0

Empreender na real é gastar sola do tênis

Mariana Sayad
24/05/2019

Jornalista, gestora cultural
Editora do site Cultura não é Perfumaria 
Co-fundadora do Observatório Luneta

Sim, a sola do meu tênis furou e foi de tanto andar. Só percebi no dia que choveu e, literalmente, meu pé se afogou. Então, entendi na prática que empreender é gastar sola de sapato (ou tênis). Eu e a minha sócia, Júlia, trabalhamos com empreendedorismo, ao mesmo tempo que somos empreendedoras.

Nem sempre foi assim, pois houve um tempo em que acreditávamos que o certo era estudar, fazer uma faculdade e achar um bom emprego. Hoje, há um mundo de possibilidades com o empreendedorismo, pois podemos abrir nosso negócio mesmo sem dinheiro, podemos vender produtos para muitos países sem sair de casa. Isso tudo começou a ser possível graças a globalização, que diluiu as fronteiras do mundo e à tecnologia que tornou possível a internet e sistemas de comunicação incríveis.

Mas o que muitos não sabem ainda, é que empreender é fazer parte de um ecossistema, ou sejam, significa viver em um conjunto de comunidades em um mesmo local. Elas interagem entre si para constituir um sistema equilibrado e autossuficiente. Partindo da premissa que um ambiente saudável depende de todos, ou seja, se algo não está bem, não afeta apenas uma parte da cadeia, mas sim todo o ecossistema.

Pensando nisso, quando começamos a empreender, já pensamos no nosso ecossistema. Mas para isso, precisamos sair da lógica da concorrência para entrar na colaboração. Isso só é possível depois de estudar e conhecer bem as novas economias. Em 2017, realizamos o “Prosakinova”, ao lado de grandes parceiros com atuações bem parecidas com a nossa: Guarda-chuva (Poços de Caldas) e Avoa (Santa Rita do Sapucaí). Fizemos três rodas de conversas, uma em cada cidade. Aqui, em Pouso Alegre, levamos o tema “Nossa Grama também é Verde” com a ideia de mostrar que em Pouso Alegre há muitas coisas bacanas. Além de ser a cidade de bons negócios, temos também excelentes artistas, artesãos, temos muita história, temos uma gastronomia sensacional e muitas outras coisas que fazem dessa cidade um local bem especial.

Essa iniciativa foi no início da nossa empresa, que ainda está no começo, com apenas 2 anos. Mas nesse pouco tempo de empresa, já gastamos muita sola de sapato, fizemos muitos contatos, parcerias que deram muito certo, outras fracassaram, quase nos fizeram desistir. Mas sempre acreditamos na força do ecossistema, da união para crescermos juntos. Não existe glamour em empreender, mas existem desafios, muita satisfação, propósito e uma certeza que vai dar certo!

Sobre a colunista

Mariana Sayad escreve quinzenalmente sobre cultura, arte, políticas culturais de Pouso Alegre e região aqui, no Terra do Mandu. Jornalista de formação, gestora cultural há mais de 15 anos. Tem MBA em Bens Culturais pela FGV-SP e especialização em História, Sociedade e Cultura pela PUC-SP. É natural de São Paulo, mas mora em Pouso Alegre deste 2013, onde já trabalhou na Secretaria Municipal de Cultura, entre 2015 e 2016.

Atualmente, é editora do site Cultura não é Perfumaria e, ao lado de Júlia Lopes, co-fundadora da empresa Observatório Luneta, que é especializada em Economia Criativa.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.