0

Novo Conselho Diretor da FUVS toma posse, em meio a protestos

Magson Gomes
17/08/2017

Prefeito Rafael Simões (PSDB), que foi presidente da FUVS indicado pelo ex-governador Anastasia, discursou para estudantes e funcionários da fundação pedindo para não aceitarem novos membros do conselho.

O novo Conselho Diretor da Fundação de Ensino Superior do Vale do Sapucaí (FUVS) tomou posse na tarde desta quinta-feira (17). Compõem o conselho provisório Luiz Augusto de Faria Cardoso (atual superintendente regional de saúde), Andrea Silva Adão Reis (atual superintende regional de educação) e César Augusto Monteiro Alves Júnior (atual chefe de departamento da 17ª Região de Polícia Civil).

Eles tomaram posse após decisão do juiz da 4ª Vara Cível de Pouso Alegre anular alterações do estatuto da fundação que retirou do governador do Estado a prerrogativa de indicar os membros do conselho.

Leia também: Justiça anula alterações no estatuto da FUVS e nomeia Conselho Diretor temporário.

Protesto de estudantes e funcionários enquanto novo conselho assumia a direção da FUVS.

Não houve passagem de cargo entre o conselho anterior para o conselho provisório. O novo presidente da FUVS, Luiz Augusto de Faria Cardoso, afirmou que será feita a transição, prevista na decisão judicial, para uma nova eleição na fundação. Mas não há um prazo para isso ocorrer.

“Se houvesse uma passagem de cargo, nós ficaríamos mais à vontade para ter acesso a informações imprescindíveis para viabilidade da administração inteirar da situação da instituição em todos seus aspectos. E para trabalhar nessa transição”, disse Cardoso.

A Fundação mantenedora do Hospital das Clínicas Samuel Libânio, da Universidade do Vale do Sapucaí, do Colégio Anglo e Colégio João Paulo II e uma rádio educativa.

Protestos com participação do prefeito Rafael Simões, ex-presidente da FUVS

Enquanto o novo conselho diretor tomava posse, manifestantes protestavam do lado de fora da sala. Pela manhã também teve protesto em frente à Faculdade de Medicina. Alunos, funcionários da instituição saíram numa caminhada carregando um caixão que simbolizava o enterro da fundação. Vereadores da base do prefeito Rafael Simões (PSDB) também estiveram no protesto.

O prefeito Rafael Simões foi presidente da FUVS até o meio do ano passado, quando teve que se afastar do cargo para disputar as eleições municipais. Rafael Simões foi presidente da fundação indicado pelo ex-governador Antônio Anastasia.

Na manhã desta quinta-feira, o prefeito foi ao auditório da Faculdade de Medicina onde criticou a decisão judicial. Rafael Simões afirmou que as alterações no estatuto seguiam orientação do Ministério Público e pediu para os alunos e funcionários dizerem “não a esse pessoal”, se referindo ao novo conselho.

Prefeito Rafael Simões vai à Faculdade de Medicina pedir para estudantes e funcionários não aceitarem decisão judicial. (Foto: rede social)

O presidente do Conselho Diretor destituído pela decisão judicial, Luiz Roberto Martins Rocha, não quis falar com a imprensa. A assessoria da FUVS indicou o vereador Leandro Morais (PPS) da base do prefeito e que esteve no protesto. Leandro Morais diz que a intervenção do governo do estado é algo triste para Pouso Alegre porque o Conselho Diretor anterior foi eleito após seguir as orientações do Ministério Público. “E esse pedido previa a modernização do estatuto da fundação e da forma de serem feitas as eleições”.

Alteração deveria ser na lei e não no estatuto, contesta o Estado de Minas Gerais

O Estado de Minas Gerais entrou com um requerimento na justiça da Comarca de Pouso Alegre pedindo que as alterações no estatuto fossem consideradas nulas. Segundo a Advocacia Geral do Estado, essas mudanças só poderiam ser feitas mediante alteração direta na lei que criou a fundação, a Lei Estadual nº 3.227/64, que atribui ao Governador do Estado a prerrogativa de escolher os membros do Conselho Diretor.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.