Municipal de Empresas. Nesta ocasião, serão comemorados os 25 anos do Proler Sul-Mineiro.

O Prêmio Leitor Sul-Mineiro é uma inciativa do Proler Sul-Mineiro – uma rede sul-mineira de comitês do Programa Nacional de Incentivo à Leitura, que se mantém unida e ativa na região, desde 1994, mesmo com a descontinuidade da política pública.

A proposta da premiação foi instituída, em 2001, a partir de um diálogo com as Redes Sul-Mineiras de Amigos da Biblioteca (ABI-Sul de Minas), de Clubes de Leitura (CLÊ-Sul de Minas), com a Seção Sul-Mineira das Academias de Letras (Falemg-Sul), com o Núcleo Sul-Mineiro da Associação Mineira de Arte-Educadores (Amarte-Sul) e todos reunidos no Coletivo Cultural Polígono Sul-Mineiro do Livro (Leitura, Escrita, Literatura e Bibliotecas).

O seu objetivo é mapear as distintas práticas leitoras sul-mineiras, conhecer os diferentes perfis dos leitores sul-mineiros, homenagear destacadas trajetórias leitoras, estimular a formação de leitores e de mediadores de leitura, fomentar os registros das experiências no campo da leitura e da mediação de leitura literária. Sempre enfatizando uma perspectiva ampla do conceito de leitura, ultrapassando as fronteiras do texto escrito para chegar à concepção de leitura de mundo.

O júri desta edição foi composto pela bibliotecária Beatriz Vieira, de Muzambinho; pesquisadora Natália Rodrigues, de Carmo de Minas; professora Nádia Junqueira, de Cruzília; mediador Ernani Sastre, de Guaxupé e leitora Vanessa Manes, de Cambuquira.

A PROGRAMAÇÃO

Além da premiação, o evento contempla a exibição do filme ”Esperança” de autoria do professor Wander Wilson Chaves, prefeito de Santa Rita do Sapucaí, e de Janilton Prado, Secretário de Esporte, Cultura, Lazer e Turismo do município; o sarau Poético “O canto de todos os lugares” com Lourdes Maia, Rafael Faria, Paulo Prince e Marcela Diniz, de Itajubá, um painel e relatos de práticas leitoras com profissionais de várias áreas do conhecimento.

OS PREMIADOS

“EU ACREDITO… LIVROS… LIVROS… LIVROS.”

Ana Luiza Fialho da Silva, de Guaxupé – Foto divulgação

“O projeto que fiz e que levou ao Prêmio, foi sobre Cultura de Paz. Trabalho com um terceiro do ensino fundamental na Rede Municipal de Ensino de Guaxupé, MG.

Ao desenvolver esse Projeto, tive oportunidade de ler livros sobre a Paz, como o Malala, que dividi em capítulos, esses esperados com ansiedade pelos alunos. Juntamente com leituras trabalhamos a arte de Picasso, com Buquê de flores e Paz.

Também fomos pela música, onde selecionamos temas relacionados com a Paz, ensaiamos e apresentamos no dia do fechamento do Projeto.

Foi um sucesso! O pátio da escola Municipal Coronel Antonio Costa Monteiro foi tomado pela emoção de todos que ali estavam, pais professores, alunos e convidados, num clima realmente de muita Paz.

Recebi com muita alegria a notícias de que o Projeto Cultura de Paz, o qual havíamos inscrito, tinha sido escolhido entre tantos e tantos inscritos.

A emoção que senti não se explica… e essa alegria se estendeu à minha família, à escola que trabalho, envolvendo amigos , pais, colegas e equipe diretiva.

Obrigada a todos que confiaram no meu trabalho, que acreditam na força e no poder da Educação para que tenhamos um mundo mais humano, justo e igualitário.

Eu acredito… livros… livros… livros.”

“TODO PRÊMIO REPRESENTA UM RECONHECIMENTO.”

José Vicente, de Pratópolis. Foto: divulgação

“Atualmente sou o Secretário Municipal de Educação de Pratápolis.

Quando assumi a pasta sabia dos desafios e dificuldades que iria assumir. Também sabia que iria colher muitos frutos.

(…)

E estávamos certos! O trabalho foi muito, mas colhemos o fruto esperado. Nossos profissionais da educação trabalham motivados, nossos alunos estão mais interessados nas aulas, os pais entenderam a importância de participarem da vida escolar de seus filhos.

Ser poeta foi um desafio. Essa paixão nasceu comigo. E aos sete anos, na escola, a inspiração foi ascendida. E o menino poeta começou a versar. A jornada foi longa até a publicação do primeiro livro.

Daí a vida seguiu, às vezes o poeta precisava entrar em hibernação, mas os versos sempre nasciam.

Vieram os prêmios e reconhecimento. Minha poesia atravessou fronteiras, participou de dezenas de antologias, participou de importantes feiras literárias e ganhou prêmios.

Sobre meus talentos: Minha esposa diz que na fila dos dons eu passei várias vezes. Pode ter verdade nessa afirmativa. Eu acredito em paixão e entusiasmo. Tenho várias aptidões sim, consigo fazer muitas atividades distintas.

E o segredo? Amor! Quando vou fazer, faço com amor, carinho, zelo, boa vontade.

Todo prêmio é bem vindo. Todo prêmio representa um reconhecimento. O Prêmio Leitor Sul-Mineiro representa para mim, uma certificação que caminhei por caminhos Certos Com Pessoas Certas.”

“A LITERATURA REPOSICIONA O HOMEM.”

Susana de Andrade, de Santa Rita do Sapucaí . Foot: divulgação

“A Coletânea Poetas do Sul de Minas, que nos levou ao Prêmio Leitor Sul-mineiro é, na verdade, um trabalho de muitas mãos: das mãos de cada um dos poetas que enriqueceram a coletânea, das mãos dos alunos que encontraram esses poetas e editaram toda a produção e das minhas mãos ao organizar o trabalho que vem rendendo tanto orgulho e alegria.

O projeto começou em 2018 e busca encontrar em cidades sul-mineiras poetas, contar um pouco de suas histórias, mostrar suas cidades e, principalmente, divulgar seus poemas.

Um dos pontos mais interessantes de tudo o que vem acontecendo, para mim, é realizar esse trabalho em uma Escola Técnica de Eletrônica. Eu, como professora, vejo em nossa coletânea, que ganhará o segundo volume em 2019, e no prêmio um estímulo pessoal para continuar brincando de poesia com os apaixonados pela tecnologia e motivada a mostrar aos meus queridos futuros técnicos em eletrônica que há somente uma “máquina” no mundo capaz de produzir literatura: o homem. E é somente esse homem o capaz de ver abrir-se a máquina do mundo de que falou nosso poeta conterrâneo, Drummond.

Por fim, compartilho a opinião da escritora Hilda Hilst que afirmou, certa vez, que a literatura reposiciona o homem: por meio dela é possível conhecer-se melhor, e só quando conhecemos a nós mesmos somos capazes de conhecer e reconhecer o próximo. Sendo assim, o simples Fato De Poder Falar Sobre Literatura Em Tempos Tão Difíceis É, Para Mim, Um Grandioso Prêmio.”

Susana de Andrade, de Santa Rita do Sapucaí

 

A autora Doralice Lopes encontra-se atualmente na Argentina e não foi possível gravar depoimento com ela sobre a premiação.

 

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.