0

Sepultada mãe que foi morta ao tentar defender filha agredida por ex-namorado

Magson Gomes
18/06/2019

A menina, de 15 anos, já tinha registrado um boletim de ocorrência contra o rapaz, de 20 anos, há menos de um mês.

A filha Letícia com a mãe, dona Rosa Vina. Foto: reprodução facebook.

A lavradora Rosa Vina dos Santos, de 52 anos, foi sepultada no fim da tarde desta terça-feira (18) em Delfim Moreira. Dona Rosa foi morta a facadas ontem ao tentar defender a filha Letícia Silva, de 15 anos, que estava sendo agredida pelo ex-namorado Ruan Marcos Salvados Peres, de 20 anos, que não aceitava o fim do relacionamento.

O crime chocou a pequena cidade de 8 mil habitantes, que fica no pé da Serra da Mantiqueira.
O último crime violento em Delfim Moreira tinha sido há mais de três anos, quando um rapaz foi esfaqueado durante o carnaval de 2016.
Antes disso, a cidade ficou mais de 25 anos sem morte violenta.

Até esta segunda-feira (17) quando Ruan Marco Salvador Peres, de 20 anos, matou a ex-sogra, Rosa Vina dos Santos, de 52 anos.
Inconformado com o fim do namoro com a filha de dona Rosa, a intenção do rapaz era matar a ex-namorada, Letícia Silva, de 15 anos.

Crime foi nesta casa, na Rua Mariinha Maciel, no bairro Caquende.

Segundo a Polícia Militar, O rapaz foi até a casa de Letícia, que fica no bairro Caquente. Ele chamou no portão, e pediu um copo de água.
Entrou na residência e, lá dentro, arrancou a faca e agrediu Letícia. Neste instante, a mãe da jovem, dona Rosa, interveio na briga e
foi esfaqueada. A lavradora ainda saiu correndo, pedindo socorro, mas caiu no portão da própria casa e faleceu.
Letícia foi levada para o Hospital Escola de Itajubá e recebeu alta no fim da tarde desta terça.

Após esfaquear a ex-namorada e a mãe dela, Ruan fugiu do local, entrou numa matagal às margens da rodovia MG-350
e tentou se matar com a própria faca. Ele ligou para os pais e a polícia foi junto e prendeu o rapaz,
que também foi levado para o Hospital Escola de Itajubá e não corre risco de morrer e segue sob custódia da polícia.
“Após ser liberado do hospital ele será conduzido para o presídio de Itajubá”, diz o Tenente PM, Danilo Freitas.

O irmão mais velho de dona Rosa, Benedito dos Santos, diz que que a família está toda chocada. “A gente não está acreditando no que aconteceu”.

Dona Rosa tinha seis filhos, quatro deles moravam com ela, que é separada. O corpo da lavradora chegou na cidade às 14h da tarde para ser velado. No fim da tarde ela foi sepultada.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.