0

Vereadores aprovam projeto de lei que proíbe canudinhos plásticos em Pouso Alegre

Magson Gomes
27/06/2019

Projeto segue para sanção do prefeito Rafael Simões. A reportagem do Terra do Mandu encontrou estabelecimentos que já baniram os canudos convencionais.

No último ano, diversas cidades brasileiras aprovaram leis que proíbem o uso dos canudinhos de plástico. A intenção é frear os danos ao meio ambiente, já que esse material vai direto para rios e oceanos, leva centenas de anos para se decompor e animais marinhos morrem ao ingerir esse tipo de plástico. Entre as capitais, Rio de Janeiro foi a primeira a sancionar a lei, em julho do ano passado. A cidade de São Paulo fez o mesmo nesta semana (25/06). Seguindo essa tendência, a Câmara de vereadores de Pouso Alegre acaba de aprovar o Projeto de Lei nº 7476 que também proíbe a utilização dos canudos plásticos convencionais na cidade.

A proposta é do vereador André Prado (PV) e foi aprovada em segundo votação. Agora segue para sanção do prefeito Rafael Simões (PSDB) e entrará em vigor após um ano de sua publicação.

O texto do artigo primeiro do projeto diz: “Fica proibido no prazo de 1 (um) ano após a publicação da presente Lei, a utilização, distribuição gratuita ou onerosa, de canudos plásticos feitos de polipropileno ou poliestireno (ou qualquer outro material descartável que não seja oxi-biodegradável) no comércio do município de Pouso Alegre-MG”.

O vereador autor do PL diz que o prazo de um ano para a lei, caso sancionada, entrar em vigor é para o comércio se adaptar; bares, lanchonetes e restaurantes avisarem ou encontrarem novos fornecedores do material.

“O projeto o objetivo dele é um só: proteger o meio ambiente. Os canudos [plásticos] são uma doença para a natureza. Eles levam 300 anos para desaparecer, ou mais, enquanto a gente os utiliza por alguns minutos. Então, a questão é para que existe esses canudos sendo que nós temos outras opções”, afirma Prado.

Estabelecimentos já baniram o canudo convencional

Confeitaria adotou os canudo coloridos e de papel. Foto: Terra do Mandu

Já é possível encontrar estabelecimentos em Pouso Alegre que já baniram os canudinhos convencionais da lista. Esta confeitaria produz bolos, pães, sucos e vitaminas com o conceito de alimentos saudáveis. E aqui o canudinho é de papel e também não agride a saúde do meio ambiente. Ana Célia de Oliveira, sócia da confeitaria, conta que eles adotaram o canudo de papel há cerca de oito meses.

“Para ajudar o meio ambiente mesmo. Tem tanta coisa que a gente usa por aí que só prejudica. Então, vamos entrar na linha do que é saudável mesmo. Aqui tudo é saudável”, afirma a comerciante.

Ana Célia ainda lembra que o canudo de papel ainda é mais caro, mas “a gente tem que ter essa consciência e tentar melhorar. Cada um faz a sua parte e a gente está tentando fazer a nossa”.

Esta outra lanchonete também aboliu os canudinhos. Mas, por enquanto, não tem nenhum substituto. O espaço dedicado a eles fica vazio dos recipientes sobre as mesas.

Esta lanchonete está sem canudo para os clientes. Foto: Terra do Mandu

Enquanto isso, centenas de outros lugares ainda utilizam o canudo convencional. Basta dar uma olhadinha nas lixeiras da cidade que você verá os canudinhos descartados ali. Andar pelas calçadas a gente também encontra pessoas tomando um delicioso milk-shake, mas com o canudinho plástico.

Mais plástico que peixes nos oceanos

Segundo uma estimativa do Fórum Econômico Mundial, existem 150 milhões de toneladas métricas de plásticos nos oceanos e caso o consumo siga no mesmo ritmo dos números atuais os cientistas preveem que haverá mais plásticos do que peixes nos oceanos até 2050.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.