Pouso Alegre

Leandro.com se diz arrependido e que pretende ressarcir vítimas

Magson Gomes / 20 fevereiro 2018

Ele responde a 10 inquéritos por estelionato depois de aplicar golpes no aluguel de sítios na região de Pouso Alegre, Sul de Minas. Leandro foi preso na Fernão Dias, enquanto seguia em um táxi para Belo Horizonte. Segundo a Polícia Civil, prejuízo inicial é de cerca de R$ 50 mil com valores recebidos de famílias que pagaram por chácaras e ficaram sem nada.

O colunista social Leandro da Silva Oliveira, resolveu falar com os jornalistas presentes na coletiva de imprensa onde ele foi apresentado pela Polícia Civil. Leandro.com está preso preventivamente após aplicar golpes em famílias que o procuravam para aluguel de sítios no Sul de Minas.

Polícia Civil apresenta colunista social Leandro.com, que responde a 10 inquéritos por estelionato

Leandro diz que está arrependido, pede perdão à família dele, a amigos, e às vítimas lesadas por ele. O colunista social diz que tem a intenção de pagar pelo erro cometido. Leandro.com afirma também que fugiu de Pouso Alegre (MG) porque tinha pensado em si matar.

Leandro.com ainda justificou que aplicou os golpes porque estava muito endividado e que ainda está endividado.

Durante sua fala, ele pediu desculpas várias vezes a familiares, vítimas lesadas e colegas da imprensa. Afirma que não sabe lidar com dinheiro; que teve várias oportunidades na vida e não soube aproveitar.

“Jamais queria estar nessa situação que eu estou. Vocês me conhecem a muito tempo e eu peço desculpa a todos vocês por tudo isso que ocorreu, amigos da imprensa. Foi um momento de fraqueza que eu tive. Antes, também peço desculpa para meu pai, minha mãe e minha irmã e para alguns amigos da minha cidade. Eu realmente não pensei nas consequências. Eu estava com problemas financeiros e agi pensando em resolver esse meu lado e, realmente, eu não pensei nas famílias que vieram para o Natal, para o Ano Novo”.

“O motivo que eu saí, que os delegados falaram, eu … eu pensei em me matar. Foi por isso que fui embora daqui [Pouso Alegre]. E chegando lá [no estado do Rio de Janeiro] eu corri atrás do tempo. Corri atrás de dinheiro para pagar as pessoas. Só que ontem [dia 19], quando saiu o mandado de prisão eu fiquei, realmente, apreensivo. Eu vim correndo pra cá. Porque eu estava com vergonha do meu pai, da minha mãe, enfim. Eu vim correndo, eu vim desesperado”.

“Eu errei. Eu peço desculpa todo mundo, mais uma vez. (…) foram dadas várias oportunidades na minha vida e eu não aproveitei”.

“Eu vou pagar pelos meus erros, as famílias que eu lesei. Eu peço desculpa a todo mundo que gosta do meu trabalho, que confia em mim. Peço desculpa pra minha mãe, pro meu pai, pra minha família”.

“Desculpa falar, mas eu caguei na retranca. E foi de uma maneira ridícula, agressiva. Eu estou endividado. Não sei se uma coisa justifica a outra. Peço desculpa também para as pessoas dos sítios”.

“Eu sou uma pessoa extremamente desorganizada com dinheiro. E aqui [mostra as algemas] está o preço disso tudo. Não que que vocês fiquem com compaixão. Eu estou arrasado”.

Ele ainda falou que a polícia deu oportunidade para ele se explicar, antes de ser preso.

Leandro passou por exames de corpo delito no IML e foi levado para o presídio de Pouso Alegre.

A pena pelo crime de estelionato é de até cinco anos de prisão. Mesmo tempo de pena para falsidade ideológica.


[metaslider id=”4967″]

Mais Lidas